The relationship between shift work and sleep patterns in nurses

The relationship between shift work and sleep patterns in nurses

Título alternativo Relação entre trabalho por turnos e padrões de sono em enfermeiros
Autor De Martino, Milva Maria Figueiredo Autor UNIFESP Google Scholar
Abreu, Ana Cristina Basto Google Scholar
Barbosa, Manuel Fernando Dos Santos Google Scholar
Teixeira, João Eduardo Marques Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Universidade do Porto Faculdade de Psicologia e Ciências Educationais Laboratório de Neuropsicofisiologia
Resumo The scope of this study was to evaluate the sleep/wake cycle in shift work nurses, as well as their sleep quality and chronotype. The sleep/wake cycle was evaluated by keeping a sleep diary for a total of 60 nurses with a mean age of 31.76 years. The Horne & Östberg Questionnaire (1976) for the chronotype and the Pittsburgh Sleep Quality Index (PSQI) for sleep quality were applied. The results revealed a predominance of indifferent chronotypes (65.0%), followed by moderately evening persons (18.3%), decidedly evening persons (8.3%), moderately morning persons (6.6%) and decidedly morning persons (1.8%). The sleep quality perception was analyzed by the visual analogical scale, showing a mean score of 5.85 points for nighttime sleep and 4.70 points for daytime sleep, which represented a statistically significant difference. The sleep/wake schedule was also statistically different when considering weekdays and weekends. The PSQI showed a mean of 7.0 points, characterizing poor sleep quality. The results showed poor sleep quality in shift work nurses, possibly due to the lack of sport and shift work habits.

Este estudo teve como objectivo analisar o ciclo vigília-sono em enfermeiros que trabalham por turnos, bem como a qualidade do sono e cronótipo. O ciclo vigília-sono foi avaliado através do diário de sono, num total de 60 enfermeiros, com idade média de 31.76 anos. Para o cronótipo utilizou-se o Questionário de Horne e Östberg, de 1976, e para medir a qualidade de sono calculou-se o Índice Qualidade de Sono de Pittsburg (PSQI). Os resultados do cronótipo mostraram uma predominância para tipo indiferente (65.0%), seguido do tipo Moderamente Vespertinos (18.3%), Definitivamente Vespertino (8.3%), Moderadamente Matutinos (6.6%) e Definitivamente Matutinos (1.8%). A percepção da qualidade do sono autorreportada pela Escala Analógica Visual (VAS) foi de 5.85 pontos, em média, para o sono nocturno e 4.70 para o sono diurno, diferença estatisticamente significativa. Os participantes demonstraram que o tempo de acordar e adormecer durante a semana e o fim-de-semana foram estatisticamente diferentes. No PSQI obteve-se uma média de 7.0 pontos, caracterizando o sono como de má qualidade. Os dados permitiram classificar o sono dos enfermeiros como de má qualidade. A falta de hábitos desportivos e o esquema de trabalho em turnos poderão ter influenciado na qualidade de sono.
Palavra-chave Sleep
Shift work
Nurses
Circadian rhythm
Worker's health
Sono
Trabalho em turnos
Enfermeiros
Ritmo circadiano
Saúde do trabalhador
Idioma Inglês
Data de publicação 2013-03-01
Publicado em Ciência & Saúde Coletiva. ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva, v. 18, n. 3, p. 763-768, 2013.
ISSN 1413-8123 (Sherpa/Romeo, fator de impacto)
Publicador ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Extensão 763-768
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232013000300022
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
Web of Science WOS:000316961500022
SciELO S1413-81232013000300022 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/7647

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S1413-81232013000300022.pdf
Tamanho: 88.02KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta