Medida do fluxo intraoperatório com fluxômetro TTFM nos enxertos coronários: resultados de amostra nacional

Medida do fluxo intraoperatório com fluxômetro TTFM nos enxertos coronários: resultados de amostra nacional

Título alternativo Intraoperative coronary grafts flow measurement using the TTFM flowmeter: results from a domestic sample
Autor Succi, José Ernesto Autor UNIFESP Google Scholar
Gerola, Luís Roberto Autor UNIFESP Google Scholar
Succi, Guilherme de Menezes Google Scholar
Kim, Hyong Chun Autor UNIFESP Google Scholar
Paredes, Jorge Edwin Morocho Google Scholar
Buffolo, Enio Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Hospital Bandeirantes
Instituto de Cardiologia Dante Pazzanese
Resumo OBJECTIVE: To evaluate intraoperative graft patency and identify grafts under risk of early occlusion. METHODS: Fifty four patients were submitted to coronary artery bypass surgery and the graft flow was assessed by the Flowmeter (Medtronic Medistim), which utilizes the TTFM method. Three patients had left main disease and 48 had normal or mildly reduced left ventricular function. RESULTS: In hospital mortality was 3.7% (two patients), one for mesenteric thrombosis and one due to cardiogenic chock. Seventeen patients (34%) were submitted to off pump CABG. Arterial Graft flow measures ranged from 8 to 106 ml/min (average 31.14 ml/min), and venous grafts flow ranged from 9 to 149 ml/min (average 50.42 ml/min). CONCLUSION: Flowmeter use represents higher safety both for patients and surgeons. Even under legal aspects, the documentation provided by the device can avoid future questionings.

OBJETIVO: Avaliar a perviedade dos enxertos no intraoperatório e identificar enxertos com risco de oclusão precoce. MÉTODOS: Cinquenta e quatro pacientes foram submetidos à revascularização do miocárdio e foi utilizado o fluxômetro (Medtronic Medi-Stim) que utiliza o método de tempo de trânsito (TTFM) para avaliação do fluxo nos enxertos. Três pacientes tinham lesão de tronco de artéria coronária esquerda e 48 apresentavam função ventricular normal ou pouco comprometida. RESULTADOS: A mortalidade hospitalar foi de dois (3,7%) pacientes, um por trombose mesentérica e outro por choque cardiogênico. Dezessete (31,4%) pacientes foram operados sem circulação extracorpórea (CEC). O fluxo no enxerto arterial variou de 8 a 106 ml/min, com média de 31,14 ml/min, e nos enxertos venosos de 9 a 149 ml/min, com média de 50,42 ml/min. CONCLUSÃO: O fluxômetro representa maior segurança para o cirurgião e para o paciente. Até mesmo sob o aspecto legal essa documentação dos enxertos pérvios evitará questionamentos futuros.
Palavra-chave Flowmeters
Myocardial revascularization
Coronary artery bypass
Angina pectoris
Fluxômetros
Revascularização miocárdica
Ponte de artéria coronária
Angina pectoris
Idioma Português
Data de publicação 2012-09-01
Publicado em Revista Brasileira de Cirurgia Cardiovascular. Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular, v. 27, n. 3, p. 401-404, 2012.
ISSN 0102-7638 (Sherpa/Romeo, fator de impacto)
Publicador Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular
Extensão 401-404
Fonte http://dx.doi.org/10.5935/1678-9741.20120068
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
Web of Science WOS:000311686800010
SciELO S0102-76382012000300010 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/7305

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S0102-76382012000300010.pdf
Tamanho: 24.64KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta