Desempenho de uma escala analógica visual legendada na determinação do grau de dispneia durante teste de broncoespasmo induzido por exercício em crianças e adolescentes asmáticos

Desempenho de uma escala analógica visual legendada na determinação do grau de dispneia durante teste de broncoespasmo induzido por exercício em crianças e adolescentes asmáticos

Título alternativo Performance of a word labeled visual analog scale in determining the degree of dyspnea during exercise-induced bronchoconstriction in children and adolescents with asthma
Autor Lima, Patrícia Bueno Autor UNIFESP Google Scholar
Santoro, Ilka Lopes Autor UNIFESP Google Scholar
Caetano, Lilian Ballini Autor UNIFESP Google Scholar
Cabral, Anna Lúcia De Barros Google Scholar
Fernandes, Ana Luisa Godoy Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Hospital Darcy Vargas
Resumo OBJECTIVE: There is an indirect relationship between airway obstruction in asthma and the intensity of breathlessness (dyspnea). A word labeled visual analog dyspnea scale with a 0-3 score has been widely used for the assessment of the degree of bronchoconstriction, although the perception of such obstruction varies considerably. The objective of this study was to determine whether children and adolescents are able to perceive acute exercise-induced bronchoconstriction (EIB), as well as to measure the discriminatory power of a word labeled visual analog dyspnea scale in relation to the intensity of the EIB. METHODS: A cross-sectional study involving 134 children and adolescents with asthma and submitted to a six-minute steady-state exercise test on a cycle ergometer. The intensity of dyspnea was determined using a word labeled visual analog dyspnea scale prior to each determination of FEV1. The scale is scored from 0 to 3, with a logical sequence of pictures, ranging from no symptoms to severe dyspnea. Variables were determined at baseline, as well as at 5, 10, and 20 min after the exercise test. The accuracy of the dyspnea scale in identifying the degree of EIB was determined by means of ROC curves for the post-exercise fall in FEV1, using cut-off points of 10%, 20%, 30%, and 40%. RESULTS: Of the patients selected, 111 finished the study, and 52 (46.8%) presented with EIB. The area under the ROC curve increased in direct proportion to increases in the degree of bronchoconstriction. CONCLUSIONS: Among children and adolescents with asthma, the accuracy of this dyspnea scale improves as the post-exercise percentage fall in FEV1 increases. However, the predictive value of the scale is suboptimal when the percentage fall in FEV1 is lower.

OBJETIVO: Existe uma relação indireta entre a obstrução das vias aéreas em asma e a intensidade de falta de ar (dispneia). Uma escala visual analógica legendada de dispneia com escore de 0-3 pontos tem sido amplamente utilizada na avaliação da broncoconstrição, embora a percepção de tal obstrução seja muito variável. O objetivo deste estudo foi determinar se crianças e adolescentes são capazes de perceber a broncoconstrição aguda induzida por exercício (BAIE), bem como medir o poder discriminatório de uma escala visual analógica legendada de dispneia em relação à intensidade de BAIE. MÉTODOS: Estudo transversal com 134 crianças e adolescentes asmáticos que foram submetidos a um teste de broncoespasmo induzido por seis minutos de exercício em um cicloergômetro. A intensidade da dispneia foi determinada utilizando-se uma escala visual analógica legendada de dispneia antes de cada determinação de VEF1. A escala tem um escore de 0-3 pontos, com desenhos em uma sequência lógica variando entre sem sintomas e dispneia grave. As variáveis foram determinadas no momento basal, assim como em 5, 10 e 20 minutos após o término do teste de exercício. A acurácia da escala de dispneia em detectar o grau de BAIE foi determinada através de curvas ROC para a queda de VEF1 após o exercício, usando pontos de corte de 10%, 20%, 30% e 40%. RESULTADOS: Dos pacientes selecionados, 111 completaram o estudo, e 52 (46,8%) apresentaram BAIE. A área sob a curva ROC progressivamente aumentou com o aumento do grau de broncoconstrição. CONCLUSÕES: Em crianças e adolescentes asmáticos, a acurácia desta escala de dispneia melhora com o aumento do percentual de queda em VEF1 após o exercício. Entretanto, o valor preditivo da escala é subótimo quando a porcentagem de queda em VEF1é menor.
Palavra-chave Asthma
Asthma, exercise-induced
Dyspnea
Asma
Asma induzida por exercício
Dispneia
Idioma Português
Data de publicação 2010-10-01
Publicado em Jornal Brasileiro de Pneumologia. Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia, v. 36, n. 5, p. 532-538, 2010.
ISSN 1806-3713 (Sherpa/Romeo, fator de impacto)
Publicador Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia
Extensão 532-538
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S1806-37132010000500003
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
Web of Science WOS:000283401900003
SciELO S1806-37132010000500003 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/5972

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S1806-37132010000500003-en.pdf
Tamanho: 379.0KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo
Nome: S1806-37132010000500003-pt.pdf
Tamanho: 396.4KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta