Tratamento da superdosagem de anticoagulantes orais

Tratamento da superdosagem de anticoagulantes orais

Título alternativo Reversal of excessive oral anticoagulation
Autor Lourenco, Dayse Maria Autor UNIFESP Google Scholar
Morelli, Vânia Maria Autor UNIFESP Google Scholar
Vignal, Carla Valadares Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo PURPOSE: To evaluate the response of 73 patients with antivitamin K (AVK) overdose to 3 different therapeutic regimens. METHODS: Seventy three patients were evaluated in 94 occasions: group A (N=32), consisted of drug withdrawal for 2 days followed by reduced dosage; group B (N=37), drug withdrawal and reassessment within 4 days; group C (N=25), oral administration of vitamin K. Therapeutic range was set between INR-values of 2 and 4. RESULTS: Reversal regimens did not result in differences among 61 patients who had initial INR <8 (chi²=2.352, p=0.671). There were more patients bellow therapeutic range in group C (N=14) than group B (N=19) (chi² =9.998, p=0.007). After intervention, 7 patients in group B still had INR >4, but 5 of them were bellow 4.5, without increased bleeding risk. There were 10 patients in group C bellow therapeutic range, 6 of them with INR < 1.6, with risk of thromboembolism. Thirteen patients bled, but none required transfusion. CONCLUSION: Reversal of excessive oral anticoagulation can be safely performed by initial withdrawal of the drug, followed by lower doses. Vitamin K administration may lead to INR bellow the therapeutic range. This should be reserved for patients with high INR or in the presence of bleeding.

OBJETIVO: Verificar a resposta de 73 pacientes com superdosagem de droga anti-vitamina K (AVK) a 3 esquemas de tratamento. MÉTODOS: Os 73 pacientes foram avaliados em 94 ocasiões e divididos em 3 grupos: grupo A (N=32) , suspensão do AVK por 2 dias e introdução de dose menor; grupo B (N=37), suspensão do AVK e reavaliação em 4 dias; grupo C (N=25), vitamina K por via oral. A razão normalizada internacional (RNI) final foi considerada adequada quando entre 2,0 e 4,0. RESULTADOS: Não houve diferença entre os tratamentos (chi²=2,352, p=0,671) para 61 pacientes com RNI inicial <8. Houve mais pacientes com RNI <2 no grupo C (chi²=9,998, p=0,007) entre 33 pacientes com RNI inicial >8. Cinco dos 7 pacientes do grupo B que continuaram com superdosagem tinham RNI <4,5 e pequeno risco de hemorragia. Entretanto, 6 dos 10 pacientes do grupo C com anticoagulação insuficiente tinham RNI <1,6 e risco de trombose. Treze pacientes sangraram, mas sem necessidade de transfusão. CONCLUSÃO: A reversão da superdosagem de AVK pode ser feita pela suspensão da droga Administração de vitamina K, por via oral, deve se restringir a pacientes com RNI mais elevado para se evitar anticoagulação insuficiente.
Palavra-chave oral anticoagulation
vitamin K
bleeding
throboembolism
anticoagulação oral
vitamina K
sangramento
tromboembolismo
Idioma Português
Data de publicação 1998-01-01
Publicado em Arquivos Brasileiros de Cardiologia. Sociedade Brasileira de Cardiologia - SBC, v. 70, n. 1, p. 9-13, 1998.
ISSN 0066-782X (Sherpa/Romeo)
Publicador Sociedade Brasileira de Cardiologia - SBC
Extensão 9-13
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0066-782X1998000100003
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S0066-782X1998000100003 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/565

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S0066-782X1998000100003.pdf
Tamanho: 53.14KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta