Mortality rates due to amyotrophic lateral sclerosis in São Paulo City from 2002 to 2006

Mortality rates due to amyotrophic lateral sclerosis in São Paulo City from 2002 to 2006

Título alternativo Mortalidade por esclerose lateral amiotrófica no município de São Paulo de 2002 a 2006
Autor Matos, Sheila Evangelista de Autor UNIFESP Google Scholar
Conde, Mônica Tilli Reis Pessoa Autor UNIFESP Google Scholar
Fávero, Francis Meire Autor UNIFESP Google Scholar
Taniguchi, Mauro Google Scholar
Quadros, Abrahão Augusto Juviniano Autor UNIFESP Google Scholar
Fontes, Sissy Veloso Autor UNIFESP Google Scholar
Oliveira, Acary Souza Bulle Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Secretary of Health Program for the Improvement of Mortality Information
Resumo OBJECTIVE: To describe the mortality rates of amyotrophic lateral sclerosis (ALS) in the city of São Paulo as a function of demographics, year, and region. METHOD: This was a retrospective descriptive study. Information was obtained from death certificates registered at the Program for the Improvement of Mortality Information, Municipal Health Department (PRO-AIM/SMS), coded as G12.2 according to International Classification of Diseases (ICD-10), from 2002 to 2006. RESULTS: Over the studied time, were found 326 deaths (51.6% women, overall mean age of 64.1 years). Highest deaths percentages happened in those from 60 to 69 and 70 to 79 years and in white individuals. ALS mortality rates ranged 0.44/100,000 in 2002 and 0.76/100,000 in 2006. No significant changes overtime in administrative districts were found. CONCLUSION: ALS mortality rates in São Paulo were lower in comparison to other countries, however any risk factor in our environment, lifestyle or genetic characteristics were found.

OBJETIVO: Descrever a taxa de mortalidade da esclerose lateral amiotrófica (ELA) no município de São Paulo (MSP) de 2002 a 2006, segundo tempo, pessoa e espaço. MÉTODO: Estudo descritivo retrospectivo, utilizando dados das declarações de óbitos do Programa de Aprimoramento das Informações de Mortalidade (PROAIM/SMS), com G12.2 segundo Classificação Internacional de Doenças (CID 10), de 2002 a 2006. RESULTADOS: Foram encontrados 326 óbitos, 51,6% mulheres, média de idade de 64,1 anos. Maiores percentuais de mortes foram encontrados nas faixas etárias de 60-69 anos e 70-79 anos e na raça branca. As taxas de mortalidade por ELA variaram de 0,44/100.000 em 2002 para 0,76/100.000 em 2006. Não houve mudanças significativas nos distritos administrativos em relação ao tempo. CONCLUSÃO: Taxas de mortalidade por ELA no MSP são menores, comparadas às de outros países; mas nenhum fator de risco foi encontrado no estudo em relação ao ambiente, modo de vida e características genéticas.
Palavra-chave mortality
amyotrophic lateral sclerosis
mortalidade
esclerose lateral amiotrófica
Idioma Inglês
Data de publicação 2011-12-01
Publicado em Arquivos de Neuro-Psiquiatria. Academia Brasileira de Neurologia - ABNEURO, v. 69, n. 6, p. 861-866, 2011.
ISSN 0004-282X (Sherpa/Romeo, fator de impacto)
Publicador Academia Brasileira de Neurologia - ABNEURO
Extensão 861-866
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0004-282X2011000700002
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
Web of Science WOS:000298019300002
SciELO S0004-282X2011000700002 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/6744

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S0004-282X2011000700002.pdf
Tamanho: 1.112MB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta