Influence of visceral and subcutaneous fat in bone mineral density of obese adolescents

Influence of visceral and subcutaneous fat in bone mineral density of obese adolescents

Título alternativo A influência da gordura visceral e subcutânea na densidade mineral óssea de adolescentes obesos
Autor Campos, Raquel Munhoz da Silveira Autor UNIFESP Google Scholar
Lazaretti-Castro, Marise Autor UNIFESP Google Scholar
Mello, Marco Tulio de Autor UNIFESP Google Scholar
Tock, Lian Autor UNIFESP Google Scholar
Silva, Patricia Leão Autor UNIFESP Google Scholar
Corgosinho, Flávia Campos Autor UNIFESP Google Scholar
Carnier, June Autor UNIFESP Google Scholar
Piano, Aline de Autor UNIFESP Google Scholar
Sanches, Priscila de Lima Autor UNIFESP Google Scholar
Masquio, Deborah Cristina Landi Autor UNIFESP Google Scholar
Tufik, Sergio Autor UNIFESP Google Scholar
Dâmaso, Ana Raimunda Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo OBJECTIVE: To verify the influence of visceral and subcutaneous fat, as well adipokines in bone mineral density (BMD) in obese adolescents. SUBJECTS AND METHODS: The study involved 125 postpubertal obese adolescents (45 boys and 80 girls). Anthropometric measurements, body composition, visceral and subcutaneous fat, and BMD were determined. Leptin, adiponectin, and insulin levels also analyzed. RESULTS: Data demonstrated a negative relationship between BMD with insulin resistance, visceral fat and leptin concentration; and bone mineral content with visceral/subcutaneous ratio. Positive association between BMD and subcutaneous fat was observed. CONCLUSIONS: Visceral fat and insulin resistance, as well as visceral/subcutaneous ratio and leptin concentration, were negative predictors of BMD in boys and girls, respectively. However, subcutaneous fat had a protective influence in BMD only in boys.

OBJETIVO: Verificar a influência da gordura visceral e subcutânea, assim como das adipocinas na densidade mineral óssea (DMO) em adolescentes obesos. SUJEITOS E MÉTODOS: O estudo envolveu 125 adolescentes obesos pós-púberes. Medidas antropométricas, composição corporal, gordura visceral e subcutânea e DMO foram determinadas. Níveis de leptina, adiponectina e insulina foram analisados. RESULTADOS:Os dados demonstraram associação negativa entre DMO com resistência insulínica, gordura visceral e concentração de leptina; e conteúdo mineral ósseo com a razão visceral/subcutânea. Associação positiva entre DMO e gordura subcutânea foi observada. CONCLUSÕES: Gordura visceral, resistência insulínica, razão visceral/subcutânea e concentração de leptina foram preditores negativos da DMO em meninos e meninas, respectivamente. Entretanto, a gordura subcutânea demonstrou exercer influência positivamente na DMO somente nos meninos.
Palavra-chave Adolescent
visceral fat
subcutaneous fat
bone mass
Adolescente
gordura visceral
gordura subcutânea
massa óssea
Idioma Inglês
Financiador Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP)
Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq)
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Data de publicação 2012-02-01
Publicado em Arquivos Brasileiros de Endocrinologia & Metabologia. Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, v. 56, n. 1, p. 12-18, 2012.
ISSN 0004-2730 (Sherpa/Romeo, fator de impacto)
Publicador Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia
Extensão 12-18
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0004-27302012000100003
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
Web of Science WOS:000301636400003
SciELO S0004-27302012000100003 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/6937

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S0004-27302012000100003.pdf
Tamanho: 1.854MB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta