Análise da relação entre força e equilíbrio em atletas com deficiência visual e seus guias participantes da seleção brasileira paralímpica de atletismo

Análise da relação entre força e equilíbrio em atletas com deficiência visual e seus guias participantes da seleção brasileira paralímpica de atletismo

Author Zirnberger, Thaís Lazaneo Autor UNIFESP Google Scholar
Advisor Oliveira Filho, Ciro Winckler de Autor UNIFESP Google Scholar
Institution Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Abstract O controle do equilíbrio é um processo complexo que depende de três sistemas perceptivos: o vestibular, o proprioceptivo e o visual. Qualquer alteração num destes três sistemas, pode comprometer o processamento da informação, reduzindo a estabilidade e resultando num aumento da oscilação corporal. Os atletas com deficiência visual apresentam alterações no equilíbrio em virtude do comprometimento visual. Acredita-se que a força muscular possa estar associada com o equilíbrio, estudos realizados com diversas populações mostram a relação entre a melhora do nível de força e a melhora de indicadores de equilíbrio. Objetivo: analisar a relação entre força isocinética e o equilíbrio de atletas deficientes visuais e seus guias da seleção brasileira de para-atletismo. Metodologia: O protocolo de pesquisa foi aprovado CEP/UNIFESP Nº0294⁄11. Foram avaliados 20 voluntários, divididos em dois grupos, o grupo com 10 atletas com deficiência visual (DV), das classes T11/T12, 5 do gênero feminino e 5 do masculino, e o grupo com 10 atletas guias do gênero masculino, ambos integrantes da seleção brasileira. Os grupos realizaram a avaliação de equilíbrio e de força muscular no Centro de Estudos em Psicobiologia e Exercício- CEPE. Para avaliação do equilíbrio foi usado o teste de estabilidade postural no equipamento Biodex Balance System SD, com as seguintes variações e sequência: equilíbrio bilateral (apoio bipodal) e equilíbrio unilateral (apoio monopodal direito e esquerdo). Para avaliação de força muscular isocinética foi utilizado um dinamômetro isocinético computadorizado Biodex, no qual foi avaliado o pico de torque dos extensores direito e esquerdo e déficit de extensão contralateral, sendo os flexores do joelho, avaliados da mesma forma, a 60°/s realizando 5 repetições máximas nesta velocidade. As variáveis foram analisadas por meio do software SPSS23. O teste de Shapiro-Wilk foi utilizado para avaliar a normalidade de distribuição dos grupos, o teste T Student foi adotado para comparar as variáveis e o teste de Pearson foi utilizado para correlacioná-las. O nível de significância utilizado foi de 5%. Resultados: Os resultados de força de flexão dos atletas G foram significativamente maiores do que nos atletas DV, enquanto para os outros resultados de força não houveram diferenças significativas entre os grupos. Já para os resultados de equilíbrio, os atletas DV apresentaram resultados significativamente maiores que os atletas G para todas as variações, indicando pior performance do equilíbrio. O déficit de flexão foi a variável mais influente no equilíbrio para os DV. A extensão e a relação quadríceps/isquiotibiais foram as variáveis mais influentes no equilíbrio dos G. Conclusões: Atletas deficientes visuais e atletas videntes dependem de diferentes fatores para manutenção do equilíbrio postural. Enquanto os atletas DV dependem mais do sistema proprioceptivo, os atletas guias são mais dependentes da visão. Além disso, a força muscular está relacionada com a melhora de indicadores de equilíbrio, para ambos os grupos, ainda que isso ocorra de diferentes formas.

Introduction: The balance control is a complex process that relies on three perceptive systems: Vestibular, Visual and Somatosensory. Any change in one of these three systems may damage information processing, reducing stability and resulting in increased body swing. Athletes with visual impairments present balance changes due to changes in visual system. It's believed that muscle strength may be associated with balance; researches performed with different populations show a relationship between the degree of improvement in strength and improved balance indicators. Objective: Analyze the relationship between isokinetic strength and balance of athletes with visual impairments and their guides athletes of the brazilian athletics paralympic team. Methods: The research protocol was approved CEP/UNIFESP N°0294/11. We evaluated 20 vonlunteers, divided in two groups, a group with 10 athletes with visual impairment (VI) in which 5 were female and 5 were male, and a group with 10 male guides athletes, both members of Brazilian paralympic team. Groups performed the evaluation of balance and muscle strength in the Estudy Center of Psichobiology and Exercise (Centro de Estudos em Psicobiologia e Exercício-CEPE). For the balance evaluation was used a Postural Stability Test performed in the Biodex Balance System SD equipment, with the following variation and sequence: bipodal support and one-foot support, right and left. For evaluation of isokinetic muscle strength was used a computerized isokinetic dynamometer Biodex equipment, in which we measured the peak torque of the knee extensors and flexors at 60°/s performing 5 maximum repetitions on this speed. The variables were analyzed using the SPSS 23. The Shapiro-wilk test was used to evalute the distribution’s normality of groups, the Student T-test was used to compare variables and the Pearson correlation coefficient was used to correlate them. The level of significance was 5%. Results: Flexion strength results were significantly greater in G group than in VI group, whereas there were no other significantly difference of strength between groups. For balance results, VI group had significantly higher results than G group, for all variations, indicanting worse balance performance. The flexion deficit was the most influent variable on balance for VI. The extension and hamstring/quadriceps ratio were the most influent variables on balance for G. Conclusions: Athletes with visual impairment and sighted athletes rely on different ways to mantain postural stability. Whereas athletes VI rely more on somatosensory system, G athletes rely more on visual system. Besides, muscle stregth was related with balance indicators improvement, for both groups, even with it happening in different ways
Keywords Atletismo
Equilíbrio
Força
Athletics
Balance
Strength
xmlui.dri2xhtml.METS-1.0.item-coverage ISS
Language Portuguese
Date 2015-12-16
Published in ZIRNBERGER, Thaís Lazaneo. Análise da relação entre força e equilíbrio em atletas com deficiência visual e seus guias participantes da seleção brasileira paralímpica de atletismo. 2015. 36 f. Trabalho de conclusão de curso de graduação (Educação Física) - Instituto de Saúde e Sociedade, Universidade Federal de São Paulo, Santos, 2015.
Knowledge area Promoção da saúde
Publisher Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extent 36 f.
Access rights Closed access
Type Trabalho de conclusão de curso de graduação
URI https://repositorio.unifesp.br/handle/11600/53276

Show full item record




File

Name: THAÍS ZIRNBERGER.PDF
Size: 476.5Kb
Format: PDF
Description: TCC completo
Open file

This item appears in the following Collection(s)

Search


Browse

Statistics

My Account