Esvaziamento cervical no carcinoma epidermoide de laringe: indicação de esvaziamento eletivo contralateral

Esvaziamento cervical no carcinoma epidermoide de laringe: indicação de esvaziamento eletivo contralateral

Título alternativo Neck dissection in squamous cell carcinoma of the larynx: indication of elective contralateral neck dissection
Autor Amar, Ali Autor UNIFESP Google Scholar
Chedid, Helma Maria Google Scholar
Franzi, Sergio Altino Google Scholar
Rapoport, Abrão Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Hospital Heliópolis
Universidade de São Paulo (USP)
Resumo Unilateral or bilateral neck dissection must be considered in the treatment of laryngeal cancer AIM: To evaluate the prevalence of contralateral metastases in larynx cancer and distribution of these metastases according to lymph node levels in the neck. METHOD: Retrospective longitudinal study of 272 charts from patients with squamous cell cancer of the larynx treated between 1996 and 2004; and we selected 104 surgical cases submitted to neck dissection. We evaluated the incidence of bilateral or contralateral metastases, according to the location and extension of the primary tumor, considering the anatomical sub-sites and the midline. RESULTS: Contralateral metastases in lateral tumors were observed in 3.5% of glottic lesions and in 26% of supraglottic lesions. Contralateral metastases were uncommon in N0 patients. Lymph nodes levels IIa and III were the most commonly involved in the neck. CONCLUSION: In lateral glottic tumors there is no need for elective contralateral neck dissection. In supraglottic lesions without ipsilateral metastases, the incidence of hidden metastasis does not justify elective contralateral dissection. The midline is not a reliable indicator of the risk of contralateral laryngeal tumors.

O planejamento terapêutico dos tumores da laringe inclui a possibilidade de esvaziamento cervical uni ou bilateral. OBJETIVO: Avaliar a prevalência e localização de metástases linfonodais bilaterais ou contralaterais nos tumores de laringe. CASUÍSTICA E MÉTODO: Estudo longitudinal retrospectivo de 272 prontuários de pacientes com carcinoma epidermoide de laringe tratados entre 1996 e 2004, selecionados 104 submetidos à cirurgia com esvaziamento cervical. Avaliada a incidência de metástases bilaterais ou contralaterais, de acordo com a localização e extensão do tumor primário, considerando os subsítios anatômicos e a linha mediana. RESULTADOS: A prevalência de metástases contralaterais nos tumores lateralizados foi de 3,5% nas lesões glóticas e 26% nas lesões supraglóticas. As metástases contralaterais foram infrequentes nos casos N0. Tanto no esvaziamento eletivo como no terapêutico, os níveis linfonodais IIa e III foram os mais acometidos. CONCLUSÃO: Nas lesões glóticas lateralizadas, mesmo nos tumores transglóticos, não há necessidade de esvaziamento contralateral eletivo. Nas lesões da supraglote sem metástases ipsilaterais, a incidência de metástases ocultas não justifica o esvaziamento eletivo contralateral. A linha mediana não é um indicador fidedigno do risco de metástases contralaterais nos tumores da laringe.
Palavra-chave carcinoma
squamous cell
larynx
neck dissection
carcinoma de células escamosas
esvaziamento cervical
laringe
Idioma Português
Data de publicação 2012-04-01
Publicado em Brazilian Journal of Otorhinolaryngology. Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cervicofacial, v. 78, n. 2, p. 7-10, 2012.
ISSN 1808-8694 (Sherpa/Romeo)
Publicador Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cervicofacial
Extensão 7-10
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S1808-86942012000200002
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S1808-86942012000200002 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/7031

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S1808-86942012000200002.pdf
Tamanho: 214.6KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta