Fatores associados à ocorrência de pancreatite aguda após papilectomia endoscópica: estudo de caso controle

Fatores associados à ocorrência de pancreatite aguda após papilectomia endoscópica: estudo de caso controle

Autor Taglieri, Eloy Google Scholar
Orientador Ardengh, Jose Celso Google Scholar
Pós-graduação Medicina (Radiologia Clínica)
Resumo Introdução: A pancreatite aguda é evento adverso comum após a papilectomia endoscópica. A colocação de prótese plástica pancreática parece prevenir a ocorrência da pancreatite aguda. Avaliamos os fatores associados à ocorrência da pancreatite em pacientes com tumores da papila duodenal maior submetidos à papilectomia endoscópica com intenção curativa. Métodos: Análise retrospectiva de base de dados, incluindo pacientes com tumores da papila duodenal, que foram submetidos ao papilectomia endoscópica de janeiro de 2008 a novembro de 2016 em dois centros terciários. Parâmetros clínicos, laboratoriais, ultrassom endoscópico e colocação da prótese plástica pancreática para prevenção foram avaliados. Resultados: Setenta e dois pacientes foram submetidos à papilectomia endoscópica (37 homens), com média de idade de 60,3 anos (31 a 88). O diâmetro médio do ducto pancreático principal foi de 0,44 (0,18 a 1,8) cm. O tamanho médio do tumor foi de 1,8 (0,5 a 9,6) cm. Os tumores foram estadiados como uT1N0, uT2N0 e uT1N1 em 87,5%, 11,1% e 1,4%, respectivamente. Trinta e oito eventos adversos ocorreram em 33 (45,8%) pacientes, sem mortalidade. A pancreatite ocorreu em 23,6% dos casos. A bilirrubina total, direta e indireta, o tamanho do tumor, o diâmetro do ducto pancreático principal e a colocação da prótese pancreática plástica preventiva tiveram razão de chances (RC) de 0,82, 0,78, 0,43, 0,13, 3,072e-04 e 6,43, respectivamente, para a ocorrência de pancreatite. A análise multivariada (implantação da prótese plástica pancreática x diâmetro do ducto pancreático principal) mostrou risco de chance de 5,12 (IC 95%, 1,51-18,72; p = 0,01) e 0,000491 (IC 95%, 2,69e -07 - 0,189; p = 0,026) para a ocorrência de pancreatite. Conclusões: Pacientes ictéricos, com tumores grandes e dilatação do ducto pancreático, parecem apresentar menor tendência a ocorrência de pancreatite. A inserção de prótese plástica no pâncreas parece ser desnecessária na maioria dos casos, podendo estar associada a maior risco de pancreatite.
Assunto Neoplasia ampular; Papilectomia endoscópica; Stent pancreático; Pancreatite pós-procedimento; Neoplasia da papila / diagnóstico; Endossonografia / método
Cobertura Departamento de diagnóstico por imagem
Idioma Português
Data 2019-08-22
Publicado em TAGLIERI, Eloy. Fatores associados à ocorrência de pancreatite aguda após papilectomia endoscópica: estudo de caso controle. 2019 (Doutorado) - Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo, São Paulo, 2019.
Editor Universidade Federal de São Paulo
Extensão 49 f.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de Doutorado
URI https://repositorio.unifesp.br/handle/11600/59020

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Nome: Tese Eloy Taglieri.pdf
Tamanho: 938.0Kb
Formato: PDF
Descrição:
Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)