Study of ocular aberrations with age

Study of ocular aberrations with age

Título alternativo Estudo das aberrações oculares e idade
Autor Athaide, Helaine Vinche Zampar Autor UNIFESP Google Scholar
Campos, Mauro Silveira de Queiroz Autor UNIFESP Google Scholar
Costa, Charles Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo INTRODUCTION: Aging has various effects on visual system. Vision deteriorate, contrast sensitivity decreases and ocular aberrations apparently make the optical quality worse across the years. PURPOSE: To prospective evaluate ocular aberrations along the ages. METHODS: Three hundred and fifteen patients were examined, 155 were male (39.36%) and 160 were female (60.63%). Ages ranged from 5 to 64 year-old, the study was performed from February to November, 2004. Patients were divided into 4 age-groups according to IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) classification: 68 patients from 5 to 14 year-old, 55 patients from 15 to 24 year-old, 116 from 25 to 44 year-old and 76 from 45 to 67 year-old. All patients had the following characteristics: best corrected visual acuity > 20/25, emmetropia or spherical equivalent < 3.50 SD, refractive astigmatism < 1.75 CD on cycloplegic refraction, normal ophthalmologic exam and no previous ocular surgeries. This protocol was approved by Federal University of São Paulo Institutional Review Board. Total optical aberrations were measured by H-S sensor LadarWave® Custom Cornea Wavefront System (Alcon Laboratories Inc, Orlando, FLA, USA) and were statistically analysed. Corneal aberrations were calculated using CT-View software Version 6.89 (Sarver and Associates, Celebration, FL, USA). Lens aberrations were calculated by subtraction. RESULTS: High-order (0.32 e 0.48 µm) and ocular spherical aberrations (0.02 e 0.26 µm) increased respectively in child and middle age groups. High order (0.27 µm) and corneal spherical aberrations (0.05 µm) did not show changes with age. Lens showed a statistically significant spherical aberration increase (from -0.02 to 0.22 µm). Vertical (from 0.10 to -0.07 µm) and horizontal coma (from 0.01 to -0.12 µm) presented progressively negative values with aging. CONCLUSION: High-order and spherical aberrations increased with age due to lens contribution. The cornea did not affect significantly changes observed on ocular aberrations.

INTRODUÇÃO: A idade afeta o sistema visual. A qualidade da visão se deteriora progressivamente com a idade, a sensibilidade ao contraste diminui e as aberrações oculares aumentam contribuindo para a piora da qualidade visual. OBJETIVO: Estudar prospectivamente as aberrações oculares entre as idades de 5 a 64 anos. MÉTODOS: Foram examinados 315 pacientes, 155 homens (39,36%) e 160 mulheres (60,63%) com idades entre 5 a 64 anos. O estudo foi realizado entre fevereiro a novembro de 2004. Os pacientes foram divididos em quatro grupos etários de acordo com a classificação do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística): 68 pacientes entre 5 a 14 anos, 55 pacientes entre 15 a 24 anos, 116 pacientes entre 25 a 44 anos e 76 pacientes entre 45 a 67 anos de idade. Todos apresentavam acuidade visual corrigida para longe >20/25, emetropia ou equivalente esférico <3,5 DE, astigmatismo <1,75 DC ao exame sob cicloplegia, exame oftalmológico normal e sem cirurgia oftalmológica prévia. O Comitê de Ética da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP) aprovou esse protocolo. As aberrações foram medidas usando o sensor H-S (Hartmann-Shack) LadarWave® (Alcon Laboratories Inc, Orlando, FL, USA) e foram analisados estatisticamente. As aberrações da córnea foram calculadas usando o programa CT-View Versão 6.89 (Sarver and Associates, Celebration, FL, USA). As aberrações do cristalino foram calculadas por subtração. RESULTADOS: Encontramos um aumento das aberrações de alta ordem (0,32 e 0,48 µm) e da aberração esférica do olho (0,02 e 0,26 µm) respectivamente nas faixas etárias correspondentes às crianças e meia-idade. As aberrações de alta ordem (0,27 µm) e a aberração esférica da córnea (0,05 µm) não se modificaram com a idade. A aberração esférica do cristalino aumentou (de 0,02 a 0,22 µm). O coma vertical e horizontal apresentaram valores negativos progressivamente com a idade. CONCLUSÃO: As aberrações de alta ordem e a aberração esférica do olho aumentaram com a idade. As aberrações da córnea não aumentaram significativamente. As alterações que ocorrem no cristalino com a idade parecem ser responsáveis pelo aumento das aberrações do olho em idades mais avançadas.
Palavra-chave Ocular physiological phenomena
Corneal topography
Aging
Refractive errors
Refraction, ocular
Diagnostic technique, opthalmologic
Visual acuity
Lens, crystalline
Fenômenos fisiológicos oculares
Topografia da córnea
Envelhecimento
Erros de refração
Refração ocular
Técnicas de diagnóstico oftalmológico
Acuidade visual
Cristalino
Idioma Inglês
Data de publicação 2009-10-01
Publicado em Arquivos Brasileiros de Oftalmologia. Conselho Brasileiro de Oftalmologia, v. 72, n. 5, p. 617-621, 2009.
ISSN 0004-2749 (Sherpa/Romeo, fator de impacto)
Publicador Conselho Brasileiro de Oftalmologia
Extensão 617-621
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0004-27492009000500003
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
Web of Science WOS:000274754600003
SciELO S0004-27492009000500003 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/5268

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S0004-27492009000500003.pdf
Tamanho: 574.3KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta