Densidade energetica da dieta de trabalhadores de São Paulo e fatores sociodemograficos associados*

Densidade energetica da dieta de trabalhadores de São Paulo e fatores sociodemograficos associados*

Título alternativo Energy density in the diet of workers from São Paulo, Brazil, and associated socio-demographic factors*
Autor Canella, Daniela Silva Google Scholar
Bandoni, Daniel Henrique Autor UNIFESP Google Scholar
Jaime, Patricia Constante Google Scholar
Instituição Universidade de São Paulo (USP)
Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo Objective: This paper aims at analyzing the energy density (ED) of the diet of workers from the city of São Paulo, Southeastern Brazil, and the way this is associated with socio-demographic characteristics, as well as evaluating the relationship between ED and nutrient intake. Methods: A cross-sectional study evaluated the diet of 852 workers using the 24-hour dietary recall; one recall was applied to all individuals and a second one was applied to a sub-sample in order to adjust intrapersonal variability. The ED of the diet was calculated using three methods: inclusion of all solid foods and beverages, excluding water (ED 1); inclusion of all solid foods and beverages containing at least 5 kcal/100g (ED 2); and inclusion of all solid foods, excluding all beverages (ED 3). Linear regression was used to analyze the relationship between ED and socio-demographic variables and the relationship between ED and nutrients was evaluated using Pearson coefficient correlation. Results: Considering the workers' diet, the ED values observed were 1.18 kcal/g, 1.22 kcal/g and 1.73 kcal/g for the ED 1, ED 2, ED 3 methods, respectively. In the multiple regression models, only the age variable was maintained in the final model and showed an inverse association with all ED methods. ED 3 showed an increase in energy density for non-white individuals. Of all studied nutrients, protein was the only one that was not significantly correlated with ED 3 (p = 0.899). Conclusion: The young adults studied had a higher energy-density diet, representing a priority group for nutrition interventions. Regardless of the calculation method used, there is a correlation between ED and nutrients.

Objetivo: Analisar a densidade energética (DE) da dieta de trabalhadores da cidade de São Paulo e sua associação com características sociodemográficas, bem como avaliar a relação entre DE e ingestão de nutrientes. Métodos: Estudo transversal que avaliou a dieta de 852 trabalhadores, por meio de recordatório de 24 horas, sendo um recordatório aplicado a todos os indivíduos e um segundo para subamostra, a fim de corrigir a variabilidade intrapessoal. A DE da dieta foi calculada por três métodos: inclusão de todos os alimentos sólidos e das bebidas, excluindo apenas água (DE 1); inclusão de todos os alimentos sólidos e bebidas calóricas que contêm, no mínimo, 5 kcal/100g (DE 2); inclusão de todos os alimentos sólidos e exclusão de todas as bebidas (DE 3). Para analisar a relação entre a DE e as variáveis sociodemográficas utilizou-se regressão linear, e a relação entre DE e nutrientes foi avaliada por meio do coeficiente de correlação de Pearson. Resultados: Para a dieta dos trabalhadores, os valores de DE observados foram 1,18 kcal/g, 1,22 kcal/g e 1,73 kcal/g, considerando-se os métodos DE 1, DE 2 e DE 3, respectivamente. Nos modelos múltiplos de regressão, apenas a variável idade apresentou associação negativa com todos os métodos de DE. Para a DE 3, houve incremento da DE para indivíduos não brancos. Dentre os nutrientes estudados, o único que não apresentou correlação significativa foi a proteína, para DE 3 (p = 0,899). Conclusão: Os adultos jovens tinham uma alimentação com maior DE, sendo um grupo prioriatário para intervenções nutricionais. Além disso, independente do método de cálculo, há correlação entre a DE e os nutrientes da dieta.
Palavra-chave Energy density
Food consumption
Energy intake
Workers
Densidade energetica
Consumo alimentar
Ingestao de energia
Trabalhadores
Idioma Português
Data de publicação 2013-06-01
Publicado em Revista Brasileira de Epidemiologia. Associação Brasileira de Saúde Coletiva, v. 16, n. 2, p. 257-265, 2013.
ISSN 1415-790X (Sherpa/Romeo)
Publicador Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Extensão 257-265
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S1415-790X2013000200003
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S1415-790X2013000200257 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/7759

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S1415-790X2013000200257.pdf
Tamanho: 310.1KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta