Impacto clínico da isquemia e viabilidade miocárdicas após tratamento de oclusão coronária crônica no segmento proximal da artéria descendente anterior

Impacto clínico da isquemia e viabilidade miocárdicas após tratamento de oclusão coronária crônica no segmento proximal da artéria descendente anterior

Título alternativo Clinical impact of myocardial ischemia and viability after treatment of proximal left anterior descending artery chronic total occlusions
Autor Nunes, Cássio Dos Santos Google Scholar
Pimentel Filho, Wilson Albino Google Scholar
Custódio, Wellington Borges Google Scholar
Olivotti, Gustavo Vinicius Lambert Google Scholar
Sada, Carlos Alberto Google Scholar
Osterne, Thomas Edison Cintra Google Scholar
Curado, Fernando Augusto Molinori Di Castro Google Scholar
Pupin Filho, Waigner Bento Google Scholar
Soares Neto, Milton Macedo Autor UNIFESP Google Scholar
Büchler, Jorge Roberto Google Scholar
Assis, Stoessel Figueredo De Google Scholar
Instituição Hospital Beneficência Portuguesa de São Paulo
Hospital Beneficência Portuguesa de São Paulo Equipe de Cardiologia Intervencionista-Wilson Pimentel
Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo BACKGROUND: Evaluation of myocardial ischemia and viability is recommended prior to percutaneous coronary intervention (PCI) for chronic total occlusions. We evaluated late adverse cardiovascular events of patients with PCI for proximal left anterior descending artery occlusions, comparing patients with or without myocardial ischemia or viability. METHODS: Patients were allocated to groups with myocardial ischemia/viability (G1, n = 91) and without myocardial ischemia/viability (G2, n = 65) and adverse cardiovascular events (death, myocardial infarction, target-vessel revascularization and congestive heart failure) were compared. RESULTS: Most patients were male (68.1% vs 69.2%; P = 0.56), with a mean age of 65.4 ± 10 years vs 63.5 ± 8.7 years (P = 0.61) and almost one third were diabetics (33% vs 29.2%; P = 0.76). No differences regarding the clinical and angiographic profile were observed, except for the left ventricular ejection fraction (48.6 ± 13.7% vs 39.5 ± 11.8%; P = 0.04) and the degree of angiographic collateral flow grade to the left anterior descending artery, which was more evident in G1 (P = 0.03). The 3-year follow-up incidence of composite adverse cardiovascular events was lower in patients with myocardial ischemia/viability (12.5% vs 31.1%; P < 0.01). The factors that contributed the most for this difference were the incidence of congestive heart failure (3.3% vs 15.3%; P = 0.02) and death (2.2% vs 7.7%; P = 0.13). CONCLUSIONS: Treatment of proximal left anterior descending artery chronic total occlusions in patients with evidence of myocardial ischemia or viability reduces the incidence of adverse cardiovascular events in the long term.

INTRODUÇÃO: A avaliação da isquemia e viabilidade miocárdicas é recomendável antes da intervenção coronária percutânea (ICP) em oclusões crônicas. Avaliamos os eventos cardiovasculares adversos tardios de pacientes com ICP da oclusão crônica no segmento proximal da artéria descendente anterior, comparando pacientes de acordo com a presença ou não de isquemia ou viabilidade miocárdicas. MÉTODOS: Os pacientes foram alocados nos grupos com isquemia/viabilidade miocárdicas (G1, n = 91) e sem isquemia/viabilidade miocárdicas (G2, n = 65) e avaliados os eventos clínicos combinados tardios (óbito, infarto do miocárdio, revascularização do vaso-alvo e insuficiência cardíaca congestiva). RESULTADOS: A maioria dos pacientes era do sexo masculino (68,1% vs. 69,2%; P = 0,56), com média de idade de 65,4 ± 10,4 anos vs. 63,5 ± 8,7 anos (P = 0,61), e quase um terço era de diabéticos (33% vs. 29,2%; P = 0,76). Os grupos não mostraram diferenças em relação ao perfil clínico-angiográfico, com exceção da fração de ejeção do ventrículo esquerdo (48,6 ± 13,7% vs. 39,5 ± 11,8%; P = 0,04) e do grau de circulação colateral para a artéria descendente anterior, mais evidente no G1 (P = 0,03). A incidência de eventos clínicos combinados em um período de três anos foi menor nos pacientes com isquemia/viabilidade miocárdicas (12,5% vs. 31,1%; P < 0,01). Os fatores que mais contribuíram para essa diferença foram a incidência de insuficiência cardíaca congestiva (3,3% vs. 15,3%; P = 0,02) e óbito (2,2% vs. 7,7%; P = 0,13). CONCLUSÕES: O tratamento de oclusão crônica no segmento proximal da artéria descendente anterior com stent farmacológico, em pacientes com evidência de isquemia ou viabilidade miocárdicas, reduz eventos clínicos a longo prazo.
Palavra-chave Angioplasty
Drug-eluting stents
Coronary occlusion
Coronary angiography
Angioplastia
Stents farmacológicos
Oclusão coronária
Angiografia coronária
Idioma Português
Data de publicação 2013-06-01
Publicado em Revista Brasileira de Cardiologia Invasiva. Sociedade Brasileira de Hemodinâmica e Cardiologia Intervencionista - SBHCI, v. 21, n. 2, p. 140-145, 2013.
ISSN 2179-8397 (Sherpa/Romeo)
Publicador Sociedade Brasileira de Hemodinâmica e Cardiologia Intervencionista - SBHCI
Extensão 140-145
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S2179-83972013000200010
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S2179-83972013000200010 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/7804

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S2179-83972013000200010.pdf
Tamanho: 723.7KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta