Ocular allergy latin american consensus

Ocular allergy latin american consensus

Título alternativo Consenso latino americano de alergia ocular
Autor Santos, Myrna Serapião dos Autor UNIFESP Google Scholar
Alves, Milton Ruiz Google Scholar
Freitas, Denise de Autor UNIFESP Google Scholar
Sousa, Luciene Barbosa de Google Scholar
Wainsztein, Ricardo Google Scholar
Kandelman, Sérgio Google Scholar
Lozano, Mauricio Google Scholar
Beltrán, Francisco Google Scholar
Lozada, Oscar Baça Google Scholar
Santacruz, Concepción Google Scholar
Guzzo, Giovanni Google Scholar
Zaccarelli Filho, Carlos Alberto Autor UNIFESP Google Scholar
Gomes, José Álvaro Pereira Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Universidade de São Paulo (USP)
Hospital de Olhos de Sorocaba Departamento de Oftalmologia
Universidad de Buenos Aires Instituto de La Visión
Clínica Skopus
Universidad del Rosario Fundación Oftalmologica Nacional Departamento de Oftalmologia Pediatrica y Estrabismo
Hospital Dr. Luis Sánchez Bulnes e Clínica Lomas Altas Servicio de Córnea y Cirugía Refractiva
Fundación Hospital Nuestra Señora Servicio de Córnea
Fundación Conde de Valenciana I.A.P. Instituto de Oftalmología Servicio de Córnea
Intrials Clinical Research Clinical Operations Manager
Intrials Clinical Research BDM & Clinical Research Associate
Resumo PURPOSE: To establish current definition, classification and staging, and to develop diagnosis and treatment recommendations for ocular allergy, by using Delphi approach. METHODS: Ten Latin American experts on ocular allergy participated in a 4-round Delphi panel approach. Four surveys were constructed and answered by panelists. A two-thirds majority was defined as consensus. Definition, classification, staging and diagnosis and treatment recommendations were the main outcomes. RESULTS: Ocular allergy was proposed as the general term to describe ocular allergic diseases. Consensus regarding classification was not reached. Signs and symptoms were considered extremely important for the diagnosis. It was consensus that a staging system should be proposed based on the disease severity. Environmental control, avoidance of allergens and the use of artificial tears were recommended as first line treatment. The secondary treatment should include topical anti-histamines, mast cell stabilizers and multi actions drugs. Topical non-steroidal anti-inflammatory and vasoconstrictors were not recommended. Topical corticosteroids were recommended as third line of treatment for the most severe keratoconjunctivitis. Consensus was not reached regarding the use of systemic corticosteroids or immunosuppressant. Surgical approach and unconventional treatments were not recommended as routine. CONCLUSION: The task of creating guidelines for ocular allergies showed to be very complex. Many controversial topics remain unsolved. A larger consensus including experts from different groups around the world may be needed to further improve the current recommendations for several aspects of ocular allergy.

OBJETIVO: Estabelecer a definição, classificação e estadiamento e desenvolver recomendações para o diagnóstico e tratamento da alergia ocular, usando o método Delphi de consenso. MÉTODOS: Dez especialistas em alergia ocular da América Latina participaram do painel. Quatro rodadas de questionários foram respondidas pelos painelistas. Consenso foi definido quando houve 2/3 ou mais de concordância. Os aspectos principais avaliados foram: definição, classificação, estadiamento e recomendações para diagnóstico e tratamento da alergia ocular. RESULTADOS: Alergia Ocular foi proposto como termo geral para descrever as doenças alérgicas oculares. Consenso sobre classificação não foi atingido. Sinais e sintomas foram considerados extremamente importantes para o diagnóstico. Consenso foi atingido sobre a necessidade de se estabelecer um sistema de estadiamento baseado na gravidade da doença. Controle ambiental e de exposição a alérgenos e o uso de lágrimas artificiais foram considerados tratamento de primeira linha e o uso tópico de anti-histamínicos, estabilizadores de membranas de mastócitos e drogas de ação múltipla, como tratamento de segunda linha. Anti-inflamatórios não hormonais tópicos e vasoconstrictores não foram recomendados. Corticosteroides tópicos foram estabelecidos como terceira linha de tratamento para casos graves de ceratoconjuntivite. Consenso não foi obtido em relação ao uso sistêmico de corticosteróides e imunossupressores. Abordagem cirúrgica e tratamentos não convencionais não foram recomendados de rotina. CONCLUSÃO: O desafio de criar recomendações para diversos aspectos da alergia ocular mostrou-se muito complexo, muitos deles permanencendo ainda controversos. Consensos mais amplos podem ser necessários para melhorar as recomendações atuais referentes a importantes aspectos da alergia ocular.
Palavra-chave Questionnaires
Consensus
Keratoconjunctivitis
Adrenal cortex hormones
Immunosuppressive agents
Questionários
Consenso
Conjuntivite alérgica
Ceratoconjuntivite
Corticosteroides
Imunossupressores
Idioma Inglês
Data de publicação 2011-12-01
Publicado em Arquivos Brasileiros de Oftalmologia. Conselho Brasileiro de Oftalmologia, v. 74, n. 6, p. 452-456, 2011.
ISSN 0004-2749 (Sherpa/Romeo)
Publicador Conselho Brasileiro de Oftalmologia
Extensão 452-456
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0004-27492011000600016
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S0004-27492011000600016 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/6776

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S0004-27492011000600016.pdf
Tamanho: 259.8KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta