Ineficácia da autorregulamentação das propagandas de bebidas alcoólicas: uma revisão sistemática da literatura internacional

Ineficácia da autorregulamentação das propagandas de bebidas alcoólicas: uma revisão sistemática da literatura internacional

Título alternativo Inefficacy of self-regulation of alcohol advertisements: a systematic review of the literature
Autor Vendrame, Alan Autor UNIFESP Google Scholar
Pinsky, Ilana Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo OBJECTIVE: The most recent scientific literature indicates that alcohol advertising influences behavior, particularly early and higher alcohol consumption by children and adolescents. From a public health perspective, alcohol advertising should be restricted. In many countries, as well as in Brazil, limits to alcohol advertising are established by industry self-regulation (e.g. controlled by the advertising community itself). We examined in this review all papers on the subject of industry self-regulation of alcohol advertising published in the international literature. METHOD: A systematic literature review was realized on papers investigating the effectiveness of self-regulation of alcohol advertisings. The search was conducted in Medline, SciELO, Camy and Google Scholar, between the years of 1991 and 2010. In addition, the snowball technique for the indication of the main authors on the subject was employed. From the papers found, 11 focused on the subject discussed here. DISCUSSION: The set of papers obtained indicates that industry self-regulation of alcohol advertising does not show evidence of efficacy. In other words, such a regulation does not prevent, for instance, alcohol advertising directed at children and adolescents. CONCLUSION: Further measures should be considered for the control and the broadcast of alcohol advertising, such as independent monitoring, legal control.

OBJETIVO: A literatura científica mais recente aponta que a publicidade de bebidas alcoólicas influencia o comportamento, particularmente o consumo precoce e em grandes quantidades por crianças e adolescentes. Da perspectiva da saúde pública, a publicidade de bebidas alcoólicas deve ser restringida. Em muitos países, assim como no Brasil, os limites são estabelecidos pela autorregulamentação (ou seja, controlados pela própria comunidade publicitária). Analisou-se na presente revisão o conjunto dos trabalhos publicados na literatura internacional sobre este tipo de controle. MÉTODO: Realizou-se uma revisão bibliográfica sistemática de trabalhos que investigaram a eficácia da autorregulamentação da publicidade de bebidas alcoólicas. A busca foi feita nas bases de dados Medline, SciELO, Camy e Google Scholar, entre 1991 e 2010, bem como pela técnica de bola de neve para a indicação dos principais autores no tema. Foram considerados para o presente propósito 11 artigos. DISCUSSÃO: O conjunto dos trabalhos obtidos aponta que a autorregulamentação da publicidade de bebidas alcoólicas é pouco eficaz, não cumprindo com os objetivos de evitar, por exemplo, publicidade direcionada às crianças e adolescentes. CONCLUSÃO: Outras medidas devem ser consideradas para o controle e a veiculação das propagandas de bebidas alcoólicas, tais como monitoramento independente e controle legal.
Palavra-chave Propaganda
Products publicity control
Alcohol drinking
Adolescents
Review literature as topic
Propaganda
Controle da publicidade de produtos
Consumo de bebidas alcoólicas
Adolescentes
Literatura de revisão como assunto
Idioma Português
Financiador Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP)
Número do financiamento FAPESP: 2003/06250-7
FAPESP: 04/13564-0
Data de publicação 2011-06-01
Publicado em VENDRAME, Alan; PINSKY, Ilana. Ineficácia da autorregulamentação das propagandas de bebidas alcoólicas: uma revisão sistemática da literatura internacional. Rev. Bras. Psiquiatr., São Paulo , v. 33, n. 2, p. 196-202, jun. 2011
ISSN 1516-4446 (Sherpa/Romeo, fator de impacto)
Publicador Associação Brasileira de Psiquiatria - ABP
Extensão 196-202
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S1516-44462011005000017
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
Web of Science WOS:000293652800016
SciELO S1516-44462011000200016 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/6529

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S1516-44462011000200016.pdf
Tamanho: 1.260MB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta