Como o especialista em ortopedia e traumatologia avalia o atendimento ao trauma ortopédico no Brasil

Como o especialista em ortopedia e traumatologia avalia o atendimento ao trauma ortopédico no Brasil

Título alternativo How do orthopedic surgeons rate the orthopedic trauma care in Brazil
Autor Silva, Jorge Santos Google Scholar
Kfuri Jr., Mauricio Google Scholar
Abagge, Marcelo Google Scholar
Guimarães, João Matheus Google Scholar
Barbosa, Paulo Roberto Lourenço Google Scholar
Balbachevsky, Daniel Autor UNIFESP Google Scholar
Christian, Ralph Google Scholar
Kojima, Kodi Google Scholar
Instituição Universidade de São Paulo (USP)
Universidade Federal do Paraná Hospital do Trabalhador
Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia
Hospital Ipanema
Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Santa Casa de São Paulo Serviço de Ortopedia
Resumo OBJECTIVES: The aim of this article is to present the data collected by Datafolha institute, from September 23rd. through October 18th. 2010 about orthopedic trauma care in Brazil. METHOD: A quantitative analysis based on telephonic interviews has been performed. From Brazilian Orthopedic Society database containing more than 7000 records. A structured query has been applied and the interview lasted around 25 minutes. RESULTS: 97% of interviewees dedicate part of his/her time to orthopedic trauma. 87% of all interviewees dedicate his/her time to more than one sub-specialty. The majority of orthopedic trauma patients comes from government insurance system (43%), while 41% of patients come from private insurance. 61% of all interviewees think that the quality of public health system could be rated as unsatisfactory. Northeast of Brazil is the place where the majority of patients are from public health system and where we have highest rates of dissatisfaction (85%) related to available infrastructure for orthopedic trauma care. Half of all interviewed individuals have problems for getting private insurance authorization previously to a surgery. CONCLUSIONS: Orthopedic trauma is a specialty practiced by the vast majority of orthopedic surgeons in our country. Neither the infrastructure nor the salaries satisfy the majority or orthopedic surgeons dedicated to trauma care.

OBJETIVO: Apresentar os resultados de pesquisa Datafolha, realizada no período de 23 de setembro a 18 de outubro de 2010, sobre as condições existentes para o exercício profissional na área do trauma ortopédico no Brasil. MÉTODOS: pesquisa quantitativa, com abordagem telefônica dos entrevistados, por meio de sorteio aleatório de membros da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia, em cadastro contendo mais de 7.000 nomes. As entrevistas foram realizadas mediante aplicação de questionário estruturado, com aproximadamente 25 minutos de duração. RESULTADOS: 97% dos entrevistados dedica parte do seu tempo ao trauma ortopédico. 87% dos entrevistados exercem outra sub-especialidade, que não o trauma ortopédico. Na média dos atendimentos no país, 43% dos pacientes pertencem à rede pública de saúde e 41% pertencem à rede de convênios. O uso de implantes importados ocorre na minoria das situações (36%) e 83% dos médicos que utilizam ambos os tipos de implantes julga que os nacionais apresentam qualidade inferior. 61% dos entrevistados julga a qualidade do atendimento em serviços públicos regular, ruim ou péssima. Metade dos entrevistados declara ter problemas para a liberação de suas solicitações de procedimentos junto aos planos de saúde em pelo menos 25% das vezes em que encaminham tais pedidos. CONCLUSÃO: O trauma ortopédico é uma especialidade exercida pela grande maioria dos ortopedistas brasileiros. A estrutura dos serviços públicos é considerada insatisfatória pela maioria dos ortopedistas entrevistados. A maioria dos ortopedista deseja uma reformulação nos honorários médicos e na infra-estrutura de serviços.
Palavra-chave Trauma
Orthopedics
Infrastructure
Trauma
Ortopedia
Infra-estrutura
Idioma Português
Data de publicação 2011-01-01
Publicado em Revista Brasileira de Ortopedia. Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia, v. 46, p. 9-12, 2011.
ISSN 0102-3616 (Sherpa/Romeo)
Publicador Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia
Extensão 9-12
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0102-36162011000700004
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S0102-36162011000700004 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/6238

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S0102-36162011000700004.pdf
Tamanho: 260.0KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta