Variação dos níveis de hemoglobina de pacientes em hemodiálise tratados com eritropoetina: uma experiência brasileira

Variação dos níveis de hemoglobina de pacientes em hemodiálise tratados com eritropoetina: uma experiência brasileira

Título alternativo Hemoglobin levels in hemodialysis patients treated with epoetin: a Brazilian experience
Autor Ammirati, Adriano Luiz Autor UNIFESP Google Scholar
Watanabe, Renato Autor UNIFESP Google Scholar
Aoqui, Cristiane Autor UNIFESP Google Scholar
Draibe, Sergio Antonio Autor UNIFESP Google Scholar
Carvalho, Aluizio Barbosa de Autor UNIFESP Google Scholar
Abensur, Hugo Google Scholar
Drumond, Soraia Stael Google Scholar
Moreira, João Google Scholar
Bevilacqua, José Luis Google Scholar
Silva, Anita Cm Google Scholar
Tatsch, Fernando Google Scholar
Canziani, Maria Eugênia Fernandes Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Universidade de São Paulo (USP)
Instituto de Nefrologia e Diálise
Instituto de Hemodiálise de Sorocaba
Roche Brazil
Resumo OBJECTIVE: Correction of anemia using epoetin decreases morbidity and increases survival and quality of life in end-stage renal disease. Maintaining hemoglobin levels within the range proposed by guidelines has become a major challenge, with hemoglobin cycling affecting more than 90% of patients undergoing hemodialysis. The variability of hemoglobin levels over time was assessed in our patients. METHODS: Data were retrospectively collected on 249 patients undergoing hemodialysis over a 3-year period at seven centers in Brazil. Hemoglobin was measured at least monthly, and target levels were those between 10.5 g/dL and 12.5 g/dL. Patients were grouped into six categories of variability consistently low (<10.5g/dL), consistently target range (10.5 to 12.5 g/dL), consistently high (>12.5g/dL), low amplitude fluctuation with low hemoglobin levels, low amplitude fluctuation with high hemoglobin levels and high amplitude fluctuation. None of the patients maintained stable hemoglobin levels for the entire 36-month period. RESULTS: The mean monthly proportion of patients that had hemoglobin levels within the target range was 50% (range, 42% to 61%). Mean levels above the target (30%) were more frequent than those below it (20%). During 6, 12, and 36 months, proportions of patients with consistently low levels of hemoglobin decreased from 3.6% to 0%, from 31.7% to 2.8% for those with consistently high, from 7.6% to 0% for those with low amplitude fluctuation with low hemoglobin levels and from 41.3% to 8.3% for those with low amplitude fluctuation with high hemoglobin levels. However, the proportions of patients with high amplitude fluctuation increased from 21.5% to 88.9%. CONCLUSION: Maintaining hemoglobin levels within the target range is difficult, especially for longer periods of time. Missing the target seems more often due to levels above it, but high-amplitude fluctuations eventually occur in the majority of patients.

OBJETIVO: Avaliar a variabilidade dos níveis de hemoglobina (Hb) em pacientes em hemodiálise (HD) tratados com eritropoetina. MÉTODOS: Foram coletados dados retrospectivos de 249 pacientes que estavam em HD e apresentavam, nos três meses anteriores, média de Hb entre 10,5 g/dL e 12,5 g/dL. O período de observação total foi de 36 meses. A cada mês de coleta, classificaram-se os valores de Hb em: < 10,5g/dL, 10,5g/dL< Hb< 12,5g/dL (intervalo alvo), ou Hb >12,5g/dL. Além disto, os pacientes foram divididos em seis categorias de variabilidade da Hb: baixo persistente (<10,5g/dL), alvo persistente (10,5 a 12,5 g/dL), alto persistente (>12,5g/dL), flutuação de baixa amplitude com Hb baixo, flutuações de baixa amplitude com Hb alto e flutuações de alta amplitude. RESULTADOS: Mês a mês, a média da proporção de pacientes com Hb dentro da faixa alvo foi de 50% (variação, 42% a 61%). A proporção de valores de Hb médios acima da faixa alvo (30%) foi mais frequente que a proporção abaixo do alvo (20%). Durante os períodos de seis, 12, e 36 meses, a proporção de pacientes com Hb baixa persistente se reduziu de 3,6% para 0%; de 31,7% para 2,8% naqueles com Hb alta persistente; de 7,6% para 0% naqueles com baixa amplitude com Hb baixo; e de 41,3% para 8,3% nos pacientes com baixa amplitude com Hb alto. Entretanto, houve aumento na proporção de pacientes (de 21,5% a 88,9%) com alta amplitude de Hb. Portanto, à medida que o tempo de observação se alongou observou-se maior variabilidade dos valores de hemoglobina. Nenhum paciente manteve os níveis de Hb dentro do alvo durante todo o período do estudo. CONCLUSÃO: A manutenção da Hb dentro da faixa alvo é difícil, especialmente em períodos longos e a variabilidade ocorre mais frequentemente para valores mais elevados de Hb.
Palavra-chave Anemia
Erythropoietin
Recombinant
Kidney failure
Chronic
Anemia
Eritropoetina recombinante
Falência renal crônica
Idioma Português
Data de publicação 2010-01-01
Publicado em Revista da Associação Médica Brasileira. Associação Médica Brasileira, v. 56, n. 2, p. 209-213, 2010.
ISSN 0104-4230 (Sherpa/Romeo, fator de impacto)
Publicador Associação Médica Brasileira
Extensão 209-213
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0104-42302010000200021
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
Web of Science WOS:000277558000020
SciELO S0104-42302010000200021 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/5453

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S0104-42302010000200021.pdf
Tamanho: 465.2KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta