Poluição atmosférica no Estado de São Paulo: análise das emissões industriais e impactos associados

Poluição atmosférica no Estado de São Paulo: análise das emissões industriais e impactos associados

Author Corá, Bianca Pereira Autor UNIFESP Google Scholar
Advisor Miraglia, Simone Georges El Khouri Autor UNIFESP Google Scholar
Graduate program Análise Ambiental Integrada
Abstract A produção industrial tem sido estimulada devido ao crescimento populacional e à expansão do capitalismo, aumentando as taxas de produtividade e o alcance mundial do comércio. Esta produção é responsável pela emissão de elevados níveis de poluentes que são prejudiciais para a qualidade do ar e tem causado impactos à saúde e ao meio ambiente. Este trabalho analisou as emissões totais de material particulado fino (MP2,5) em 11 municípios com maior consumo energético do Estado de São Paulo (indicador do nível de atividade econômica) e estabeleceu associação com a mortalidade por doenças cardiorrespiratórias atribuída à poluição do ar no período de 2008 a 2016. Uma revisão sistemática dos estudos epidemiológicos referentes aos efeitos da poluição atmosférica de MP2,5 na saúde humana foi conduzida utilizando como base os dados dos Periódicos Capes e PubMed. Foram coletados os dados de consumo de energia elétrica, concentração de MP2,5 e de mortalidade por doenças cardiorrespiratórias nos municípios objeto de estudo e realizadas análises dos impactos em saúde. A indústria de São Paulo foi a que mais emitiu poluentes atmosféricos na atmosfera, porém, o município que mais consome energia elétrica por unidade consumidora e mais emite poluentes atmosféricos por indústria é o município de Cubatão (média de 39.415.554,73 kWh/N.C. e média de 2.782,27 tCO2/N.C.), seguido de Paulínia (média de 2.572.518,69 kWh/N.C. e média de 184,37 tCO2/N.C.). Tanto Cubatão quanto Paulínia, também representaram as maiores contribuições fracionárias entre os municípios estudados, com médias de 0,11 e 0,07, respectivamente. O número de óbitos associados à poluição atmosférica de MP2,5, apresentou os maiores valores para os municípios de São Paulo (3.247,20 óbitos), Guarulhos (3.237,35 óbitos) e Santo André (2.225,11 óbitos). As maiores taxas de mortalidade são dos municípios de Cubatão (380,13 óbitos), Santo André (328,96 óbitos) e Guarulhos (264,92 óbitos), para 100.000 habitantes. A população está sendo exposta a elevadas concentrações de poluentes com reflexos diretos na saúde pública: a taxa de mortalidade nos municípios estudados é, em média, 225,48 óbitos por doenças cardiorrespiratórias associadas ao MP2,5/100.00 habitantes.

Industrial production has been stimulated by population growth and the expansion of capitalism, increasing productivity rates and the global reach of trade. This production is responsible for emitting high levels of pollutants that are harmful to air quality and has caused impacts to health and the environment. This work analysed the total emissions of fine particulate matter (PM2.5) in 11 counties with the highest energy consumption in the State of São Paulo (indicator of the economic activity level) and established an association with mortality due to cardiorespiratory diseases attributed to air pollution in the period from 2008 to 2016. A systematic review of the epidemiological studies regarding the effects of air pollution of PM2.5 on human health was conducted using data from the Capes and PubMed journals. Data were collected on the consumption of electric energy, PM2.5 concentration and mortality from cardiorespiratory diseases in the studied municipalities and analyses of health impacts. The industry of São Paulo was the one that emitted the most atmospheric pollutants, but the municipality that consumes the most electricity and consumes more air pollutants per industry is the municipality of Cubatão (average of 39,415,554.73 kWh / NC and average of 2,782.27 tCO2 / NC), followed by Paulínia (average of 2,572,518,69 kWh / NC and average of 184,37 tCO2 / NC). Both Cubatão and Paulínia, also represented the largest fractional contributions among the studied municipalities, with averages of 0.11 and 0.07, respectively. The number of deaths associated with atmospheric pollution of MP2.5, showed the highest values for the municipalities of São Paulo (3,247.20 deaths), Guarulhos (3,237.35 deaths) and Santo André (2,225.11 deaths). The highest mortality rates are from Cubatão (380.13 deaths), Santo André (328.96 deaths) and Guarulhos (264.92 deaths), for 100,000 inhabitants. The population is being exposed to high concentrations of pollutants with direct repercussions on public health: the mortality rate in the municipalities studied is, on average, 225.48 deaths from cardiorespiratory diseases associated with MP2.5 / 100.00 inhabitants.
Keywords Poluição atmosférica
Material particulado
Saúde pública
Atividade industrial
Emissões industriais
Atmospheric pollution
Particulate matter
Public health
Industrial activity
Industrial emissions
xmlui.dri2xhtml.METS-1.0.item-coverage Diadema
Language Portuguese
Sponsor Não recebi financiamento
Date 2019-03-29
Research area Avaliação, Prognóstico e Diagnóstico Ambiental
Knowledge area Análise Ambiental Integrada
Publisher Universidade Federal de São Paulo
Extent 131 f.
Access rights Open access Open Access
Type Dissertation
URI https://repositorio.unifesp.br/handle/11600/56224

Show full item record




File

Name: Dissertação - Bianca Pereira Cora.pdf
Size: 3.240Mb
Format: PDF
Description:
Open file

This item appears in the following Collection(s)

Search


Browse

Statistics

My Account