Implante transapical de endoprótese valvada balão-expansível em posição aórtica sem circulação extracorpórea

Implante transapical de endoprótese valvada balão-expansível em posição aórtica sem circulação extracorpórea

Título alternativo Off-pump transapical balloon-expandable aortic valve endoprosthesis implantation
Autor Gaia, Diego Felipe Autor UNIFESP Google Scholar
Fonseca, José Honório de Almeida Palma da Autor UNIFESP Google Scholar
Souza, José Augusto Marcondes de Autor UNIFESP Google Scholar
Guilhen, José Cícero Stocco Autor UNIFESP Google Scholar
Telis, Andre Autor UNIFESP Google Scholar
Fischer, Claudio Henrique Autor UNIFESP Google Scholar
Ferreira, Carolina Baeta Neves Duarte Autor UNIFESP Google Scholar
Buffolo, Enio Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo OBJECTIVE: The aortic valve replacement is a routine procedure, and involves replacement of the native valve/prosthesis. In most of the patients who undergo such procedure the risk is acceptable, but in some cases, such risk can justify contraindication. The minimally invasive transcatheter aortic valve implantation without cardiopulmonary bypass (CPB) has been shown to be viable, with lower morbidity and mortality. The aim of this study was to develop a catheter-mounted aortic bioprosthesis for implantation without CPB. METHODS: After developing in animals, three patients with high EuroSCORE underwent implantation. Case 1: patients with bioprosthesis dysfunction; Case 2: severe aortic stenosis; Case 3: dysfunction of aortic bioprosthesis. After minithoracotomy and under echocardiographic and fluoroscopic control, a balloon catheter was placed on aortic position and inflated. After, a second balloon with valved endoprosthesis was positioned and released under high ventricular rate. Echocardiographic and angiographic controls were performed and the patients were referred to ICU. RESULTS: In the first case, implantation without CPB was possible with appropriate results. The patient evolved with improvement of ventricular function. After, this patient developed bronchopneumonia, tracheoesophageal fistula and died due to mediastinitis. Autopsy confirmed proper valve positioning and leaflets preservation. The second case showed the device migration after inflation of the balloon, with the need for urgent median sternotomy, CPB and conventional valve replacement. This patient evolved well and was discharged from the ICU on the 14th postoperative day without complications. This patient developed respiratory infection, septic shock and died on the 60th postoperative day. The patient from the third case underwent successful implantation. CONCLUSION: The off-pump transapical implantation of catheter-mounted bioprosthesis was shown to be a feasible procedure. Technical details and learning curve require further discussion.

OBJETIVO: A troca valvar aórtica é procedimento rotineiro, envolve substituição da valva nativa/prótese. Na maioria destes pacientes o risco é aceitável, porém, em alguns casos, o risco predito pode justificar contra-indicação. O implante de valva aórtica minimamente invasivo transcateter e sem circulação extracorpórea (CEC) tem se mostrado viável, com menor morbi-mortalidade. O objetivo deste trabalho foi desenvolver bioprótese aórtica, montada em cateter, para implante sem CEC. MÉTODOS: Após desenvolvimento em animais, três pacientes com EuroSCORE elevado foram submetidos ao implante. Caso 1: portador de bioprótese com disfunção; Caso 2: estenose aórtica grave; Caso 3: disfunção de bioprótese aórtica. Após minitoracotomia e sob controle ecocardiográfico e fluoroscópico, cateter-balão foi posicionado sobre posição aórtica e insuflado. Após, segundo cateter-balão, com endoprótese valvada, foi posicionado e liberado sob alta frequência ventricular. Controles angiográficos e ecocardiográficos foram realizados e pacientes encaminhados para UTI. RESULTADOS: No primeiro caso foi possível implante sem CEC com resultados adequados. Evoluiu com melhora da função ventricular. Cursou com broncopneumonia, fístula traqueo-esofágica e óbito por mediastinite. Necropsia confirmou bom posicionamento valvar e preservação dos folhetos. O segundo caso apresentou migração do dispositivo após insuflação do balão, necessidade de esternotomia mediana de urgência, CEC e troca valvar convencional. O paciente evoluiu bem, recebendo alta da UTI 14 dias após procedimento e sem complicações. Cursou com infecção respiratória, choque séptico e óbito no 60º pós-operatório. O terceiro caso foi submetido a implante com sucesso. CONCLUSÃO: O implante de bioprótese transapical montada em cateter sem CEC mostrou ser procedimento factível. Detalhes técnicos e a curva de aprendizado demandam discussão.
Palavra-chave Aortic valve
Cardiopulmonary bypass
Heart catheterization
Valva aórtica
Ponte cardiopulmonar
Cateterismo cardíaco
Idioma Português
Data de publicação 2009-06-01
Publicado em GAIA, Diego Felipe et al . Implante transapical de endoprótese valvada balão-expansível em posição aórtica sem circulação extracorpórea. Rev Bras Cir Cardiovasc, São José do Rio Preto , v. 24, n. 2, p. 233-238, jun. 2009
ISSN 0102-7638 (Sherpa/Romeo, fator de impacto)
Publicador Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular
Extensão 233-238
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0102-76382009000200021
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
Web of Science WOS:000268472300021
SciELO S0102-76382009000200021 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/5063

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S0102-76382009000200021.pdf
Tamanho: 113.2KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo
Nome: S0102-76382009000200021-pt.pdf
Tamanho: 113.9KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta