Respostas falso-positivas na triagem auditiva neonatal universal: possíveis causas

Respostas falso-positivas na triagem auditiva neonatal universal: possíveis causas

Título alternativo False-positive results in newborn universal hearing screening: possible causes
Autor Simonek, Maria Cristina Silva Google Scholar
Azevedo, Marisa Frasson de Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Instituto Nacional de Educação de Surdos
Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo PURPOSE: to investigate the rate of false positive responses in a hospital - based newborn hearing screening program (NHS), their possible causes and solutions. METHODS: during the period we evaluated 1,110 regular nursery newborns, age 6 to 48 hours with Transient Evoked Otoacoustic Emissions (TEOAEs), Echocheck, Ilodynamics Ltd model., at the nurseries, before discharge. In case of absence of response, the ear canal was manipulated. Infants that failed the screening were retested fifteen days after birth. RESULTS: 50.09% failed the first trial, then the ear canal was manipulated, and it decreased to 24.41%. This group showed normal TEOAEs at the retest time; Mean time of hospital discharge was 42,27h, thought 93% cesarian delivery; 98% double room and 2% single room status. The mean age of the pass group was 24.14 h (± 10.21) and the fail group 19.19 hours (± 8.43). 66.12% had less than 24 hours on the moment of the test. 4.9% were occluded with vernix. CONCLUSION: hospital trend toward early discharge after routine deliveries forces the audiologist to carry out the screening before 48 hours. High number of false-positives in NHS, must be seen as a Hospital Administrative Problem not only as a biologic cause, like the vernix caseosum, and it is not related to the professional experience. Ear manipulation is strongly recommended.

OBJETIVO: avaliar a ocorrência de respostas falso-positivas na Triagem Auditiva dentro de uma maternidade particular, suas possíveis causas e soluções. MÉTODOS: foram avaliados 1.110 recém-nascidos eutróficos entre 6 e 48 horas de vida no berçário, com o analisador de Emissões Otoacústicas Evocadas Transientes (EOATE) modelo Echochek da Ilodynamics Ltd. Na ausência de resposta, foi realizada a manipulação do meato acústico externo (Manobra Facilitadora) e colhido novo resultado. Os que falharam foram retestados em 15 dias. RESULTADOS: 50,09% dos RN falhou na primeira tentativa. Após a manobra facilitadora, 24,41% continuou falhando, mas demonstraram EOATE presentes no reteste. O tempo médio de internação foi de 42,27 h, sendo 93,42% oriundos de cesareana. Pertenciam a convênios particulares padrão enfermaria 98% e 2% quarto individual. A idade média do grupo que passou foi de 24,14 h (± 10,21) e a do grupo que falhou 19,19 horas (±8,43). Possuíam menos de 24 horas de vida no momento do teste 66,12% dos RN, foi constatado vérnix obliterante em 4.9%. CONLUSÃO: face a alta precoce hospitalar, é necessário que o Fonoaudiólogo realize o teste antes das 48 horas de vida do RN. Desta forma, além das causas biológicas inerentes a faixa etária, detectou-se um problema estrutural de administração hospitalar, que independe da habilidade ou experiência do Fonoaudiólogo. A Manobra Facilitadora é altamente recomendada.
Palavra-chave Hearing
Infant, Newborn
Deafness
Patient Discharge
Audição
Recém-Nascido
Surdez
Alta do Paciente
Idioma Português
Data de publicação 2011-04-01
Publicado em Revista CEFAC. CEFAC Saúde e Educação, v. 13, n. 2, p. 292-298, 2011.
ISSN 1516-1846 (Sherpa/Romeo)
Publicador CEFAC Saúde e Educação
Extensão 292-298
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S1516-18462010005000076
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S1516-18462011000200012 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/6427

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S1516-18462011000200012.pdf
Tamanho: 196.0KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta