Sono, trabalho e estudo: duração do sono em estudantes trabalhadores e não trabalhadores

Sono, trabalho e estudo: duração do sono em estudantes trabalhadores e não trabalhadores

Título alternativo Sleep, work, and study: sleep duration in working and non-working students
Autor Pereira, Érico Felden Google Scholar
Bernardo, Maria Perpeto Socorro Leite Autor UNIFESP Google Scholar
D'Almeida, Vânia Autor UNIFESP Google Scholar
Louzada, Fernando Mazzilli Google Scholar
Instituição Universidade Federal do Paraná Departamento de Educação Física
Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Universidade Federal do Paraná Departamento de Fisiologia
Resumo The aim of this study was to investigate the duration of sleep and associated factors in working and non-working students. Data were analyzed on the sleep-wake cycle in 863 teenage students in São Paulo, Brazil. Adjusted analyses were performed to compare sleep duration in working and non-working students. 18.4% of the group worked, and 52% of the working students slept eight hours or less per night. Prevalence of short sleep duration was higher in working students of both sexes (males, p = 0.017; females, p < 0.001). Working students showed short sleep duration in the analysis adjusted for socioeconomic status, but short sleep was more frequent in older adolescents (p = 0.004) and in lower (p = 0.001) and middle (p = 0.011) socioeconomic classes. Although more working students were in night school, in the model adjusted for gender and socioeconomic status, working students in afternoon courses showed higher prevalence of short sleep duration (PR = 2.53; 95%CI: 1.68-4.12).

Este estudo objetivou investigar a duração do sono e fatores associados em escolares trabalhadores e não trabalhadores. Foram coletadas informações sobre o padrão do ciclo vigília/sono de 863 adolescentes de 10 a 19 anos em escolas de São Paulo, Brasil. Análises ajustadas foram aplicadas para comparação da duração do sono entre trabalhadores e não trabalhadores. O porcentual de adolescentes trabalhadores foi de 18,4% e 52% dos jovens que trabalhavam apresentaram oito ou menos horas de sono. A prevalência de baixa duração do sono foi maior nos trabalhadores dos sexos masculino (p = 0,017) e feminino (p < 0,001). Os estudantes trabalhadores apresentaram menor duração do sono mesmo com ajuste pela classe socioeconômica (p < 0,001). Apesar de existirem mais trabalhadores no turno da noite, no modelo ajustado pelo sexo e nível socioeconômico, os estudantes trabalhadores do turno da tarde apresentaram maior prevalência de baixa duração do sono (RP = 2,53; IC95%: 1,68-4,12).
Palavra-chave Sleep
Sleep Deprivation
Work
Adolescent
Sono
Privação do Sono
Trabalho
Adolescente
Idioma Português
Data de publicação 2011-05-01
Publicado em Cadernos de Saúde Pública. Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz, v. 27, n. 5, p. 975-984, 2011.
ISSN 0102-311X (Sherpa/Romeo, fator de impacto)
Publicador Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Extensão 975-984
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2011000500015
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
Web of Science WOS:000291321400015
SciELO S0102-311X2011000500015 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/6442

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S0102-311X2011000500015.pdf
Tamanho: 87.12KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta