Active head rotation in benign positional paroxysmal vertigo

Active head rotation in benign positional paroxysmal vertigo

Título alternativo Da rotação cefálica ativa na vertigem posicional paroxística benigna
Autor Ganança, Fernando Freitas Autor UNIFESP Google Scholar
Ganança, Cristina Freitas Autor UNIFESP Google Scholar
Caovilla, Heloisa Helena Autor UNIFESP Google Scholar
Ganança, Mauricio Malavasi Autor UNIFESP Google Scholar
Mangabeira-Albernaz, Pedro Luiz Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
UNIBAN Program on Vestibular Rehabilitation and Social Inclusion
Bandeirante University in São Paulo Graduate Program on Vestibular Rehabilitation and Social Inclusion
Resumo Benign Positional Paroxysmal Vertigo (BPPV) is one of the most common vestibular diseases and the active head rotation test one of the most modern methods of vestibular function assessment. AIM: this study aims to verify if the active head rotation test may reveal signs of horizontal and/or vertical vestibulo-ocular reflex dysfunction in vertigo patients suspected for BPPV. STUDY DESIGN: retrospective series study. MATERIALS AND METHOD: Neurotological evaluation including computerized electronystagmography and active head rotation on the horizontal and vertical axes were conducted in 100 patients suspected for BPPV patients. Results: Isolated or associated abnormalities of the horizontal and/or vertical vestibulo-ocular reflex gain, phase and symmetry were indicative of vestibular involvement and found in 77.0% of the BPPV patients. CONCLUSION: the active head rotation test revealed horizontal and/or vertical vestibulo-ocular reflex dysfunctions in a relevant number of BPPV patients.

A vertigem posicional paroxística benigna (VPPB) corresponde a uma das vestibulopatias mais comuns e a rotação cefálica ativa um dos métodos mais modernos de avaliação da função vestibular. OBJETIVO: O objetivo desta pesquisa foi verificar se a prova de rotação cefálica ativa pode revelar sinais de disfunção do reflexo vestíbulo-ocular horizontal e/ou vertical em pacientes vertiginosos com hipótese diagnóstica de VPPB. DESENHO DO ESTUDO: Estudo de série retrospectivo. MATERIAL E MÉTODO: Uma avaliação otoneurológica incluindo a eletronistagmografia computadorizada e a prova de rotação cefálica ativa, no plano horizontal e vertical foi conduzida em 100 pacientes com hipótese diagnóstica de VPPB. Resultados: Alterações isoladas ou associadas de ganho, fase e assimetria do reflexo vestíbulo-ocular horizontal e/ou vertical, foram os achados indicativos de comprometimento vestibular em 77,0% dos casos de VPPB. CONCLUSÃO: A prova de rotação cefálica ativa permitiu evidenciar distúrbios do reflexo vestíbulo-ocular horizontal e/ou vertical em relevante proporção dos pacientes com VPPB.
Palavra-chave electronystagmography
positional nystagmus
rotation
vertigo
eletronistagmografia
nistagmo posicional
rotação
vertigem
Idioma Inglês
Data de publicação 2009-08-01
Publicado em Brazilian Journal of Otorhinolaryngology. Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cervicofacial, v. 75, n. 4, p. 586-592, 2009.
ISSN 1808-8694 (Sherpa/Romeo)
Publicador Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cervicofacial
Extensão 586-592
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S1808-86942009000400019
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S1808-86942009000400019 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/5156

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S1808-86942009000400019.pdf
Tamanho: 157.3KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta