Relations between Depression, Alcohol and Gender in the Metropolitan Region of São Paulo, Brazil

Relations between Depression, Alcohol and Gender in the Metropolitan Region of São Paulo, Brazil

Título alternativo Relações entre depressão, álcool e gênero na região metropolitana de São Paulo, Brasil
Autor Prado, Juliana De Almeida Google Scholar
Kerr-corrêa, Florence Google Scholar
Lima, Maria Cristina Pereira Google Scholar
Silva, Giovanni Gurgel Aciole Da Autor UNIFESP Google Scholar
Santos, Jair Lício Ferreira Google Scholar
Instituição Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Universidade de São Paulo (USP)
Resumo As part of the GENACIS project, this paper sought to assess the prevalence of depression in an urban sample in the city of São Paulo, Brazil, as well as the association between depression and alcohol abuse according to gender. To achieve this, an epidemiological survey was conducted using a stratified probability sample, including 2,083 adults. CIDI SF was used to identify depression. The Rao Scott test and multivariate logistic regression were used for statistical analysis. The response rate was 74.9%. Females (58.3%) under 40 years of age (52%) were predominant. The prevalence of depression was 28.3% for women and 12.7% for men. Most men declared being drinkers (61.1%) in the last year. Depression was associated with an alcohol drinking pattern, mostly binge drinking, in addition to the occurrence of problems derived from alcohol use. Most women declared being abstainers (69.5%). Depression was associated with cohabiting with spouses with alcohol-related problems. Results reveal that the association between depression and alcohol consumption is distinct between genders.

Como parte do projeto GENACIS, este artigo visou estimar a prevalência de depressão em amostra urbana de São Paulo, Brasil, assim como a associação entre depressão e padrão de uso de álcool segundo gênero. Para tanto, foi realizado inquérito epidemiológico com amostra probabilística e por conglomerados, com um total de 2083 adultos. Utilizou-se o CIDI SF para identificação de depressão. A análise estatística utilizou o teste de Rao Scott e regressão logística multivariada. A taxa de resposta foi de 74,9%. Predominaram mulheres (58,8%), menores de 40 anos de idade (52%). A prevalência de depressão foi de 28,3% para as mulheres e 12,7% para os homens. Entre os homens, 61,1% são de bebedores no último ano e a depressão esteve associada ao padrão de consumo de álcool, à maior frequência de binge drinking e à presença de problemas decorrentes do álcool. Entre as mulheres, 69,5% são abstinentes e a depressão se associou à convivência com cônjuge com problemas devidos ao álcool. Os resultados ressaltam que a associação entre depressão e consumo de álcool é distinta entre os gêneros.
Palavra-chave Depression
Alcohol
Gender
Epidemiological survey
Depressão
Álcool
Gênero
Levantamento epidemiológico
Idioma Inglês
Data de publicação 2012-09-01
Publicado em Ciência & Saúde Coletiva. ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva, v. 17, n. 9, p. 2425-2434, 2012.
ISSN 1413-8123 (Sherpa/Romeo)
Publicador ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Extensão 2425-2434
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232012000900023
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S1413-81232012000900023 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/7292

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S1413-81232012000900023.pdf
Tamanho: 126.7KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta