Aplicação clínica de filtros leucocitários

Aplicação clínica de filtros leucocitários

Título alternativo Clinical indications for using white blood cell filters
Autor Bordin, Jose Orlando Autor UNIFESP Google Scholar
Fabron Jr, A. Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Faculdade de Medicina de Marília, Marília
Resumo Leukocytes present in allogeneic blood components have been associated with adverse effects to the recipient. These include the development of febrile transfusion reactions, alloimmunization to human leukocyte antigens, graft-versus-host disease, and immunomodulatory effects. In addition, such leukocytes may be the vector of infectious agents such as CMV, HTLV-I/II, and EBV. It has been postulated that the use of white blood cell filters to reduce the leukocyte content in allogeneic blood products may minimize the occurrence of these biological adverse effects associated with leukocytes present in transfused blood products. However, it is still to be determined the clinical effectiveness of leukodepletion. It has been suggested that 1 log10 leukocyte reduction prevents febrile non-hemolytic transfusion reactions; that a 2 log10 reduction may prevent the transmission of viroses; and that a > or =3 log10 reduction may be necessary to prevent platelet alloimmunization. However, because there are no data available as guidelines for the use of leukodepleted blood products for most clinical indications, the use of white cell filters should be restricted to selected patients for whom such data exist. Properly designed prospective clinical trials are necessary to provide data to help to define the cost-benefit of the clinical application of leukodepletion.

A presença de leucócitos nos produtos hemoterápicos alogênicos transfundidos tem sido associada à ocorrência de determinadas reações transfusionais, tais como a reação transfusional febril não-hemolítica, a aloimunização e refratariedade à transfusão de plaquetas, a doença enxerto-versus-hospedeiro, e a efeitos imunomodulatórios. Além disso, os leucócitos podem ser vetores de transmissão de agentes infecciosos, tais como o CMV, o HTLV-I/II e o EBV. Tem sido postulado que a remoção dos leucócitos em hemocomponentes mediante uso de filtros leucocitários pode prevenir a ocorrência dessas reações. Entretanto, a eficácia clínica da desleucotização permanece sem definição. Tem sido sugerido que a remoção de 1 log10 de leucócitos previne a reação transfusional não-hemolítica, a remoção de 2 log10 pode prevenir a transmissão de viroses, enquanto que a remoção de > ou =3 log10 pode ser necessária para a prevenção de aloimunização plaquetária. Entretanto, devido à carência de estudos que analisem apropriadamente as vantagens do uso clínico rotineiro dos filtros, permanecem sem completa definição quais são as reais indicações clínicas para o uso de hemocomponentes desleucotizados; quais são os graus de desleucotização necessários para prevenir as diferentes reações; e se a remoção dos leucócitos deve ser realizada antes ou após o armazenamento do hemocomponente. Dessa maneira, somente estudos clínicos prospectivos poderão definir o custo-benefício da aplicação clínica de filtros leucocitários em hemoterapia.
Palavra-chave Blood transfusion
Transfusion reactions
Leukocytes
Leukocyte filters
Hemoterapia
Reações transfusionais
Leucócitos
Filtros leucocitários
Idioma Português
Data de publicação 1997-09-01
Publicado em Revista da Associação Médica Brasileira. Associação Médica Brasileira, v. 43, n. 3, p. 205-208, 1997.
ISSN 0104-4230 (Sherpa/Romeo)
Publicador Associação Médica Brasileira
Extensão 205-208
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0104-42301997000300007
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S0104-42301997000300007 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/512

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S0104-42301997000300007.pdf
Tamanho: 49.98KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta