Eficácia da avaliação audiométrica no tratamento medicamentoso da otospongiose

Eficácia da avaliação audiométrica no tratamento medicamentoso da otospongiose

Título alternativo The effectiveness of audiometric evaluation in drug treatment for otospongiosis
Autor Vicente, Andy de Oliveira Google Scholar
Yamashita, Helio Kiitiro Autor UNIFESP Google Scholar
Cruz, Oswaldo Laércio Mendonça Autor UNIFESP Google Scholar
Suzuki, Flavia Alencar de Barros Autor UNIFESP Google Scholar
Penido, Norma de Oliveira Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Instituto Cema
Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo Otospongiosis is a primary osteodystrophy of the otic capsule that affects genetically predisposed individuals and leads to a progressive hearing loss. AIM: To evaluate the applicability of audiometric evaluation during drug treatment for otospongiosis. MATERIALS AND METHODS: A prospective, randomized, controlled, double-blind study involving 26 patients with clinical, audiometric and CT scan image of otosclerosis. Patients eligible for the study were divided into three groups (A, B and C) and received treatment with alendronate sodium (B), sodium fluoride (C) and placebo (A) for 6 months. After this period they were submitted to new tests. RESULTS: There were not statistically significant differences between air and bone conduction (gap). We also found no differences in the speech recognition threshold (SRT) and speech discrimination (IRF) between before and after treatment. CONCLUSION: After six months of drug treatment the audiometric evaluation kept the same hearing thresholds, suggesting stabilization of the otospongiotic lesions.

A otospongiose é uma osteodistrofia focal primária da cápsula ótica que acomete indivíduos geneticamente predispostos e promove perda auditiva progressiva. OBJETIVO: Verificar a aplicabilidade da avaliação audiométrica no tratamento medicamentoso da otospongiose. MATERIAL E MÉTODO: Estudo prospectivo, randomizado, controlado, duplo-cego, envolvendo 26 pacientes com diagnóstico clínico, audiométrico e tomográfico de otospongiose. Os pacientes elegíveis para o estudo foram alocados em três grupos (A, B e C) e receberam o tratamento com alendronato de sódio (B), fluoreto de sódio (C) e placebo (A) por 6 meses. Após este período, os mesmos realizaram nova avaliação audiométrica. RESULTADOS: Na análise das diferenças entre as vias aérea e óssea (gap), não houve diferença estatisticamente significante. Também não foram encontradas diferenças em relação ao limiar de reconhecimento da fala (SRT) e a discriminação vocal (IRF) entre os períodos pré e pós-tratamento. CONCLUSÃO: Após seis meses de tratamento medicamentoso, a avaliação audiométrica evidenciou manutenção dos limiares auditivos, sugerindo estabilização da atividade da lesão otospongiótica.
Palavra-chave audiometry
hearing loss
otosclerosis
audiometria
otosclerose
perda auditiva
Idioma Português
Data de publicação 2012-04-01
Publicado em Brazilian Journal of Otorhinolaryngology. Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cervicofacial, v. 78, n. 2, p. 73-79, 2012.
ISSN 1808-8694 (Sherpa/Romeo, fator de impacto)
Publicador Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cervicofacial
Extensão 73-79
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S1808-86942012000200012
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
Web of Science WOS:000302843100012
SciELO S1808-86942012000200012 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/7081

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S1808-86942012000200012-en.pdf
Tamanho: 293.1KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo
Nome: S1808-86942012000200012-pt.pdf
Tamanho: 311.1KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta