Influência da intensidade moderada e severa do exercício físico no humor de dependentes de exercício físico

Influência da intensidade moderada e severa do exercício físico no humor de dependentes de exercício físico

Author Lucas, Mario Augusto Medeiros Autor UNIFESP Google Scholar
Advisor Antunes, Hanna Karen Moreira Autor UNIFESP Google Scholar
Institution Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Graduate program Interdisciplinar em Ciências da Saúde
Abstract Introduction: The regular practice of physical exercise is recognized for its ability to provide improvements in physical and mental health and consequently reduction of chronic diseases risk. In addition, acute physical exercise performed in moderate intensity is also capable to promote changes in mood, which are indicated as the most capable to positive changes. However, some practitioners seem to engage in compulsive exercise, leading to stereotyped patterns of exercise, withdrawal symptoms, mood disorders, and psychological, physiological, and social harm, such a compulsion for practice is known as exercise addiction. However, there are no studies demonstrating the relationship between mood changes and exercise intensity for this specific public. Objective: To verify possible differences in the mood profile and affective response in individuals with and without Physical Exercise Dependence Syndrome (SDEF) at different intensities of effort. Methodology: 17 volunteers, physically active and healthy, participated in this study, 8 of the Dependent group (DE) and 9 of the Control group (C) were evaluated. Both groups were submitted to 2 exercises performed at different intensities of effort, being 60% of Vpeak (moderate) and 85% of Vpeak (severe). Psychometric instruments (Brunel Humor Scale, Visual Analogue Mood Scale, Idate State, Subjective Exercise Experience Scale, Affectivity Scale) were used to evaluate the aspects of mood, wellbeing and affective response in the following moments: baseline, immediately after exercise and 30 minutes after exercise. The study was submitted and approved by the Research Ethics Committee of the Federal University of São Paulo / Hospital São Paulo via Plataforma Brasil (# 0116/2017). For statistical treatment, data were compared using GLM (General Linear Models) with Sidak post hoc and T-Test for independent samples when necessary. The statistical significance was set at p≤0.05. Results: The results showed that in exercise was performed at moderate intensity, both groups (C and DE) showed positive changes in mood and affectivity responses. However, when the exercise was performed in severe intensity, group C presented negative mood and affective response changes, with worsening of the feeling of well-being and the dimension of Total Humorous Disorder (DTH), while the DE group presented positive mood changes and affective response, with improved mental sedation dimension and decreased anxiety. Conclusion: Our results suggest that subjects with and without SDEF respond differently to exercise performed in severe intensity, and a possible relationship between SDEF and exercise intensity.

Introdução: A prática regular do exercício físico é reconhecida por sua capacidade de proporcionar melhoras na saúde física, mental e consequentemente a diminuição no risco de acometimento de doenças crônicas. Além disso, mesmo realizado de forma aguda também é capaz de proporcionar alterações no estado de humor, sendo aqueles realizados em intensidades moderadas, apontados como os mais capacitados a alterações positivas. No entanto, alguns praticantes parecem se envolver com a prática de maneira compulsiva, levando a padrões estereotipados de exercício, sintomas de abstinência, transtornos de humor e prejuízos nas esferas psicológica, fisiológica e social, tal compulsão pela prática é conhecida como Dependência de Exercício, contudo, não existem estudos que demonstrem a relação das alterações de humor e intensidade de exercício para este público específico. Objetivo: Verificar as diferenças na ansiedade, estado de humor e resposta afetiva em indivíduos com e sem Síndrome de Dependência de Exercício Físico (SDEF) em diferentes intensidades de esforço. Metodologia: Participaram deste estudo 17 voluntários, fisicamente ativos e saudáveis, sendo 8 do grupo de Dependentes (DE) e 9 do grupo Controle (C) foram avaliados. Ambos os grupos foram submetidos a 2 exercícios realizados em diferentes intensidades de esforço, sendo 60% da Vpico (moderado) e 85% da Vpico (severo). Para avaliação dos aspectos de humor, bem-estar e resposta afetiva foram utilizados instrumentos psicométricos (Escala de Humor de Brunel, Escala Visual Analógica de Humor, Idate Estado, Escala de Subjetiva Experiência em Exercício, Escala de Afetividade) nos seguintes momentos: Basal, imediatamente após o exercício e 30 minutos após o exercício. O estudo foi submetido e aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal de São Paulo/ Hospital São Paulo via Plataforma Brasil (#0116/2017). Para o tratamento estatístico, os dados foram comparados usando GLM (General Linear Models) com post hoc de Sidak e Teste T para amostras independentes quando necessários. A significância estatística adotada foi de p≤0,05. Resultados: Os resultados demonstraram que quando realizado o exercício em intensidade moderada, ambos os grupos (C e DE) apresentaram alterações positivas nas respostas de humor e afetividade. Porém, quando realizado em intensidade severa, o grupo C apresentou alterações negativas no humor e resposta afetiva (-2,22), com piora do sentimento de bem-estar (p=0,01) e da dimensão Distúrbio Total de Humor (DTH) (p=0,01), enquanto o grupo DE apresentou alterações positivas no humor e resposta afetiva (1,00), com melhora da dimensão sedação mental (p=0,01) e diminuição da ansiedade (p=0,03). Conclusão: Esses resultados sugerem que sujeitos com e sem SDEF respondem de forma diferente ao exercício realizado em intensidade severa, onde pessoas com SDEF apresentam melhora na ansiedade, humor e resposta afetiva positiva, enquanto que pessoas controle apresentam piora no estado de humor e resposta afeitva negativa, desta forma, sugerimos também uma possível relação entre SDEF e intensidade de exercício e sua importância para o seu tratamento.
Keywords Dependency
Exercise
Intensity
Mood.
Dependência
Exercício Físico
Intensidade
Humor.
Language Portuguese
Date 2019-06-17
Publisher Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extent 103 p.
Origin https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.jsf?popup=true&id_trabalho=7680674
Access rights Closed access
Type Dissertation
URI https://repositorio.unifesp.br/handle/11600/59267

Show full item record




File

File Size Format View

There are no files associated with this item.

This item appears in the following Collection(s)

Search


Browse

Statistics

My Account