Transmissão vertical do HIV em população atendida no serviço de referência

Transmissão vertical do HIV em população atendida no serviço de referência

Título alternativo Vertical transmission of HIV in the population treated at a reference center
Autor Rodrigues, Sueli Teresinha Cruz Autor UNIFESP Google Scholar
Vaz, Maria José Rodrigues Autor UNIFESP Google Scholar
Barros, Sonia Maria Oliveira de Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de Alagoas
Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo OBJECTIVE: To identify the rate of vertical transmission of HIV and assess the factors involved in maternal and fetal share. METHODS: Cross-sectional study conducted in the Specialized Care Service. We investigated 102 clinical records of HIV positive women who had given birth to live newborns. The primary variable was the occurrence of vertical transmission of HIV and the secondary variables were the factors associated with vertical transmission of HIV. RESULTS: Prevalence of 6.6% of vertical transmission. Among the infected children: 40.0% of mothers with out prenatal care and 75% without prophylaxis with antiretroviral drugs during the prenatal, 50.0% without AZT prophylaxis with oral and breast-fed. Among the uninfected children: 91.5% were started on prophylaxis with oral AZT at birth and 84.1% of mothers received ARV delivery. CONCLUSION: The occurrence of vertical transmission of HIV in the reference service corresponded to 6.6%, indicating a high prevalence.

OBJETIVO: Identificar a taxa de transmissão vertical do HIV e avaliar os fatores envolvidos em partes materna e fetal. MÉTODOS: Estudo transversal realizado no Serviço de Atendimento Especializado. Foram investigados 102 prontuários de mulheres com HIV que deram à luz a recém-nascidos vivos. RESULTADOS: A prevalência de 6,6% de transmissão vertical. Entre as crianças infectadas: 40,0% de mães sem pré-natal e 75% sem a profilaxia com anti-retrovirais durante o pré-natal, 50,0% sem profilaxia com AZT com oral e amamentado. Entre as crianças não infectadas: 91,5% iniciaram a profilaxia com AZT oral ao nascimento e 84,1% das mães receberam ARV. CONCLUSÃO: A ocorrência de transmissão vertical do HIV no serviço de referência correspondeu a 6,6%, o que indica uma alta prevalência.
Palavra-chave Obstetric nursing
Nursing care
Acquired immunodeficiency syndrome
HIV infeccions
Enfermagem obstétrica
Cuidados de enfermagem
Síndrome da imunodeficiência adquirida
Infecções por HIV
Idioma Português
Data de publicação 2013-01-01
Publicado em Acta Paulista de Enfermagem. Escola Paulista de Enfermagem, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), v. 26, n. 2, p. 158-164, 2013.
ISSN 0103-2100 (Sherpa/Romeo, fator de impacto)
Publicador Escola Paulista de Enfermagem, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 158-164
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0103-21002013000200009
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
Web of Science WOS:000320919000009
SciELO S0103-21002013000200009 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/7564

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S0103-21002013000200009-en.pdf
Tamanho: 495.7KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo
Nome: S0103-21002013000200009-pt.pdf
Tamanho: 497.3KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta