Epilepsy research 150 years after Darwin's theory of evolution

Epilepsy research 150 years after Darwin's theory of evolution

Título alternativo Pesquisas em epilepsia 150 anos após a teoria da evolução de Darwin
Autor Scorza, Fulvio Alexandre Autor UNIFESP Google Scholar
Terra, Vera Cristina Google Scholar
Scorza, Carla Alessandra Autor UNIFESP Google Scholar
Arida, Ricardo Mario Autor UNIFESP Google Scholar
Cavalheiro, Esper Abrão Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Universidade de São Paulo (USP)
Resumo On February 12, 2009, we commemorated the 200th anniversary of Charles Darwin's birth and the 150th anniversary of the publication of the ûrst edition of the On the origin of species. Only in the sixth edition of the Origin Darwin explicitly stated that natural selection applied to the brain as to all other organs and contemporary epilepsy research plays an interesting role in this scenario. Epilepsy affects approximately 3 percent of the general population and is a complex disease. At least 11 genes have now been described for human epilepsy and over 50 more genes have been identified in animal models of epilepsy. The complex gene to gene interactions and gene-environment interactions may account for epilepsy susceptibility and antiepileptic drug response. Darwin's thoughts on evolution are relevant to understand these gene interactions, contributing to current development of new treatments and prevention of chronic diseases, such as epilepsy.

Em 12 de Fevereiro de 2009 nós comemoramos o aniversário de 200 anos de Charles Darwin e os 150 anos da publicação da primeira edição do livro A Origem das Espécies. Apenas na sexta edição do livro A Origem, Darwin explicitamente definiu que a seleção natural se aplicava ao cérebro, assim como a todos os outros órgãos e as pesquisas contemporâneas em epilepsia tem um papel interessante neste cenário. A epilepsia afeta aproximadamente 3% da população geral e é uma doença complexa. Ao menos 11 genes foram descritos até o momento na epilepsia humana e mais de 50 genes foram identificados em modelos animais de epilepsia. As complexas interações gene-gene e genes-meio ambiente podem estar relacionadas com a susceptibilidade à epilepsia e respostas às drogas antiepilépticas. Os pensamentos de Darwin quanto à evolução são relevantes para a compreensão dessas interações gênicas, contribuindo para o desenvolvimento de novos tratamentos e na prevenção de doenças crônicas, como a epilepsia.
Assunto Darwin
epilepsy
gene
Darwin
epilepsia
genes
Idioma Inglês
Data 2009-12-01
Publicado em Arquivos de Neuro-Psiquiatria. Academia Brasileira de Neurologia - ABNEURO, v. 67, n. 4, p. 1114-1116, 2009.
ISSN 0004-282X (Sherpa/Romeo, fator de impacto)
Editor Academia Brasileira de Neurologia - ABNEURO
Extensão 1114-1116
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0004-282X2009000600032
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
Web of Science WOS:000272736500032
SciELO S0004-282X2009000600032 (estatísticas na SciELO)
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/5426

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Nome: S0004-282X2009000600032.pdf
Tamanho: 287.7Kb
Formato: PDF
Descrição:
Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)