Verbal language spontaneous recovery after ischemic stroke

Verbal language spontaneous recovery after ischemic stroke

Título alternativo Recuperação espontânea da linguagem verbal após acidente cerebrovascular isquêmico
Autor Remesso, Gabriela Camargo Autor UNIFESP Google Scholar
Chiappetta, Ana Lúcia de Magalhães Leal Autor UNIFESP Google Scholar
Aguiar, Alexandre Santos Autor UNIFESP Google Scholar
Fukujima, Marcia Maiumi Autor UNIFESP Google Scholar
Prado, Gilmar Fernandes do Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo OBJECTIVE: To analyze the spontaneous recovery of the verbal language on patients who have had an ischemic stroke. METHOD: Retrospective analysis of 513 medical records. We characterize referring aspects for data identification, language deficit, spontaneous recovery and speech therapy. RESULTS: The average age was 62.2 years old (SD= ±12.3), the average time of academic experience was 4.5 years (SD=±3.9), 245 (47.7%) patients presented language disturbance, 166 (54.0%) presented spontaneous recovery, from which 145 (47.2%) had expression deficit (p=0.001); 12 (3.9%) had comprehension deficit and 9 (2.9%) had both expression and comprehension deficit. Speech therapy was carried with 15 patients (4.8%) (p=0.001). CONCLUSION: The verbal language spontaneous recovery occurred in most of the patients being taken care of at the stroke out clinic, and expression disturbance was the most identified alteration. As expected, the left hemisphere was associated with the deficit and smoking and pregressive stroke were the language alteration primary associated factors.

OBJETIVO: Analisar a recuperação espontânea da linguagem verbal em pacientes que sofreram acidente cerebrovascular isquêmico (AVCI). MÉTODO: Análise retrospectiva de 513 prontuários. Caracterizamos aspectos referentes aos dados de identificação, déficit de linguagem, recuperação espontânea, realização de tratamento fonoaudiológico. RESULTADOS: A média de idade foi 62,2 anos (DP=±12,3), o nível de escolaridade teve média de 4,5 anos (DP=±3,9), 245 (47,7%) pacientes apresentaram alteração de linguagem, 166 (54,0%) apresentaram recuperação espontânea sendo 145 (47,2%) do déficit de expressão (p=0,001), 12 (3,9%) de compreensão e 9 (2,9%) misto. A realização de tratamento fonoaudiológico foi encontrada em 15 (4,8%) (p=0,001). CONCLUSÃO: A recuperação espontânea da linguagem verbal ocorreu na maioria dos pacientes atendidos no ambulatório de AVCI e a alteração mais encontrada foi de expressão. Como esperado o hemisfério esquerdo associou-se ao déficit, sendo o tabagismo e AVC pregresso fatores preditores de alteração de linguagem.
Palavra-chave aphasia
language
stroke
neuronal plasticity
afasia
linguagem
acidente cerebrovascular
plasticidade neuronal
Idioma Inglês
Data de publicação 2009-09-01
Publicado em Arquivos de Neuro-Psiquiatria. Academia Brasileira de Neurologia - ABNEURO, v. 67, n. 3b, p. 856-859, 2009.
ISSN 0004-282X (Sherpa/Romeo, fator de impacto)
Publicador Academia Brasileira de Neurologia - ABNEURO
Extensão 856-859
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0004-282X2009000500014
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
Web of Science WOS:000270941600014
SciELO S0004-282X2009000500014 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/5249

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S0004-282X2009000500014.pdf
Tamanho: 166.7KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta