Compressão de freqüências e suas implicações no reconhecimento de fala

Compressão de freqüências e suas implicações no reconhecimento de fala

Título alternativo Frequency compression and its effects in speech recognition
Autor Prates, Letícia Pimenta Costa Spyer Autor UNIFESP Google Scholar
Silva, Francisco José Fraga da Google Scholar
Iorio, Maria Cecilia Martinelli Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal Minas Gerais do Hospital das Clínicas
Universidade Federal do ABC
Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo BACKGROUND: frequency compression. AIM: to evaluate the index of speech recognition (IPRF) using frequency compression in three different ratios. Methods: monosyllabic words were recorded using an algorithm of frequency compression in three ratios: 1:1, 2:1, 3:1, generating three lists of words. Eighteen listeners accomplished the IPRF using the modified words. They were subdivided in two groups, considering familiarity with the speech material: group of audiologists (F) and group of patients (P). RESULTS: a statistically significant decrease in accuray was observed when using frequency compression. Group F presented a better performance than Group P in all of the applied ratio frequency compression ratios. CONCLUSION: Frequency compression hinders speech recognition; as the compression ratio increases, so does the level of difficulty. Familiarity with the words facilitates recognition in any hearing condition.

TEMA: compressão de freqüências. OBJETIVO: avaliar o índice percentual de reconhecimento de fala (IPRF) utilizando compressão de freqüências em três razões diferentes. MÉTODOS: palavras monossílabas foram gravadas utilizando um algoritmo de compressão de freqüências em três razões: 1:1, 2:1, 3:1, gerando três listas de palavras. Dezoito normo-ouvintes realizaram o IPRF utilizando as listas de palavras modificadas. Foram subdivididos em dois grupos, considerando a familiaridade com o material de fala gravado: grupo de fonoaudiólogas (F) e grupo de acompanhante de pacientes (P). RESULTADOS: observou-se uma piora estatisticamente significante no IPRF quando se utilizou compressão de freqüências. O grupo F teve melhor desempenho que o grupo P em todas as razões de compressão aplicadas. CONCLUSÃO: a compressão de freqüências dificulta o reconhecimento da fala, sendo que, quanto maior a razão de compressão, maior é a dificuldade. A familiaridade com as palavras facilita o seu reconhecimento em qualquer condição de escuta.
Palavra-chave Hearing Aid
Hearing Loss
High-Frequency
Speech Discrimination Test
Auxiliares de Audição
Perda Auditiva de Alta Freqüência
Teste de Discriminação de Fala
Idioma Português
Data de publicação 2009-06-01
Publicado em Pró-Fono Revista de Atualização Científica. Pró-Fono Produtos Especializados para Fonoaudiologia Ltda., v. 21, n. 2, p. 149-154, 2009.
ISSN 0104-5687 (Sherpa/Romeo)
Publicador Pró-Fono Produtos Especializados para Fonoaudiologia Ltda.
Extensão 149-154
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0104-56872009000200011
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S0104-56872009000200011 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/5098

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S0104-56872009000200011.pdf
Tamanho: 1.571MB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta