Realce Tardio miocárdico por Ressonância Magnética Cardíaca pode identificar risco para Taquicardia Ventricular na Cardiopatia Chagásica Crônica

Realce Tardio miocárdico por Ressonância Magnética Cardíaca pode identificar risco para Taquicardia Ventricular na Cardiopatia Chagásica Crônica

Título alternativo Delayed enhancement cardiac magnetic resonance Imaging can identify the risk for ventricular tachycardia in chronic Chagas' heart disease
Autor Mello, Ronaldo Peixoto De Google Scholar
Szarf, Gilberto Autor UNIFESP Google Scholar
Schvartzman, Paulo Roberto Google Scholar
Nakano, Edson Minoru Autor UNIFESP Google Scholar
Espinosa, Mariano Martinez Google Scholar
Szejnfeld, Denis Autor UNIFESP Google Scholar
Fernandes, Verônica Google Scholar
Lima, João A. C. Google Scholar
Cirenza, Claudio Autor UNIFESP Google Scholar
De Paola, Angelo Amato Vincenzo Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Hospital e Pronto Socorro Municipal de Cuiabá Departamento de Cardiologia
Universidade Federal de Mato Grosso Departamento de Matemática
Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Hospital Moinhos de Vento Serviço de Radiologia
Hospital Johns Hopkins Divisão de Cardiologia
Resumo BACKGROUND: Invasive and non-invasive tests have been used to identify the risk of ventricular tachycardia (VT) in patients with chronic Chagas' heart disease (CCHD). Cardiac magnetic resonance imaging (CMRI) using the delayed enhancement (DE) technique can be useful to select patients with global or segmentary ventricular dysfunction, with high degree of fibrosis and at higher risk for clinical VT. OBJECTIVE: To improve the identification of predictors of VT in patients with CCHD. METHOD: This study assessed 41 patients with CCHD [30 (72%) males; mean age, 55.1 ± 11.9 years]. Twenty-six patients had history of VT (VT group), and 15 had no VT (NVT group). All patients enrolled had DE and segmentary ventricular dysfunction. In each case, the following variables were determined: left ventricular volume; percentage of ventricular wall thickness impairment in each segment; and DE distribution. RESULTS: No statistical difference regarding the DE volume between both groups was observed: VT group = 30.0 ± 16.2%; NVT group = 21.7 ± 15.7%; p = 0.118. The probability of VT was greater in the presence of two or more contiguous transmural fibrosis areas, and that was a predictive factor of clinical VT (RR 4.1; p = 0,04). Agreement between observers was 100% regarding that criterion (p < 0.001). CONCLUSION: The identification of two or more segments of transmural DE by use of CMRI is associated with the occurrence of clinical VT in patients with CCHD. Thus, CMRI improved risk stratification in the population studied. (Arq Bras Cardiol. 2012; [online].ahead print, PP.0-0)

FUNDAMENTO: Testes invasivos e não invasivos têm sido usados para identificar risco para Taquicardia Ventricular (TV) em pacientes com Cardiopatia Chagásica Crônica (CCC). Ressonância Magnética Cardíaca (RMC) pela técnica do Realce Tardio (RT) pode ser útil para selecionar pacientes com disfunção ventricular global ou segmentar, com alto grau de fibrose e maior risco para TV clínica. OBJETIVO: Melhorar a identificação de elementos preditivos de TV em pacientes com CCC. MÉTODO: Quarenta e um pacientes com CCC foram pesquisados, sendo 30 (72%) do sexo masculino, com média de idade de 55,1 ± 11,9 anos. Vinte e seis pacientes apresentavam histórico de TV (grupo TV), e 15 não apresentavam TV (grupo NTV). Todos os pacientes incluídos tinham RT e disfunção segmentar ventricular. Volume, porcentagem de comprometimento da espessura da parede ventricular em cada segmento, e distribuição de RT foi determinado em cada caso. RESULTADOS: Não houve diferença estatística em termos de volume de RT entre os dois grupos: grupo TV = 30,0 ± 16,2%; grupo NTV = 21,7 ± 15,7%; p = 0,118. A probabilidade de TV foi maior se duas ou mais áreas contíguas de fibrose transmural estivessem presentes, sendo um fator preditor de TV clínica (RR 4,1; p = 0,04). A concordância entre os observadores foi de 100% nesse critério (p < 0,001). CONCLUSÃO: A identificação de dois ou mais segmentos de RT transmural por RMC está associado com a ocorrência de TV clínica em pacientes com CCC. Portanto, a RMC melhora a estratificação de risco na população estudada. (Arq Bras Cardiol. 2012; [online].ahead print, PP.0-0)
Palavra-chave Tachycardia
ventricular
chagas' cardiomyopathy
magnetic resonance
spectroscopy
Taquicardia ventricular
cardiomiopatia chagásica
espectroscopia de ressonância magnética
Idioma Português
Data de publicação 2012-05-01
Publicado em Arquivos Brasileiros de Cardiologia. Sociedade Brasileira de Cardiologia - SBC, v. 98, n. 5, p. 421-430, 2012.
ISSN 0066-782X (Sherpa/Romeo, fator de impacto)
Publicador Sociedade Brasileira de Cardiologia - SBC
Extensão 421-430
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0066-782X2012005000031
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
Web of Science WOS:000307501200011
SciELO S0066-782X2012000500007 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/7095

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S0066-782X2012000500007-en.pdf
Tamanho: 5.050MB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo
Nome: S0066-782X2012000500007-pt.pdf
Tamanho: 39.98MB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta