Indicadores comportamentais de propensão ao homicídio em agressores sexuais

Indicadores comportamentais de propensão ao homicídio em agressores sexuais

Título alternativo Behavioral indicators of propensity to murder sex offenders
Autor Costa, Christian da Silva Autor UNIFESP Google Scholar
Mello, Marcelo Feijó de Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo OBJECTIVE: We evaluated the association between personality characteristics and type of rape (with or without the victim's death). METHODS: As a strategy to study, we used behavioral indicators that may be associated with antisocial personality in order to differentiate the externalizing behaviors of sex offenders who kill its victims. RESULTS: The sex offenders had externalizing behaviors related to antisocial personality. The group of individuals who committed rape resulting in death has these behavioral traits more prevalent later in life. CONCLUSION: We conclude that sex offenders, appear to have indicators that allow a deeper investigation in relation to antisocial personality, but those who kill their victims differ in their historical behavior of those who do not commit murder subsequent to the act of rape. Are indicators of behavioral propensity to murder sex offenders, are more commonly under the influence of alcohol/drugs during the act of rape, suicidality, premature start of criminal life and high impulsivity.

OBJETIVO: Avaliamos se existe associação entre características de personalidade e tipo de estupro cometido (com ou sem a morte da vítima). MÉTODOS: Como estratégias de estudo, utilizaram-se indicadores comportamentais que podem ser associados à personalidade antissocial, de modo a diferenciar os comportamentos externalizantes de agressores sexuais que matam ou não suas vítimas. RESULTADOS: Os agressores sexuais apresentaram comportamentos externalizantes relacionados à personalidade antissocial. O grupo de indivíduos que cometeu estupro seguido de morte tem esses traços comportamentais mais presentes no decorrer da vida. CONCLUSÃO: Concluímos que os agressores sexuais aparentam ter indicadores que permitem uma investigação mais profunda em relação à personalidade antissocial, mas aqueles que matam suas vítimas diferem quanto ao seu histórico comportamental daqueles que não cometem o homicídio subsequente ao ato de estupro. São indicadores comportamentais da propensão ao homicídio em agressores sexuais: estarem, mais comumente, sob os efeitos de álcool/drogas durante o ato de estupro, propensão ao suicídio, prematuridade de início da vida criminosa e alta impulsividade.
Palavra-chave Murder
rape
antisocial
violence
Homicídio
estupro
antissocial
violência
Idioma Português
Data de publicação 2012-01-01
Publicado em Jornal Brasileiro de Psiquiatria. Instituto de Psiquiatria da Universidade Federal do Rio de Janeiro, v. 61, n. 1, p. 33-38, 2012.
ISSN 0047-2085 (Sherpa/Romeo)
Publicador Instituto de Psiquiatria da Universidade Federal do Rio de Janeiro
Extensão 33-38
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0047-20852012000100007
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S0047-20852012000100007 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/6834

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S0047-20852012000100007.pdf
Tamanho: 1.022MB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta