Anastomose esôfago-esofágica cervical por invaginação versus a em plano único extramucoso, no cão

Anastomose esôfago-esofágica cervical por invaginação versus a em plano único extramucoso, no cão

Título alternativo Cervical esophagus-esophageal anastomosis by invagination versus a single extramucosal plane, in dogs
Autor Nigro, Amaury José Teixeira Autor UNIFESP Google Scholar
Novo, Neil Ferreira Autor UNIFESP Google Scholar
Juliano, Yara Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo The objective of our study was to verify the efficacy of cervical esophagus-esophageal anastomoses by invagination compared to execution by a single extramucosal plane. Sixty healthy mongrel dogs of both sexes with a medium body weight of 15 kg. were separated into two groups. Group I: anastomosis by invagination and group II: Anastomosis using one plane of extramucosal suture. Each group was divided into three equal subgroups based on post-operative time periods of 7, 14 and 30 days. In Group I the tunica adventitia and muscle were removed, exposing a 2 cm. long tubular segment of submucosa-mucosa which was maintained in cntinuity with the proximal cervical stump. In Group II all the tunica adventitia of the cervical esophagus was extirpated with the same length of resection as in Group I. The esophageal stumps were approximated with 4-0 polypropylene sutures in a single extramucosal plane but in group I, the submucosa-mucosa were previously invaginated into the interior of the caudal esophageal stump. The incidence of early and late post-operative complications and histological characteristics of the process at each site of the anastomoses were evaluted. Statistical analysis of the data verified that fistula at the suture site was not observed in any dog in the experimental series using the invagination method and a partial stenosis was observed in only one dog. On the other hand, the dogs submitted to cervical esophagus-esophageal anastomoses in a single extramucosal plane presented with 13% fistula and 30% stenosis. The healing of the structure of the esophageal wall at the level of the anastomosis was significantly improved using invaginatios as compared ti the single plane extramucosal group. It can be conclued that cervical esophagus-esophageal anastomoses by invagination is more efficatious than a single extramucosal plane.

O objetivo é verificar a eficácia da anastomose esôfago-esofágica por invaginação quando comparada à executada em plano único extramucoso. Utilizou-se 60 cães, sadios, sem raça deficida, de ambos os sexos, com peso médio de 15kg. Foram separados em dois grupos iguais; no GRUPO I será feita anastomose por invaginação e, no GRUPO II, a em um plano único extramucoso. Cada grupo foi subdividido em 3 subgrupos iguais, e para cada um deles foi estabelecido um determinado período de observação pós-operatório (PO) de 7, 14 e 30 dias, respectivamente. Retirou-se no GRUPO I as túnicas adventícia e muscular para formar um tubo de submucosa-mucosa de 2 centímetros de comprimento que foi mantido em continuidade com o coto cervical proximal e no GRUPO II foram extirpadas todas as tunicas do esôfago cervical com a mesma extensão ressecada no grupo I. As suturas para aproximar os cotos esofágicos foram todas feitas com fio de polipropileno 4 zeros em um plano único extramucoso, mas nos animais do GRUPO I foi invaginado, previamente, o tubo de submucosa-mucosa no interior do coto esofágico caudal. Avaliou-se a incidência de complicações pós-operatórias imediatas e tardias e as características histológicas da cicatrização de cada tipo de anastomose. A análise estatística dos dados coletados permitiu verificar que na anastomose esôfago-esofágica cervical por invaginação não ocorreu fístula ao nível da sutura em nenhum cão da série e verificou-se estenose, muito leve, em apenas um animal. Por outro lado, os cães submetidos à anastomose em plano único extramucoso apresentaram 13% de fístulas e 30% de estenose. A cicatrização das estruturas da parede esofágica ao nível da anastomose foi significantemente melhor na anastomose por invaginação do que na executada em um plano único extramucoso. Pode-se concluir que a anastomose esôfago-esofágica cervical por invaginação é mais eficaz do que a feita em plano único extramucoso.
Palavra-chave Anastomosis, surgical
Sutures
Esophagus
Dogs
Anastomose cirúrgica
Suturas
Esôfago
Cães
Idioma Português
Data de publicação 1997-12-01
Publicado em Acta Cirurgica Brasileira. Sociedade Brasileira para o Desenvolvimento da Pesquisa em Cirurgia, v. 12, n. 4, p. 255-265, 1997.
ISSN 0102-8650 (Sherpa/Romeo)
Publicador Sociedade Brasileira para o Desenvolvimento da Pesquisa em Cirurgia
Extensão 255-265
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0102-86501997000400009
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S0102-86501997000400009 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/555

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S0102-86501997000400009.pdf
Tamanho: 590.3KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta