AZT on telomerase activity and cell proliferation in HS 839.T melanoma cells

AZT on telomerase activity and cell proliferation in HS 839.T melanoma cells

Título alternativo AZT na atividade da telomerase e na proliferação de células de melanoma HS 839.T
Autor Souza Sobrinho, Celestino Prospero de Autor UNIFESP Google Scholar
Gragnani, Alfredo Autor UNIFESP Google Scholar
Santos, Ivan Dunshee de Abranches Oliveira Autor UNIFESP Google Scholar
Oliveira, Andrea Fernandes Google Scholar
Lipay, Monica Vanucci Nunes Autor UNIFESP Google Scholar
Ferreira, Lydia Masako Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo PURPOSE: To evaluate telomerase activity and proliferation of HS839.T melanoma cells, subjected to the action of AZT. METHODS: Cells were grown in triplicate, AZT at different concentrations: 50, 100 and 200μM, was added and left for 24 and 48 hours, and its effects were compared with the control group. Telomerase activity was detected by PCR and cell proliferation was evaluated by MTT. RESULTS: After 24 hours, there was no inhibition of cell proliferation or telomerase activity when compared to the control group. After 48 hours, there was a momentary decrease, suggesting that the cell lines used in this study are sensitive to AZT, but quickly recover both the enzyme activity and cell proliferation. CONCLUSION: The action of AZT on the melanoma cells studied, at the concentrations and times tested, did not inhibit telomerase activity nor affect cell proliferation.

OBJETIVO: Avaliar a atividade da telomerase e da proliferação de células de melanoma HS839.T submetidas à ação do AZT. MÉTODOS: As células foram cultivadas, em triplicata, com diferentes concentrações de AZT: 50, 100 e 200µM, por 24h e 48h, seus efeitos comparados com o grupo controle. A atividade da telomerase foi detectada por PCR e a proliferação celular avaliada por MTT. RESULTADOS: No tempo de 24 horas, não houve inibição da proliferação celular e da atividade da telomerase em comparação com o grupo controle. No período de 48 horas, houve uma diminuição momentânea, sugerindo que as células das linhagens utilizadas neste estudo são sensíveis ao AZT, mas que recuperam a atividade enzimática e proliferativa. CONCLUSÃO: Nas células de melanoma HS839.T estudadas e nas concentrações e tempos propostos, a ação do AZT não inibiu a atividade da telomerase e não afetou a proliferação celular.
Palavra-chave Telomerase
Melanoma
Zidovudine
Cell Proliferation
In Vitro
Telomerase
Melanoma
Zidovudina
Proliferação de Células
In Vitro
Idioma Inglês
Data de publicação 2012-12-01
Publicado em Acta Cirurgica Brasileira. Sociedade Brasileira para o Desenvolvimento da Pesquisa em Cirurgia, v. 27, n. 12, p. 855-860, 2012.
ISSN 0102-8650 (Sherpa/Romeo, fator de impacto)
Publicador Sociedade Brasileira para o Desenvolvimento da Pesquisa em Cirurgia
Extensão 855-860
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0102-86502012001200005
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
Web of Science WOS:000311807400005
SciELO S0102-86502012001200005 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/7480

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S0102-86502012001200005.pdf
Tamanho: 796.8KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta