Diabetes mellitus e intolerância à glicose são subdiagnosticados nas unidades de terapia intensiva

Diabetes mellitus e intolerância à glicose são subdiagnosticados nas unidades de terapia intensiva

Título alternativo Diabetes mellitus and impaired glucose tolerance are underdiagnosed in intensive care units
Autor Ladeira, Renata Teixeira Autor UNIFESP Google Scholar
Simioni, Ana Cinthia Marques Autor UNIFESP Google Scholar
Bafi, Antonio Tonete Autor UNIFESP Google Scholar
Nascente, Ana Paula Metran Autor UNIFESP Google Scholar
Freitas, Flavio Geraldo Rezende Autor UNIFESP Google Scholar
Machado, Flávia Ribeiro Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo OBJECTIVE: To evaluate the presence of diabetes mellitus and impaired glucose tolerance in intensive care unit inpatients. METHODS: The study included patients in post-surgical care for elective and emergency surgery and excluded those patients with known diabetes mellitus. To diagnose prior serum glucose level disorders, we considered the value of glycated hemoglobin (HbA1c) at the time of admission, classifying the patients as normal (<5.7%), glucose intolerant (5.7-6.4%) or diabetic (>6.4%). During the first 3 days of the patient's hospital stay, glycemic control and clinical complications were assessed. Mortality was monitored for 28 days. For the statistical analyses, chi-square, ANOVA, student's t, Kruskal-Wallis or Mann Whitney tests were used. RESULTS: Thirty patients were included in the present study, 53% of whom were women; the patients had a mean age of 53.4±19.7 years and an APACHE II score of 13.6±6.6. The majority of patients were admitted for severe sepsis or septic shock followed by post-operative care for elective surgery, oncological surgery, multiple traumas and emergency surgery. When classifying these patients according to HbA1c, despite the absence of a prior history of diabetes mellitus, only 13.3% had a normal HbA1c level, 23.3% had levels compatible with the diagnosis of diabetes mellitus and 63.3% had levels compatible with impaired glucose tolerance. We found a significant association between the diagnosis of diabetes mellitus or impaired glucose tolerance and the use of vasoactive drugs (p=0.04). CONCLUSION: A high prevalence of undiagnosed diabetes mellitus and impaired glucose tolerance was observed in inpatients at a general intensive care unit.

OBJETIVO: Avaliar a presença de diabetes mellitus e a intolerância à glicose em pacientes internados em unidades de terapia intensiva. MÉTODOS: Foram incluídos pacientes clínicos, em pós-operatório de cirurgias eletivas e de urgência, e excluídos aqueles com história de diabetes mellitus. Para o diagnóstico de alterações prévias da glicemia, utilizou-se a dosagem da hemoglobina glicada (HbA1c) na admissão do paciente, sendo classificado em normal (<5,7%), intolerante à glicose (5,7-6,4%) ou diabético (>6,4%). Durante os 3 primeiros dias da internação, foram avaliados o controle glicêmico e as complicações clínicas. A evolução para óbito foi acompanhada por 28 dias. Para as análises estatísticas, utilizaram-se testes do qui-quadrado, ANOVA, teste t de Student, Kruskall-Wallis ou Mann Whitney. RESULTADOS: Foram incluídos 30 pacientes, 53% do gênero feminino, idade de 53,4±19,7 anos e APACHE II de 13,6±6,6. A maioria dos pacientes foi admitida por sepse grave ou choque séptico, seguido por pós-operatório de cirurgias eletivas, oncológicas, politraumatismo e cirurgia de urgência. Ao classificar esses pacientes segundo a HbA1c, apesar da ausência prévia de história de diabetes mellitus, apenas 13,3% tinham HbA1c normal, 23,3% tinham níveis compatíveis com o diagnóstico de diabetes mellitus e 63,3% eram compatíveis com intolerância à glicose. Houve associação significativa entre o diagnóstico de diabetes mellitus ou intolerância a glicose e o uso de droga vasoativa (p=0,04). CONCLUSÃO: Foi encontrada alta prevalência de diabetes mellitus e intolerância à glicose, sem diagnóstico prévio, em pacientes internados em uma unidade de terapia intensiva geral.
Palavra-chave Glucose metabolism disorders
Diabetes mellitus
Hyperglycemia
Intensive care
Hemoglobina A, glycosylated
Catecholamines
Transtornos do metabolismo da glucose
Diabetes mellitus
Hiperglicemia
Terapia intensiva
Hemoglobina A glicosilada
Catecolaminas
Idioma Português
Data de publicação 2012-12-01
Publicado em Revista Brasileira de Terapia Intensiva. Associação de Medicina Intensiva Brasileira - AMIB, v. 24, n. 4, p. 347-351, 2012.
ISSN 0103-507X (Sherpa/Romeo)
Publicador Associação de Medicina Intensiva Brasileira - AMIB
Extensão 347-351
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0103-507X2012000400009
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S0103-507X2012000400009 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/7440

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S0103-507X2012000400009.pdf
Tamanho: 266.3KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta