Subconjunctival Loa loa worm: first case report in Brazil

Subconjunctival Loa loa worm: first case report in Brazil

Título alternativo Verme subconjuntival da espécie Loa loa: primeiro caso no Brasil
Autor Passos, Renato Magalhães Autor UNIFESP Google Scholar
Barbosa, Carolina Pelegrini Autor UNIFESP Google Scholar
Almeida, Juliana de Souza Google Scholar
Ogawa, Guilherme Maerschner Google Scholar
Camargo, Luis Marcelo Aranha Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Faculdade São Lucas Department of Medicine
Universidade de São Paulo (USP)
Resumo We report the first case of ocular infestation by Loa loa in Brazil. Loiasis is caused by infestation with Loa loa, a filarial parasite originally found in the rainforests of western and central Africa. It is transmitted by the bite of the fly Chrysops and has been recently described in other places other than Africa, in African immigrants or travellers. Our case is a 33 year-old woman from Cameroon who was living in São Paulo, Brazil, for 5 years. She was asymptomatic until one morning she started feeling something moving in the left eye. Under topical anesthesia, on the slit lamp, a moving worm was removed from the subconjunctival space, which later was confirmed to be a male Loa loa adult specimen. Blood tests revealed microfilaraemia of 129 mf/mL. The patient was treated with 400 mg oral albendazole for 3 weeks and 60 mg prednisone. This report illustrates an unusual ocular disease, which is extremely rare outside of Africa, but easily diagnosed and treated. Ophthalmologists should be aware of it, in face of an increasingly globalized world.

Este é o primeiro relato na literatura nacional e internacional de infestação ocular por Loa loa no Brasil. A loíase é uma filariose causada pelo parasita Loa loa, encontrado nas florestas tropicais da África equatorial. A transmissão se dá pela picada do mosquito Chrysops e casos têm sido descritos em países não africanos, em imigrantes e viajantes. O presente caso trata-se de uma paciente de 33 anos natural de Camarões e residente em São Paulo, Brasil, há 5 anos. Até então assintomática, uma manhã sentiu algo se mexendo em seu olho esquerdo. Sob anestesia tópica, na lâmpada de fenda, um verme altamente móvel foi removido do espaço subconjuntival e enviado para identificação, que confirmou tratar-se de um espécime macho adulto de Loa loa. Testes sanguíneos revelaram microfilaremia de 129 mf/mL. A paciente foi tratada com albendazol 400 mg e prednisona 60 mg esquema regressivo por 3 semanas. Este relato ilustra uma doença excepcionalmente rara no Brasil, e praticamente desconhecida dos oftalmologistas em nosso país.
Palavra-chave Loa
Loiasis
Conjunctival diseases
Eye infections, parasitic
Filariosis
Brazil
Case reports
Loa
Loíase
Doenças da túnica conjuntiva
Infecções oculares parasitárias
Filariose
Brasil
Relatos de casos
Idioma Inglês
Data de publicação 2012-02-01
Publicado em Arquivos Brasileiros de Oftalmologia. Conselho Brasileiro de Oftalmologia, v. 75, n. 1, p. 67-70, 2012.
ISSN 0004-2749 (Sherpa/Romeo, fator de impacto)
Publicador Conselho Brasileiro de Oftalmologia
Extensão 67-70
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0004-27492012000100015
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
Web of Science WOS:000303444800015
SciELO S0004-27492012000100015 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/6962

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S0004-27492012000100015.pdf
Tamanho: 568.5KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta