Ultra-sonografia transvaginal com doppler colorido para seleção das pacientes para tratamento conservador da gravidez ectópica íntegra

Ultra-sonografia transvaginal com doppler colorido para seleção das pacientes para tratamento conservador da gravidez ectópica íntegra

Título alternativo Transvaginal ultrasonography with color doppler to select the patients for conservative treatment of unruptured ectopic pregnancy
Autor Elito Junior, Julio Autor UNIFESP Google Scholar
Reichmann, André Autor UNIFESP Google Scholar
Nakamura, Mary Uchiyama Autor UNIFESP Google Scholar
Camano, Luiz Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo Purpose: to evaluate the efficacy of color Doppler in the prediction of results of the systemic treatment of unruptured ectopic pregnancy with a single dose of methotrexate. Methodology: twenty patients with a diagnosis of ectopic pregnancy were included in the study. The inclusion criteria were: hemodynamic stability, adnexal mass < 5.0 cm and decline of the titers of beta-hCG less than 15% in an interval of 24 h. The exclusion criteria were hepatic or renal disease and blood dyscrasias. Follow-up was by serial determinations of beta-hCG on days 4 and 7 after the beginning of the treatment, and weekly until the titers were negative. The patients were classified into 3 groups according to color Doppler: high risk (trophoblastic flow covering more than 2/3 of the mass), medium risk (when trophoblastic flow compromised 1/3 to 2/3 of tubal mass) and low risk (when trophoblastic flow covered less than 1/3 of the mass). Results: the success of the treatment with a single dose was 75% (15/20); when a second dose of MTX was used, the success rate was 85%. When comparing color Doppler with the results of the medical treatment, we had high risk in 4 patients and in all the treatment failed; medium and low risk in 16 patients, and in 15 the treatment was successful. Conclusion: color Doppler showing high risk indicated an unfavorable situation for the medical treatment with MTX, while medium and low risk in color doppler were favorable situations for the clinical treatment. However, these results should always be analyzed in association with the evolution curve of the beta-hCG titers.

Objetivo: avaliar a eficiência da ultra-sonografia (US) transvaginal com Doppler colorido para a previsão dos resultados do tratamento sistêmico da gravidez ectópica íntegra com dose única de metotrexato. Pacientes e método: vinte pacientes com diagnóstico de gravidez ectópica foram incluídas no estudo. Os critérios de inclusão foram: estabilidade hemodinâmica, massa anexial com diâmetro < 5,0 cm e queda dos títulos de beta-hCG inferior a 15% num intervalo de 24 horas. Foram excluídas as pacientes que apresentaram doença hepática ou renal ou discrasias sangüíneas. O acompanhamento foi realizado com dosagens seriadas de beta-hCG nos dias 4 e 7 após instituído o tratamento, e semanalmente até que os títulos de beta-hCG se tornassem negativos. As pacientes foram classificadas em três conjuntos, conforme a US com doppler colorido: elevado risco (fluxo trofoblástico acometendo mais de 2/3 da massa anexial), médio risco (quando o fluxo trofoblástico comprometia de 1/3 a 2/3 do anel tubário) e de baixo risco (fluxos que acometiam menos de 1/3 da massa anexial). Resultados: o sucesso do tratamento com dose única de MTX foi de 75% (15 pacientes); quando empregamos uma segunda dose, a percentagem de bons resultados foi de 85%. Confrontamos os resultados obtidos pela US transvaginal e Doppler colorido com o sucesso e o insucesso da terapêutica. Observamos que, das 20 pacientes, 4 apresentaram Doppler de elevado risco e todas evoluíram com fracasso, ao passo que em 16 casos o Doppler foi classificado como de médio ou baixo risco, sendo que destes 15 evoluíram com sucesso. Conclusão: a ultra-sonografia transvaginal com Doppler colorido classificado como de elevado risco indica situação desfavorável para o tratamento medicamentoso da gravidez ectópica com dose única de metotrexato, ao passo que o Doppler de médio e baixo risco indica situação favorável para o tratamento clínico, porém estes resultados devem sempre ser analisados em conjunto com a curva de evolução dos títulos de beta-hCG.
Palavra-chave Ultrasound
Dopplervelocimetry
Ectopic pregnancy
Ultra-sonografia
Dopplervelocimetria
Gravidez ectópica
Quimioterapia
Idioma Português
Data de publicação 1999-04-01
Publicado em Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia. Federação Brasileira das Sociedades de Ginecologia e Obstetrícia, v. 21, n. 3, p. 153-157, 1999.
ISSN 0100-7203 (Sherpa/Romeo)
Publicador Federação Brasileira das Sociedades de Ginecologia e Obstetrícia
Extensão 153-157
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0100-72031999000300006
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S0100-72031999000300006 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/760

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S0100-72031999000300006.pdf
Tamanho: 611.6KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta