Tromboprofilaxia venosa em pacientes clínicos: análise de sua aplicação

Tromboprofilaxia venosa em pacientes clínicos: análise de sua aplicação

Título alternativo Venous thromboprophylaxis in medical patients: an application review
Autor Kerbauy, Mariana Nassif Autor UNIFESP Google Scholar
Moraes, Fabio Ynoe de Google Scholar
Kerbauy, Lucila Nassif Google Scholar
Conterno, Lucieni de Oliveira Autor UNIFESP Google Scholar
El-fakhouri, Silene Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Hospital Sírio-Libanês Centro de Oncologia Departamento de Radioterapia
Universidade de São Paulo (USP)
Faculdade de Medicina de Marília Núcleo de Epidemiologia Clínica
FAMEMA
Resumo OBJECTIVE: Routine thromboprophylaxis, despite its well-known effectiveness and the fact that venous thromboembolism is a potentially avoidable condition, is not fully established in clinical practice. The objectives of the present study were to determine how often thromboprophylaxis is used and the presence of thromboembolism risk factors, and to verify the appropriateness of its use in medical inpatients, assuming a long-standing national guideline as a parameter. METHODS: This was a retrospective cross-sectional study, involving inpatients with medical conditions in the adult general ward of a university hospital. The review was based on a defined guideline. RESULTS: 146 patients were included in the review. At least one risk factor for venous thromboembolism was found in 94.5%. In 130 (89%) patients, prophylactic heparin was indicated, and some kind of heparin was prescribed in 73.3%. Regarding the adequacy of prophylaxis, 53.4% of prescriptions were correct regarding prophylaxis indication and dose; 24% had incorrect dose or frequency of use; 19.2% had no prophylaxis prescription, although it was indicated; and in five cases (3.4%), the drugwas prescribed, even though itwas not indicated. CONCLUSION: Thromboprophylaxis is underused in this population, and an inappropriate dose was prescribed in 50% of cases. Therefore, future studies and interventions should include an educational program started from the emergency department care, an essential step to bring evidence closer to clinical practice.

OBJETIVO: A tromboprofilaxia de rotina, a despeito de sua efetividade estar bem estabelecida e o tromboembolismo venoso ser uma condição potencialmente evitável, não se apresenta completamente consolidada na prática clínica. Os objetivos do presente estudo são: 1. Determinar a frequência da utilização da tromboprofilaxia e presença dos fatores de risco para tromboembolismo; 2. Verificar a adequação de sua utilização em pacientes clínicos internados, assumindo como parâmetro uma diretriz nacional estabelecida. MÉTODOS: Estudo retrospectivo transversal envolvendo pacientes internados por doenças clínicas em uma enfermaria geral de adultos de um hospital universitário. A análise foi baseada em diretriz definida. RESULTADOS: Foram incluídos 146 pacientes para análise. Destes, 94,5% possuíam pelo menos um fator de risco para tromboembolismo venoso. Em 130 (89%) pacientes havia indicação para uso de heparina profilática, sendo que em 73,3% dos casos estava prescrito algum tipo de heparina. Quanto à adequação da profilaxia, 53,4% das prescrições estavam corretas em relação à indicação e à dose da profilaxia; 24% apresentavam dose ou frequência incorretas; 19,2% não tinham prescrição de profilaxia, apesar de ela ser indicada; e em cinco casos (3,4%) o fármaco foi prescrito, apesar de não haver indicação. CONCLUSÃO: Existe subutilização da tromboprofilaxia nesta população, com inadequada dose prescrita em 50% dos casos. Portanto, estudos e intervenções futuros devem incluir um programa educacional que se inicie desde o atendimento em pronto-socorro, sendo essencial para aproximar a evidência à prática clínica.
Palavra-chave Risk factors
Guideline adherence
Heparin
Prophylaxis
Venous thromboembolism
Fatores de risco
Fidelidade a diretrizes
Heparina
Profilaxia
Tromboembolismo venoso
Idioma Português
Data de publicação 2013-06-01
Publicado em Revista da Associação Médica Brasileira. Associação Médica Brasileira, v. 59, n. 3, p. 258-264, 2013.
ISSN 0104-4230 (Sherpa/Romeo)
Publicador Associação Médica Brasileira
Extensão 258-264
Fonte http://dx.doi.org/10.1016/j.ramb.2012.11.008
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S0104-42302013000300012 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/7789

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S0104-42302013000300012.pdf
Tamanho: 1.008MB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta