Atualização das diretrizes de ressuscitação cardiopulmonar de interesse ao anestesiologista

Atualização das diretrizes de ressuscitação cardiopulmonar de interesse ao anestesiologista

Título alternativo Update on cardiopulmonary resuscitation guidelines of interest to anesthesiologists
Actualización de las directrices de resucitación cardiopulmonar de interés del anestesista
Autor Falcão, Luiz Fernando dos Reis Autor UNIFESP Google Scholar
Ferez, David Autor UNIFESP Google Scholar
Amaral, José Luiz Gomes do Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo BACKGROUND AND OBJECTIVES: The new cardiopulmonary resuscitation (CPR) guidelines emphasize the importance of high-quality chest compressions and modify some routines. The objective of this report was to review the main changes in resuscitation practiced by anesthesiologists. CONTENTS: The emphasis on high-quality chest compressions with adequate rate and depth allowing full recoil of the chest and with minimal interruptions is highlighted in this update. One should not take more than ten seconds checking the pulse before starting CPR. The universal relationship of 30:2 is maintained, modifying its order, initiating with chest compressions, followed by airways and breathing (C-A-B instead of A-B-C). The procedure look, listen, and feel whether the patient is breathing was removed from the algorithm, and the use of cricoid pressure during ventilations is not recommended any more. The rate of chest compressions was changed for at least one hundred per minute instead of approximately one hundred per minute, and its depth in adults was changed to 5 cm instead of the prior recommendation of 4 to 5 cm. The single shock is maintained, and it should be of 120 to 200 J when it is biphasic; and 360 J when it is monophasic. In advanced cardiac life support, the use of capnography and capnometry to confirm intubation and monitoring the quality of CPR is a formal recommendation. Atropine is no longer recommended for routine use in the treatment of pulseless electrical activity or asystole. CONCLUSIONS: Updating the phases of the new CPR guidelines is important, and continuous learning is recommended. This will improve the quality of resuscitation and survival of patients in cardiac arrest

JUSTIFICATIVA Y OBJETIVOS: Las nuevas directrices de resucitación cardiopulmonar (RCP), destacan la importancia de las compresiones torácicas de alta calidad y modifican algunas rutinas. Este artículo tiene el objetivo de revisar las principales alteraciones en la reanimación practicada por el médico anestesista. CONTENIDO: El énfasis para la realización de las compresiones torácicas de alta calidad, con la frecuencia y la profundidad adecuadas, permitiendo el retorno total del tórax y con interrupción mínima en las compresiones, asume una posición de destaque en esta actualización. No debemos llevar más de 10 segundos verificando el pulso antes de iniciar la RCP. La relación universal de 30:2 se mantiene, modificando su orden de realización, e iniciándose por las compresiones torácicas para, enseguida, proseguir hacia las vías aéreas y la respiración (C-A-B, en vez de A-B-C). El procedimiento ver, oír y sentir si hay respiración, fue retirado del algoritmo, y el uso de presión cricoide durante las ventilaciones, en general no se recomienda más. La frecuencia de las compresiones fue modificada para un mínimo de 100 por minuto, en vez de aproximadamente 100 por minuto, siendo su profundidad en adultos alterada para 5 cm, en lugar de la franja antes recomendada de 4 a 5 cm. El choque único se mantiene y debe ser de 120 a 200 J, cuando es bifásico, o 360 J, cuando es monofásico. En el soporte avanzado de vida, el uso de capnografía y capnometría para la confirmación de la intubación y de la monitorización de la calidad de la RCP, es una recomendación formal. La atropina no se recomienda más para el uso de rutina en el tratamiento de la actividad eléctrica sin pulso o asistolia. CONCLUSIONES: Es importante la actualización sobre las nuevas directrices de RCP, destacando su continuo aprendizaje. Eso mejorará la calidad de la reanimación y la sobrevida de los pacientes en una parada cardíaca

JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: As novas diretrizes de ressuscitação cardiopulmonar (RCP) enfatizam a importância das compressões torácicas de alta qualidade e modificam algumas rotinas. Este artigo tem por objetivo revisar as principais alterações na reanimação praticada pelo médico anestesiologista. CONTEÚDO: A ênfase para realização das compressões torácicas de alta qualidade, com frequência e profundidade adequadas, permitindo retorno total do tórax e com interrupção mínima nas compressões, assume posição de destaque nesta atualização. Não se deve levar mais de dez segundos verificando o pulso antes de iniciar a RCP. A relação universal de 30:2 é mantida, modificando-se sua ordem de realização, iniciando-se pelas compressões torácicas, para, em seguida, prosseguir para as vias aéreas e respiração (C-A-B, em vez de A-B-C). O procedimento ver, ouvir e sentir se há respiração foi removido do algoritmo e o uso de pressão cricoidea durante as ventilações, em geral, não é mais recomendado. A frequência das compressões foi modificada para um mínimo de cem por minuto, em vez de aproximadamente cem por minuto, sendo sua profundidade em adultos alterada para 5 cm, em lugar da faixa antes recomendada de 4 a 5 cm. Choque único é mantido, devendo ser de 120 a 200 J quando bifásico, ou 360 J quando monofásico. No suporte avançado de vida, o uso de capnografia e capnometria para confirmação da intubação e monitoração da qualidade da RCP é uma recomendação formal. A atropina não é mais recomendada para uso rotineiro no tratamento da atividade elétrica sem pulso ou assistolia. CONCLUSÕES: É importante a atualização quanto às novas diretrizes de RCP, sendo enfatizado o contínuo aprendizado. Isso irá melhorar a qualidade da reanimação e sobrevida de pacientes em parada cardíaca
Palavra-chave Cardiopulmonary Resuscitation
Heart Arrest
Heart Massage
COMPLICAÇÕES, Parada cardiorrespiratória
REANIMAÇÃO
Idioma Português
Data de publicação 2011-10-01
Publicado em FALCÃO, Luiz Fernando dos Reis; FEREZ, David; AMARAL, José Luiz Gomes do. Atualização das diretrizes de ressuscitação cardiopulmonar de interesse ao anestesiologista. Rev. Bras. Anestesiol., Campinas , v. 61, n. 5, p. 631-640, out. 2011
ISSN 0034-7094 (Sherpa/Romeo, fator de impacto)
Publicador Sociedade Brasileira de Anestesiologia
Extensão 631-640
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0034-70942011000500013
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
Web of Science WOS:000295190600013
SciELO S0034-70942011000500013 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/6631

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S0034-70942011000500013.pdf
Tamanho: 97.16KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo
Nome: S0034-70942011000500013-es.pdf
Tamanho: 113.1KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo
Nome: S0034-70942011000500013-pt.pdf
Tamanho: 112.4KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta