Swallowing disorders after ischemic stroke

Swallowing disorders after ischemic stroke

Título alternativo Alteração da deglutição após acidente cerebrovascular isquêmico
Autor Remesso, Gabriela Camargo Autor UNIFESP Google Scholar
Fukujima, Marcia Maiumi Autor UNIFESP Google Scholar
Chiappetta, Ana Lúcia de Magalhães Leal Autor UNIFESP Google Scholar
Oda, Adriana Leico Autor UNIFESP Google Scholar
Aguiar, Alexandre Santos Google Scholar
Oliveira, Acary Souza Bulle Autor UNIFESP Google Scholar
Prado, Gilmar Fernandes do Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo OBJECTIVE: To investigate occurrences of swallowing disorders after ischemic stroke. METHOD: This was a retrospective study on 596 medical files. The inclusion criterion was that the patients needed to have been hospitalized with a diagnosis of ischemic stroke; the exclusion criteria were the presence of associated cardiac problems and hospital stay already more than 14 days. RESULTS: 50.5% were men and 49.5% women; mean age 65.3 years (SD=±11.7) (p<0.001). Among the risk factors, 79.4% had hypertension, 36.7% had diabetes (p<0.001) and 42.7% were smokers. 13.3% of the patients died. Swallowing disorders occurred in 19.6%, among whom 91.5% had mild difficulty and 8.5% had severe difficulty. 87.1% had spontaneous recovery after a mean of 2.4 months. A lesion in the brainstem region occurred in 6.8% (p<0.001). CONCLUSION: Swallowing disorders occurred in almost 20% of the population and most of the difficulty in swallowing found was mild. The predictors for swallowing disorders were older age, diabetes mellitus and lesions in the brainstem region.

OBJETIVO: Verificar alteração da deglutição após acidente cerebrovascular isquêmico (AVCI). MÉTODO: Estudo retrospectivo de 596 prontuários. Critérios de inclusão: pacientes hospitalizados com diagnóstico de AVCI. Critérios de exclusão: pacientes com problemas cardíacos associados e com mais de 14 dias de internação. RESULTADOS: 50,5% homens e 49,5% mulheres, idade média 65,3 anos (DP=±11,7) (p<0,001). Entre os fatores de risco, 79,4% hipertensão arterial, 36,7% diabetes (p<0,001), 42,7% tabagismo. Óbito ocorreu em 13,3% dos pacientes. Alteração de deglutição ocorreu em 19,6%, sendo 91,5% com dificuldade leve e 8,5% com dificuldade grave; 87,1% tiveram recuperação espontânea com tempo médio de 2,4 meses. A lesão em região de tronco encefálico ocorreu em 6,8% (p<0,001). CONCLUSÃO: A alteração da deglutição ocorreu em quase 20% da população e a dificuldade de deglutição mais encontrada foi a leve. Os fatores preditores para alteração de deglutição foram aumento da idade, diabetes mellitus e lesão em região de tronco encefálico.
Palavra-chave swallowing disorders
dysphagia
stroke
epidemiology
alteração da deglutição
disfagia
acidente cerebrovascular
epidemiologia
Idioma Inglês
Data de publicação 2011-10-01
Publicado em Arquivos de Neuro-Psiquiatria. Academia Brasileira de Neurologia - ABNEURO, v. 69, n. 5, p. 785-789, 2011.
ISSN 0004-282X (Sherpa/Romeo, fator de impacto)
Publicador Academia Brasileira de Neurologia - ABNEURO
Extensão 785-789
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0004-282X2011000600012
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
Web of Science WOS:000296347200012
SciELO S0004-282X2011000600012 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/6658

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S0004-282X2011000600012.pdf
Tamanho: 1.367MB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta