Ligadura da veia porta associada à bipartição do fígado para hepatectomia em dois estágios (ALPPS): experiência brasileira

Ligadura da veia porta associada à bipartição do fígado para hepatectomia em dois estágios (ALPPS): experiência brasileira

Título alternativo Associating liver partition and portal vein ligation for staged hepatectomy (ALPPS): the Brazilian experience
Autor Torres, Orlando Jorge Martins Google Scholar
Fernandes, Eduardo De Souza Martins Google Scholar
Oliveira, Cassio Virgilio Cavalcante Google Scholar
Lima, Cristiano Xavier Google Scholar
Waechter, Fabio Luiz Google Scholar
Moraes-junior, Jose Maria Assunção Google Scholar
Linhares, Marcelo Moura Autor UNIFESP Google Scholar
Pinto, Rinaldo Danese Google Scholar
Herman, Paulo Google Scholar
Machado, Marcel Autran Cesar Google Scholar
Instituição Universidade Federal do Maranhão Departamento de Cirurgia
Hospital Silvestre do Rio de Janeiro
Universidade Federal da Paraíba
Universidade Federal de Minas Gerais
Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre
Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Hospital Santa Catarina
Universidade de São Paulo (USP)
Hospital Sírio-Libanês São Paulo
Resumo BACKGROUND: Postoperative liver failure consequent to insufficiency of remnant liver is a feared complication in patients who underwent extensive liver resections. To induce rapid and significant hepatic hypertrophy, associating liver partition and portal vein ligation for staged hepatectomy (ALPPS) has been recently developed for patients which tumor is previously considered unresectable. AIM: To present the Brazilian experience with ALPPS approach. METHOD: Were analyzed 39 patients who underwent hepatic resection using ALPPS in nine hospitals. The procedure was performed in two steps. The first operation was portal vein ligation and in situ splitting. In the second operation the right hepatic artery, right bile duct and the right hepatic vein were isolated and ligated. The extended right lobe was removed. There were 22 male (56.4%) and 17 female (43.6%). At the time of the first operation, the median age was 57.3 years (range: 20-83 years). RESULTS: The most common indication was liver metastasis in 32 patients (82.0%), followed by cholangiocarcinoma in three (7.7%). Two patients died (5.2%) during this period and did not undergo the second operation. The mean interval between the first and the second operation was 14.1 days (range: 5-30 days). The volume of the left lateral segment of the liver increased 83% (range 47-211.9%). Significant morbidity after ALPPS was seen in 23 patients (59.0%). The mortality rate was 12.8% (five patients). CONCLUSION: The ALPPS approach can enable resection in patients with lesions previously considered unresectable. It induces rapid liver hypertrophy avoiding liver failure in most patients. However still has high morbidity and mortality.

RACIONAL: Insuficiência hepática pós-operatória devido à remanescente hepático pequeno tem sido complicação temida em pacientes que são submetidos à ressecção hepática extensa. A ligadura da veia porta associada à bipartição do fígado para hepatectomia em dois estágios (ALPPS) foi desenvolvida recentemente com a finalidade de induzir rápida e significante regeneração do fígado para pacientes em que o tumor é previamente considerado irressecável. OBJETIVO: Apresentar a experiência brasileira com o ALPPS. MÉTODO: Foram analisados 39 pacientes submetidos ao procedimento ALPPS em nove hospitais. Ele foi realizado em duas etapas. A primeira operação consistiu em ligadura do ramo direito da veia porta e bipartição hepática. Na segunda, os ramos direito da artéria hepática, via biliar e veia hepática foram ligados e o lobo hepático direito estendido foi removido. Foram 22 pacientes do sexo masculino (56,4%) e 17 do feminino (43,6%). A média de idade foi 57,3 anos (variando de 20 a 83 anos). RESULTADOS: A indicação mais comum foi metástase hepática em 32 pacientes (82,0%), seguida por colangiocarcinoma em três pacientes (7,7%). Dois morreram neste intervalo e não foram submetidos à segunda operação. O intervalo médio da primeira para a segunda operação foi de 14,1 dias (variando de 5-30 dias). O volume do segmento lateral esquerdo apresentou aumento de 83% (variando de 47-211,9%). Morbidade significante foi observada em 23 pacientes (59,0%). A mortalidade foi de 12,8% (cinco pacientes). CONCLUSÃO: O procedimento ALPPS permite ressecção hepática em pacientes com lesões consideradas previamente irressecáveis por induzir rápida hipertrofia do fígado evitando a insuficiência hepática na maioria dos pacientes. Porém ainda apresenta elevada morbidade e mortalidade.
Palavra-chave Hepatectomy
Neoplasm metastasis
Portal Vein
Hepatectomia
Metástase neoplásica
Veia Porta
Idioma Português
Data de publicação 2013-03-01
Publicado em ABCD. Arquivos Brasileiros de Cirurgia Digestiva (São Paulo). Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva, v. 26, n. 1, p. 40-43, 2013.
ISSN 0102-6720 (Sherpa/Romeo)
Publicador Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva
Extensão 40-43
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0102-67202013000100009
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S0102-67202013000100009 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/7676

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S0102-67202013000100009.pdf
Tamanho: 181.8KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta