Residências terapêuticas e comunidade: a construção de novas práticas antimanicomiais

Residências terapêuticas e comunidade: a construção de novas práticas antimanicomiais

Título alternativo Therapeutic residences and community: the construction of new anti-asylum practices
Autor Moreira, Maria Inês Badaró Autor UNIFESP Google Scholar
Castro-Silva, Carlos Roberto de Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo This article highlight an effort of connection between areas of Mental Health and Community Psychology related to public health practice focused on promoting autonomy and citizenship. In this sense through a research on the role of therapeutic residences, such as construction strategy anti-asylum practices, we discussed other spaces of sociability as mental health promoters, highlighting those asylum without walls which lead the community for psychiatric patients. Spinoza's contribution is important, because his theory conceives the subject from the quality of the interactions between themselves, or better, as it affects and is affected in the meetings, which may be the promoters of the power to act or not. This qualitative research, with inspiration ethnographic, participated in these research forty residents of five therapeutic residences installed in three districts of a Great Vitoria in Espírito Santo, Southeast Brazil.

Este trabalho reflete um esforço de articulação entre as áreas de saúde mental e psicologia comunitária na perspectiva de construção de práticas em saúde pública voltadas para a promoção de autonomia e cidadania. Nesse sentido, através de uma pesquisa sobre o papel das residências terapêuticas como estratégia de construção de práticas antimanicomiais, discutimos outros espaços de sociabilidade como promotores de saúde mental, destacando aqueles extramuros institucionais os quais nos remete a comunidade da qual, alias, tais instituições, fazem parte. A contribuição de Espinosa é fundamental, na medida em que concebe os sujeitos a partir da qualidade das interações entre si, ou melhor, da forma como se afeta e se é afetado nos encontros, que podem ser promotores da potência de agir ou de padecimento. Desta pesquisa qualitativa, com inspiração etnográfica, participaram 40 moradores de cinco residências terapêuticas, instaladas em três bairros de um município da Grande Vitória/ES.
Palavra-chave psychiatric reform
therapeutical residences
community
reforma psiquiátrica
residências terapêuticas
comunidade
Idioma Português
Data de publicação 2011-12-01
Publicado em Psicologia & Sociedade. Associação Brasileira de Psicologia Social, v. 23, n. 3, p. 545-553, 2011.
ISSN 0102-7182 (Sherpa/Romeo)
Publicador Associação Brasileira de Psicologia Social
Extensão 545-553
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0102-71822011000300012
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S0102-71822011000300012 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/6748

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S0102-71822011000300012.pdf
Tamanho: 300.0KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta