Osteossíntese da fratura do colo femoral: dois ou três parafusos?

Osteossíntese da fratura do colo femoral: dois ou três parafusos?

Título alternativo Osteosynthesis of femoral neck fractures: two or three screws?
Autor Basile, Ricardo Autor UNIFESP Google Scholar
Pepicelli, Gustavo Roberto Autor UNIFESP Google Scholar
Takata, Edmilson Takehiro Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo OBJECTIVES: To evaluate the efficacy of osteosynthesis on femoral neck fractures using two instead of three screws. METHODS: Thirtynine fractures were retrospectively evaluated, divided into groups in which two screws were used in parallel (n = 28) or three screws (n =11) in an inverted triangle configuration (in accordance with the AO technique). The patients were then followed up until reaching the outcome of either consolidation or failure. RESULTS: In the group in which two screws were used, consolidation was observed in 23 of the 28 fractures (82%). In the group in which three screws were used, consolidation was observed in 6 of the 11 fractures (55%). There was no statistically significant difference between these percentages. CONCLUSION: There was no difference in the prognosis for these fractures when treated using two screws in parallel or three screws in an inverted triangle in accordance with the AO technique. Further studies are needed in order to establish a definitive conclusion.

OBJETIVOS: Avaliar a eficácia da osteossíntese de fraturas do colo femoral com dois em vez de três parafusos. MÉTODOS: Avaliadas, retrospectivamente, 39 fraturas, divididas em grupos nos quais foram utilizados dois (n = 28) parafusos paralelos e três parafusos (n = 11) na configuração de triângulo invertido segundo a técnica AO. Os pacientes foram acompanhados até o desfecho: consolidação ou falha. RESULTADOS: No grupo em que se utilizou dois parafusos, observamos consolidação em 23 das 28 fraturas (82%). No grupo de três parafusos observou-se consolidação em seis das 11 fraturas (55%). Não houve diferença estatística entre os valores obtidos. CONCLUSÃO: Não houve diferença no prognóstico dessas fraturas quando tratadas com dois parafusos paralelos ou três parafusos em triângulo invertido segundo a técnica AO-ASIF. Mais estudos são necessários para estabelecer conclusão definitiva.
Palavra-chave Femoral Neck Fracures
Fracture Fixation, Internal
Bone Screws
Longitudinal Studies
Fraturas do Colo Femoral
Fixação Interna de Fraturas
Parafusos Ósseos
Estudos Longitudinais
Idioma Português
Data de publicação 2012-04-01
Publicado em Revista Brasileira de Ortopedia. Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia, v. 47, n. 2, p. 165-168, 2012.
ISSN 0102-3616 (Sherpa/Romeo)
Publicador Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia
Extensão 165-168
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0102-36162012000200004
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S0102-36162012000200004 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/7035

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S0102-36162012000200004.pdf
Tamanho: 259.7KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta