Uso de ganciclovir 0,15% gel para tratamento de ceratoconjuntivite adenoviral

Uso de ganciclovir 0,15% gel para tratamento de ceratoconjuntivite adenoviral

Título alternativo Ganciclovir 0.15% ophthalmic gel in the treatment of adenovirus keratoconjuntivitis
Autor Yabiku, Simone Tiemi Autor UNIFESP Google Scholar
Yabiku, Mariann Midori Autor UNIFESP Google Scholar
Bottós, Kátia Mantovani Autor UNIFESP Google Scholar
Araújo, Aline Lutz Autor UNIFESP Google Scholar
Freitas, Denise de Autor UNIFESP Google Scholar
Belfort, Rubens Junior Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo PURPOSE: To evaluate the efficacy and the toxicity of 0.15% ganciclovir gel in the treatment of adenoviral conjunctivitis and in preventing ocular complications after adenoviral conjunctivitis, such as corneal infiltrates and pseudomembranes. METHODS: Double blind, interventional and randomized clinical trial. Thirty-three patients with clinical diagnosis of adenoviral conjunctivitis with onset of symptoms for five or less days were randomized in two groups: Group 1 (treatment) with 19 patients used ganciclovir gel and Group 2 (control) with 14 patients used artificial tears without preservative. Patients answered a questionnaire of signs and symptoms and were submitted to an ophthalmologic exam. On the 6th and 10th days of treatment they answered the same questions and were re-examined by the same ophthalmologist. Signs and symptoms were compared. T Student, Mann-Whitney e Wilcoxon tests were used to statistical analysis. RESULTS: Trend of better response in the treatment group in relation of patients' perception, besides faster improvement of this group compared to the control group (p=0.26). There were lower transmission to the fellow eye (p=0.86) and to people living together (p=0.16) in the treatment group. No statistical difference related to signs and symptoms of conjunctivitis were found comparing both groups. We observed statistical difference in pain, itch and photophobia only in the treatment group, comparing each group alone. No toxicity and more tolerance of the ganciclovir were observed. There was no statistical difference in the ocular complications after conjunctivitis between both groups. CONCLUSIONS: This study showed trend of better and faster response of the signs and symptoms of the patients treated with ganciclovir compared with the control group, but with no statistical significant. These results need to be confirmed by additional studies, with more patients and longer follow-up. Clinical Trails.gov: NCT01349452

OBJETIVOS: Determinar a efetividade e a toxicidade do ganciclovir 0,15% gel no tratamento de ceratoconjuntivites adenovirais e na prevenção de complicações tais como infiltrados corneanos, membranas ou pseudomembranas conjuntivais. MÉTODOS: Ensaio clínico duplo-cego, intervencionista, randomizado. Os 33 pacientes com diagnóstico clínico de ceratoconjuntivite adenoviral com início dos sintomas há menos de cinco dias foram randomizados em dois grupos: Grupo 1 (tratamento) com 19 pacientes que usaram ganciclovir e Grupo 2 (controle) com 14 pacientes que usaram lágrima artificial sem conservante. Todos pacientes responderam a um questionário de sinais e sintomas e foram submetidos a um exame oftalmológico. No 6º dia de tratamento responderam ao mesmo questionário por telefone e no 10º dia foram reavaliados pelo mesmo examinador e responderam novamente ao questionário. Os sinais e sintomas foram comparados. Para análise estatística foi utilizado os testes T de Student, Mann-Whitney e Wilcoxon, com significância estatística p<0,05. RESULTADOS: Tendência de melhor resposta no grupo tratamento em relação à percepção pelos pacientes, além da melhora mais rápida desse grupo em relação ao grupo controle (p=0,26). Houve menor transmissão para o olho adelfo (p=0,86) e para pessoas do convívio (p=0,16) no grupo tratamento. Comparando os dois grupos não houve diferença estatística em relação aos sintomas e sinais da conjuntivite. Comparando isoladamente cada grupo entre o pré-tratamento e no decorrer do tratamento, observou-se melhora estatisticamente significativa da dor, prurido e fotofobia apenas no grupo tratamento. Ganciclovir não mostrou toxicidade e teve maior tolerância pelos pacientes. Não houve diferença significativa no aparecimento de complicações da conjuntivite entre os dois grupos. CONCLUSÕES: O estudo evidenciou uma tendência à melhora mais rápida dos sinais e sintomas dos pacientes tratados com ganciclovir em relação ao grupo controle, porém não estatisticamente significante. Esses resultados precisam ser confirmados por estudos adicionais, com maior número de pacientes e um seguimento mais extenso. Clinical Trails.gov: NCT01349452
Palavra-chave Ganciclovir
Conjunctivitis
Adenovirus infections
Keratoconjunctivitis
Adenovirus infections, human
Adenoviruses, human
Gels
Randomized controlled trial
Humans
Ganciclovir
Conjuntivite viral
Infecções humanas por adenovírus
Ceratoconjuntivite
Conjuntivite
Adenovírus humanos
Géis
Ensaio clínico controlado aleatório
Humanos
Idioma Português
Financiador Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq)
Data de publicação 2011-12-01
Publicado em Arquivos Brasileiros de Oftalmologia. Conselho Brasileiro de Oftalmologia, v. 74, n. 6, p. 417-421, 2011.
ISSN 0004-2749 (Sherpa/Romeo, fator de impacto)
Publicador Conselho Brasileiro de Oftalmologia
Extensão 417-421
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0004-27492011000600007
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
Web of Science WOS:000300187100008
SciELO S0004-27492011000600007 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/6795

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S0004-27492011000600007.pdf
Tamanho: 207.4KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta