Alcohol-dependent patients receiving specialised outpatient care: an overview of gender issues

Alcohol-dependent patients receiving specialised outpatient care: an overview of gender issues

Título alternativo Dependentes do álcool atendidos em ambulatório especializado: um olhar na questão do gênero
Autor Elbreder, Márcia Fonsi Autor UNIFESP Google Scholar
Silva, Rebeca de Souza e Autor UNIFESP Google Scholar
Laranjeira, Ronaldo Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo OBJECTIVE: The objective of the present study, with focus on gender, was aimed at evaluating alcohol-dependent individual in terms of socio-demographic variables related to alcohol consumption and therapeutic interventions. METHODS: This is a retrospective cross-sectional study of 1,051 patients (833 men and 218 women), with diagnosis of alcohol dependence syndrome, according to ICD-10 criteria, who had sought treatment for the first time at a specialised health centre between 2000 and 2006. RESULTS: The results showed that women, compared to men, are more likely to be unemployed and without partner, in addition to having higher educational level, latter age of alcohol initiation, needing less outpatient alcohol detoxification program, consuming more fermented beverage, presenting less psychiatric comorbidities, and using less coadjutant medications during treatment. CONCLUSION: We can state that some peculiarities exist permeating both gender and alcohol consumption. A further focus on the characteristics of each population is needed to facilitate the adequate use of therapeutic interventions according to gender specificities.

OBJETIVO: O objetivo do presente estudo, com foco no gênero, foi avaliar dependentes de álcool em termos de variáveis sociodemográficas, relacionadas ao consumo de álcool e intervenções terapêuticas. MÉTODOS: Este é um estudo retrospectivo transversal com 1.051 pacientes (833 homens e 218 mulheres), com diagnóstico de síndrome de dependência do álcool, de acordo com o CID-10, que procuraram tratamento pela primeira vez em um serviço especializado, entre 2000 e 2006. RESULTADOS: Os resultados mostraram que as mulheres, comparadas aos homens, eram desempregadas e sem companheiro, além de ter melhor nível educacional, iniciarem o consumo alcoólico mais tardiamente, necessitarem menos do programa de desintoxicação alcoólica ambulatorial, consumirem mais bebidas fermentadas, apresentarem menos comorbidades psiquiátricas e usarem menos medicamentos coadjuvantes durante o tratamento. CONCLUSÃO: Pode-se afirmar que existem algumas peculiaridades que permeiam ambos os gêneros e o consumo alcoólico. É necessário ampliar o foco nas características de cada população, a fim de facilitar intervenções terapêuticas mais ajustadas, de acordo com as especificidades.
Palavra-chave Gender
outpatient care
alcoholism
Gênero
tratamento ambulatorial
alcoolismo
Idioma Inglês
Data de publicação 2010-01-01
Publicado em Jornal Brasileiro de Psiquiatria. Instituto de Psiquiatria da Universidade Federal do Rio de Janeiro, v. 59, n. 1, p. 24-27, 2010.
ISSN 0047-2085 (Sherpa/Romeo)
Publicador Instituto de Psiquiatria da Universidade Federal do Rio de Janeiro
Extensão 24-27
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0047-20852010000100004
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S0047-20852010000100004 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/5485

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S0047-20852010000100004.pdf
Tamanho: 96.02KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta