Impacto da função retardada do enxerto pancreático no transplante simultâneo pâncreas-rim

Impacto da função retardada do enxerto pancreático no transplante simultâneo pâncreas-rim

Título alternativo Impact of delayed pancreatic graft function in simultaneous pancreas-kidney transplantation
Autor Baitello, Marina Autor UNIFESP Google Scholar
Galante, Nelson Zocoler Autor UNIFESP Google Scholar
Coutinho, Luciano de Souza Autor UNIFESP Google Scholar
Rangel, Erika Bevilaqua Autor UNIFESP Google Scholar
Melaragno, Cláudio Santiago Autor UNIFESP Google Scholar
Gonzalez, Adriano Miziara Autor UNIFESP Google Scholar
Pestana, Jose Osmar Medina Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo OBJECTIVE: Simultaneous pancreas-kidney transplantation is an effective treatment for patients with type 1 diabetes melli>tus and end-stage chronic kidney disease. Delayed pancreatic graft function is a common and multifactor condition with significant impact in short-term outcome of simultaneous pancreas-kidney transplantations. The aim of this study was to analyze the impact of pancreatic delayed pancreatic graft function on simultaneous pancreas-kidney transplantation. METHODS: Donor and recipient's demographic data, percentage of panel reactivity, acute rejection incidence, and patient and grafts survivals were retrospectively analyzed in 180 SPKT performed between 2002 and 2007. RESULTS: The incidence of pancreatic delayed pancreatic graft function was 11%. Donors older than 45 years had significant risk of pancreatic delayed pancreatic graft function (OR 2.26; p < 0,05). Patients with pancreatic delayed pancreatic graft function had higher rates of acute renal rejection (47 versus 24%; p < 0.05), altered fasting plasma glucose (25 versus 5%; p < 0.05) and mean glycated hemoglobin (5.8 versus 5.4%; p < 0.05), than patients without pancreatic delayed pancreatic graft function at the end of the first year of follow up. There were no significant differences between patients with and without pancreatic delayed pancreatic graft function regarding patient survival (95 versus 88.7%; p = 0.38), pancreatic graft survival (90 versus 85.6%; p = 0.59) and renal graft survival (90 versus 87.2%; p = 0.70), respectively at the sample period of time. CONCLUSION: Pancreatic delayed pancreatic graft function had no significant impact in the short-term outcome of simultaneous pancreas-kidney transplantations. Although delayed pancreatic graft function had no impact on 1-year pancreas graft survival, it contributed to early pancreas graft dysfunction, as assessed by enhanced insulin and oral anti-diabetic drugs requirements.

OBJETIVO: O transplante pâncreas-rim é efetivo para pacientes com doença renal crônica terminal e diabetes mellitus insulino-dependente. A função retardada do enxerto pancreático é condição frequente exercendo impacto significativo nos resultados em curto prazo dos transplantes pâncreas-rim. O objetivo foi analisar o impacto da função retardada do enxerto pancreático no transplante pâncreas-rim. MÉTODOS: Análise retrospectiva de 180 receptores de transplante pâncreas-rim, incluindo dados demográficos dos doadores e dos receptores, a reatividade contra painel, a incidência de rejeição aguda e as sobrevidas do paciente e dos enxertos pancreático e renal. RESULTADOS: A incidência de função retardada do enxerto pancreático foi 11%. A idade do receptor superior a 45 anos apresentou associação com o risco de desenvolvimento de função retardada do enxerto pancreático (Razão de chances 2,26; p < 0,05). Os pacientes com função retardada do enxerto pancreático apresentaram maior incidência de rejeição aguda renal (47 versus 24%; p < 0,05), glicemia de jejum alterada (25 versus 5%; p < 0,05) e média de hemoglobina glicada (5,8 versus 5,4%; p < 0,05) ao final do primeiro ano de acompanhamento em relação aos pacientes sem função retardada do enxerto pancreático. Não houve diferenças estatisticamente significativas entre os grupos de pacientes com e sem função retardada do enxerto pancreático quanto à sobrevida do paciente (95 versus 88,7%; p = 0,38), do enxerto pancreático (90 versus 85,6%; p = 0,59) e do enxerto renal (90 versus 87,2%; p = 0,70), respectivamente, nesse mesmo período. CONCLUSÃO: A função retardada do enxerto pancreático não exerceu impacto significativo nos resultados em curto prazo dos transplantes pâncreas-rim desta casuística. Embora a função retardada do enxerto pancreático não tenha influenciado a sobrevida do enxerto pancreático ao final do primeiro ano após o transplante, contribuiu para a disfunção pancreática precoce, indicando maior necessidade de uso de insulina e hipoglicemiantes orais.
Palavra-chave Kidney transplantation
Pancreas transplantation
Graft rejection
Survival analysis
Logistic models
Transplante de rim
Transplante de pâncreas
Rejeição de enxerto
Análise de sobrevida
Modelos logísticos
Idioma Português
Data de publicação 2011-06-01
Publicado em Jornal Brasileiro de Nefrologia. Sociedade Brasileira de Nefrologia, v. 33, n. 2, p. 180-188, 2011.
ISSN 0101-2800 (Sherpa/Romeo)
Publicador Sociedade Brasileira de Nefrologia
Extensão 180-188
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0101-28002011000200010
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S0101-28002011000200010 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/6459

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S0101-28002011000200010.pdf
Tamanho: 406.6KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta