Como o ortopedista brasileiro trata entorse lateral aguda do tornozelo?

Como o ortopedista brasileiro trata entorse lateral aguda do tornozelo?

Título alternativo How does the brazilian orthopedic surgeon treat acute lateral ankle sprain?
Autor Belangero, Paulo Santoro Autor UNIFESP Google Scholar
Tamaoki, Marcel Jun Sugawara Autor UNIFESP Google Scholar
Nakama, Gilberto Yoshinobu Autor UNIFESP Google Scholar
Shoiti, Marcus Vinicius Autor UNIFESP Google Scholar
Gomes, Rodrigo Vick Fernandes Autor UNIFESP Google Scholar
Belloti, Joao Carlos Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo OBJECTIVE: Acute lateral ankle sprain (ALAS) is one of the most common injuries, the treatment of which has yet to be firmly established. The purpose of this study was to determine the Brazilian Orthopaedic Surgeon's behavior in relation to diagnosis, classification, treatment and complications of the Acute Lateral Ankle Sprain. METHODS: A multiple choice questionnaire was developed which addressed the main aspects related to the treatmentof acute lateral ankle sprains (ALAS). The questionnaire was made available from June 15 to August 1, 2004, at the Official site of the Brazilian Society of Orthopedics and Traumatology. RESULTS: 444 questionnaires were included in the analysis. The results showed agreement among most of those interviewed in the following regards: 90.8% use some classification to guide treatment of the sprain; 59% classify the ankle sprain with certainty; 63.7% use the immobilization in cases of totally ruptured ligaments; 60.6% use anti-inflammatory medication in partial ligament ruptures; 75.9% reported that residual pain was the most frequent complication. There was no consensus regarding treatment of partial ALAS, as immobilization and functional treatment were chosen with the same frequency (47% each). There was no significant difference between the answers of residents and orthopedists. CONCLUSIONS: Orthopedic surgeons and orthopedic residents in Brazil have difficulty classifying ALAS and there is no consensus about the best therapeutic option for partial ALAS.

OBJETIVO: A entorse lateral aguda do tornozelo (ELAT) é uma afecção frequente cujo tratamento ainda não se encontra totalmente estabelecido. O objetivo do estudo foi verificar a conduta do médico ortopedista brasileiro (incluindo residentes) em relação ao diagnóstico, classificação, tratamento e complicações da entorse lateral aguda do tornozelo (ELAT). MÉTODOS: Um questionário de múltipla escolha foi elaborado com objetivo de abordar os principais aspectos do tratamento da ELAT. O questionário foi veiculado na página eletrônica oficial da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia, no período de 15 de junho a 1º de agosto de 2004. RESULTADOS: Foram incluídos para análise um total de 444 questionários. Os resultados demonstraram concordância da maioria dos entrevistados em relação aos seguintes aspectos: 90,8% utilizam alguma classificação para nortear o tratamento da entorse; 59% classificam a ELAT com segurança; 63,7% utilizam imobilização rígida nas lesões ligamentares completas; 60,6% utilizam medicação anti-inflamatória na ruptura ligamentar parcial; 75,9% relataram que a dor residual é a complicação mais frequente. Não houve consenso quanto ao método de imobilização da ELAT parcial visto que imobilização e tratamento funcional foram escolhidos com a mesma frequência (47%). Não houve diferenças significativas entre as respostas dos residentes e a dos ortopedistas (p = 0,81). CONCLUSÕES: Os ortopedistas e residentes em ortopedia do Brasil têm dificuldade em classificar a ELAT e não há consenso quanto à melhor opção para a ELAT parcial.
Palavra-chave Lateral Ligament
Ankle
Sprains and Strains
Health Evaluation
Ligamentos Laterais do Tornozelo
Entorses e Distensões
Avaliação em Saúde
Idioma Português
Data de publicação 2010-01-01
Publicado em Revista Brasileira de Ortopedia. Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia, v. 45, n. 5, p. 468-473, 2010.
ISSN 0102-3616 (Sherpa/Romeo)
Publicador Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia
Extensão 468-473
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0102-36162010000500015
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S0102-36162010000500015 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/5466

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S0102-36162010000500015.pdf
Tamanho: 947.1KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta