Avaliação do vínculo mãe-filho e saúde mental de mães de crianças com deficiência intelectual

Avaliação do vínculo mãe-filho e saúde mental de mães de crianças com deficiência intelectual

Título alternativo Evaluation of boding between mother and child and mothers' mental health of children with mental illness
Autor Mäder, Custódia Virgínia De Nóbrega Google Scholar
Monteiro, Vera Lúcia De Alencar Google Scholar
Spada, Patricia Vieira Autor UNIFESP Google Scholar
Nóbrega, Fernando José De Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais Serviço de Estimulação e Habilitação
Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo OBJECTIVE: To verify and evaluate the mother-child bond and mental health of mothers of children with intellectual disabilities. METHODS: A total of 74 mothers of children aged up to 7 years participated. Data collection was made through interviews. Evaluation tools were Mother-Child Bonding Evaluation Protocol and Self-Report Questionnaire. We used statistical analysis χ² and Student-t tests. A 5%-level of rejection of the null hypothesis was set. RESULTS: There were no significant results between the average maternal ages, between bond and schooling, nor time of marriage and social status. The percentage of low social condition mothers with weak bond were 38.7% and in high condition, 68.8%. CONCLUSION: The occurrence of weak bond is associated with the Self-Report Questionnaire and socio-cultural conditions. That is, mothers with alteration in the Self-Report Questionnaire are more likely to develop mental disorders, weak bond with their children, the same occurring with the mothers in the most privileged social conditions.

OBJETIVO: Conhecer e avaliar o vínculo mãe-filho e a saúde mental de mães de crianças com deficiência intelectual. MÉTODOS: Participaram 74 mães de crianças de até 7 anos com deficiência intelectual. A coleta de dados foi realizada por meio de entrevistas. Os instrumentos utilizados foram o Protocolo de Avaliação do Vínculo Mãe-Filho e o Self-Report Questionnaire. Para estatística, foram utilizados os testes de χ² e t de Student. Fixou-se em 5% o nível de rejeição da hipótese de nulidade. RESULTADOS: Não houve diferença significativa entre as médias das idades maternas, entre vínculo e escolaridade e nem entre tempo de união e condição social. A porcentagem de mães com vínculo fraco na condição socioeconômica baixa foi de 38,7% e na condição socioeconômica alta de 68,8%. CONCLUSÃO: A ocorrência de fraco vínculo está associada ao Self-Report Questionnaire e às condições socioculturais. Ou seja, mães com alteração no Self-Report Questionnaire têm maior probabilidade de desenvolver distúrbios mentais e maior chance de apresentar fraco vínculo com o filho, o mesmo ocorrendo com as mães nas condições sociais mais privilegiadas.
Palavra-chave Mother-child relations
Maternal welfare
Intellectual disability
Relações mãe e filho
Bem-estar materno
Deficiência intelectual
Idioma Português
Data de publicação 2013-03-01
Publicado em Einstein (São Paulo). Instituto Israelita de Ensino e Pesquisa Albert Einstein, v. 11, n. 1, p. 63-70, 2013.
ISSN 1679-4508 (Sherpa/Romeo)
Publicador Instituto Israelita de Ensino e Pesquisa Albert Einstein
Extensão 63-70
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S1679-45082013000100012
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S1679-45082013000100012 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/7663

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S1679-45082013000100012.pdf
Tamanho: 294.2KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta