Formas de resistência e a sua relação com os dispositivos de segurança enquanto tecnologias de regulação da população

Formas de resistência e a sua relação com os dispositivos de segurança enquanto tecnologias de regulação da população

Author Lourenconi, Isabel Cristina Autor UNIFESP Google Scholar
Advisor Silveira, Fernando De Almeida Autor UNIFESP Google Scholar
Institution Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Graduate program Interdisciplinar em Ciências da Saúde
Abstract The theme resistance is an important phenomenon to be researched. It is appropriated by various media, social movements, political parties, academia, among others. In the area of Health Sciences its relevance is to open possibilities for discussion in the construction of public health policies. Thus, the objective of this research is to understand how the notion of resistance is configured, what are its forms and its relationship with safety devices in the regulation of the population. The object of this theoretical research is therefore the notion of resistance, present in the course Segurança, Território, População, taught by Michel Foucault at the Collège de France in 1978. Foucault elaborates the history of governmentality and exposes how, in the late 17th and in the mid-eighteenth century, a new form of governmentality was formed, which bears resemblance to Christian pastoral power. This new way of governing uses biopower and safety devices to regulate the population. The philosopher identifies, in the field of Christian pastorate and in the model of government aimed at the figure of the sovereign, resistances and counter-conducts that contributed to the emergence of the state. Resistance and counter-conduct resulted in the constitution of a reshaped subject. In our research we found that the possibility of resistance, as Foucault proposed, is conditional on the exercise of power / freedom. The set of technologies and biopolitics used for the exercise of governmentality, for example, led us to reflect on the possibilities of resistance and counter-conduct in relation to safety devices. Based on the way security devices are established, we discuss whether such technologies approach the exercise of power / freedom, enabling resistances or domination, not allowing resistances and counterconduct.

O tema resistência é um fenômeno importante a ser pesquisado. É apropriado por diversos veículos de comunicação, por movimentos sociais, partidos políticos, no meio acadêmico, entre outros. Na área das Ciências da Saúde sua relevância está em abrir possibilidades de discussão na construção de políticas públicas de saúde. Deste modo, o objetivo desta pesquisa é compreender como se configura a noção de resistência, quais são suas formas e a sua relação com os dispositivos de segurança na regulação da população. O objeto desta pesquisa teórica é, portanto, a noção de resistência, presente no curso Segurança, território, população, ministrado por Michel Foucault no Collège de France em 1978. Foucault elabora a história da governamentalidade e expõe como, em fins de século XVII e meados do século XVIII, constituiu-se uma nova forma de governamentalidade, que tem semelhanças com o poder pastoral cristão. Este novo modo de governar utiliza-se do biopoder e de dispositivos de segurança para a regulação da população. O filósofo identifica, no campo do pastorado cristão e no modelo de governo voltado para a figura do soberano, resistências e contracondutas que contribuíram para a emergência do Estado. As resistências e contracondutas resultaram na constituição de um sujeito remodelado. Em nossa pesquisa constatamos que a possibilidade de resistência, conforme propôs Foucault, está condicionada ao exercício do poder/liberdade. O conjunto de tecnologias e a biopolítica utilizados para o exercício da governamentalidade, por exemplo, conduziu-nos a reflexões sobre as possibilidades de resistência e contraconduta em relação aos dispositivos de segurança. Baseando-nos no modo como os dispositivos de segurança estão estabelecidos, discutimos se tais tecnologias se aproximam do exercício de poder/liberdade, possibilitando resistências ou da dominação, não permitindo resistências e contracondutas.
Keywords Foucault
Políticas Públicas
Resistência
Foucault
Políticas Públicas
Resistência
Language Portuguese
Date 2019-06-18
Research area Ciências Humanas, Sociais E Saúde
Knowledge area Promoção, Prevenção E Reabilitação Em Saúde
Publisher Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extent 156 p.
Origin https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.jsf?popup=true&id_trabalho=8528440
Access rights Closed access
Type Dissertation
URI https://repositorio.unifesp.br/handle/11600/59629

Show full item record




File

File Size Format View

There are no files associated with this item.

This item appears in the following Collection(s)

Search


Browse

Statistics

My Account