Erros alimentares na dieta de crianças frequentadoras de berçários em creches públicas no município de São Paulo, Brasil

Erros alimentares na dieta de crianças frequentadoras de berçários em creches públicas no município de São Paulo, Brasil

Título alternativo Dietary errors in the diet of children attending nurseries of public daycare centers in São Paulo city, Brazil
Errores alimentares en dietas de niños frecuentadores de nidos en guarderías públicas en el municipio de São Paulo, Brasil
Autor Golin, Christine Kochi Google Scholar
Toloni, Maysa Helena de Aguiar Autor UNIFESP Google Scholar
Longo-Silva, Giovana Autor UNIFESP Google Scholar
Taddei, Jose Augusto de Aguiar Carrazedo Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo OBJECTIVE: To describe the dietary errors occurring when supplementary feeding is introduced and non-maternal milk is offered to children attending public daycare centers in the city of São Paulo, Brazil. METHODS: Cross-sectional and descriptive study of 255 children aged between five to 29 months. Pre-coded and structured questionnaires with open and closed questions were developed for data collection that occurred between April and November 2007. Such data were transcribed and analyzed by Epi-Info 2000 statistical software. The analyzed variables were the introduction of non-maternal milk, the introduction of foods and the initial solidity of supplementary feeding. RESULTS: The introduction of non-maternal milk occurred in 40% of children aged up to three months and in 78% up to six months. By the age of three months, approximately 50% received non-dairy liquids and 15%, strained fruits, vegetables, greens and meat. Regarding the introduction of non-maternal milk, 68% of babies received cow milk and 31%, infant formulas. Liver and fish were the latest foods to be offered. Regarding solidity of meals, 49% were inadequate. CONCLUSIONS: The fact that children attend public daycare centers points out the importance to properly qualify the professionals who work in such places and are eventually responsible for introducing the supplementary feeding.

OBJETIVO: Describir los errores alimentares presentes en la introducción de la alimentación complementar y en la oferta de leche no materna en niños frecuentadores de guarderías públicas en el municipio de São Paulo. MÉTODOS: Estudio descriptivo transversal, compuesto de 255 niños en la franja de edad entre 5 y 29 meses. Los cuestionarios estructurados y precodificados, con preguntas abiertas y cerradas, fueron elaborados para la recolección de datos, que tuvo lugar entre abril y noviembre de 2007. Éstos fueron transcriptos y analizados en el programa estadístico Epi-Info 2000. Las variables evaluadas fueron la introducción de leche no materna, introducción de alimentos y la consistencia inicial de la alimentación complementaria. RESULTADOS: La introducción de la leche no materna ocurrió en 40% de los niños hasta 3 meses y en 78% de los niños hasta 6 meses. A los 3 meses de edad, un 50% recibía líquidos no lácteos y un 15% papillas de frutas, legumbres, verduras y carnes. En la introducción de la leche no materna, 68% de los bebés recibieron leche de vaca y 31%, fórmulas infantiles. Hígado y pescado fueron los alimentos más tardíamente ofrecidos. Respecto a la consistencia de las comidas ofrecidas, el 49% fue inadecuada. CONCLUSIONES: El hecho de que los niños son frecuentadores de guarderías públicas señala la importancia de la capacitación de los profesionales que ahí actúan, y que eventualmente son los responsables de la introducción de la alimentación complementar.

OBJETIVO: Descrever os erros alimentares presentes na introdução da alimentação complementar e na oferta de leite não materno em crianças frequentadoras de creches públicas do município de São Paulo (SP). MÉTODOS: Estudo descritivo transversal, composto por 255 crianças, com faixa etária entre cinco e 29 meses. Os questionários estruturados e pré-codificados, com perguntas abertas e fechadas, foram elaborados para a coleta de dados, que ocorreu entre abril e novembro de 2007. Estes foram transcritos e analisados no programa estatístico Epi-Info 2000. As variáveis avaliadas foram a introdução de leite não materno, a introdução de alimentos e a consistência inicial da alimentação complementar. RESULTADOS: A introdução do leite não materno ocorreu em 40% das crianças até três meses e em 78% até seis meses. Aos três meses, aproximadamente 50% recebiam líquidos não lácteos e 15%, papas de frutas, legumes, verduras e carnes. Na introdução do leite não materno, 68% dos bebês receberam leite de vaca e 31%, fórmulas infantis. Fígado e peixe foram os alimentos mais tardiamente oferecidos. Quanto à consistência das refeições oferecidas, 49% foram inadequadas. CONCLUSÕES: O fato de as crianças serem frequentadoras de creches públicas aponta para a importância da capacitação dos profissionais que nelas atuam e que, eventualmente, são os responsáveis pela introdução da alimentação complementar.
Palavra-chave supplementary feeding
food consumption
child day care centers
infant
suplementação alimentar
consumo de alimentos
creches
lactente
Idioma Português
Data de publicação 2011-03-01
Publicado em Revista Paulista de Pediatria. Sociedade de Pediatria de São Paulo, v. 29, n. 1, p. 35-40, 2011.
ISSN 0103-0582 (Sherpa/Romeo)
Publicador Sociedade de Pediatria de São Paulo
Extensão 35-40
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0103-05822011000100006
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S0103-05822011000100006 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/6346

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S0103-05822011000100006.pdf
Tamanho: 276.2KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta