Investigação Da Eficácia E Segurança Da Lidocaína Gel Para Realização De Injeção Intravítrea

Investigação Da Eficácia E Segurança Da Lidocaína Gel Para Realização De Injeção Intravítrea

Author Shiroma, Helio Francisco Autor UNIFESP Google Scholar
Advisor Rodrigues, Eduardo Buchele Autor UNIFESP Google Scholar
Institution Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Graduate program Oftalmologia E Ciências Visuais
Abstract Purpose: Five studies were performed in order to: 1. Investigate the safety to the cornea and anesthetic efficacy of five concentrations of lidocaine gel during intravitreal injection procedure. 2. Cognize the anesthetic preference for intravitreal injection among Brazilian retina and vitreous specialists. 3. Evaluate the efficacy and anesthetic duration between lidocaine gel at concentrations of 2% and 5%. 4. Compare pain in patients undergoing IVI with topical anesthesia with or without 2% lidocaine gel. 5. Perform a systematic review to evaluate the effectiveness of different local anesthetic techniques for IVI. Methods: 1. A prospective clinical trial was conducted to evaluate patient pain of intravitreal injection, testing lidocaine gel in five preparations: 2%, 3.5%, 5%, 8% and 12%. 2. Electronic research with 22 questions about preferences to perform intravitreal injection, among the members of the Brazilian Retinal and Vitreous Society. 3. Comparison of pain at conjunctival clamping at the fifth and tenth minutes in 80 eyes anesthetized with 2% and 5% lidocaine gel. 4. Comparison of intravitreal injection pain in 40 patients under topical proparacaine with or without lidocaine gel. 5. Studies to be considered for inclusion were identified by searching the following electronic bibliographic databases: Cochrane, LILACS, PubMed, Scopus and Web of Science. The search date ended February 19, 2016. Results: 1. Mean pain score among all groups was similar (p= 0.077). There was no significant difference between groups in regard to keratitis mean score (p= 0.897). 2. About 65% of the procedures are performed under topical anesthesia with anesthetic eye drops, 22% under eye drops + anesthetic gel, 5% with subconjunctival infiltration of lidocaine and 7% with other associations and sedation. 3. At the tenth minute, 5% lidocaine anesthesia was statistically more effective at conjunctival clamping. 4. The discomfort during placement of the blepharostat and intravitreal injection pain was lower in the group of the anesthetic eye drops with the lidocaine gel 2%. 5. The discomfort of intravitreal injection is mild, and there is no anesthetic technique that can be considered as standard. Conclusion: 1. Lidocaine gel at concentrations from 2% to 12% induced similar anesthetic effect for IVIs without adverse effects on cornea and conjunctiva. 2. Topical anesthesia with eye drops is the preferred technique for intravitreal injection among Brazilian retinal and vitreous specialists. 3. Five percent and 2% lidocaine gels have similar efficacy controlling pain five minutes after instillation, but 5% lidocaine gel appears to be more effective with a longer duration of action, without corneal toxicity. 4. The association of the topical anesthetic with gel is positive in pain relieve of intravitreal injection. 5. Different anesthetic options are similar in relation to pain at the time of injection.

Objetivos: Foram realizados cinco estudos visando o seguinte escopo: 1. Avaliar a segurança e eficácia da lidocaína gel em variadas concentrações, no alívio da dor durante a injeção intravítrea. 2. Conhecer a técnica anestésica preferida dos especialistas brasileiros em retina e vítreo, para realização de injeção intravítrea. 3. Comparar a dor ao pinçamento conjuntival no quinto e no décimo minuto, em pacientes anestesiados com lidocaína gel 2% e 5%. 4. Avaliar a eficácia da anestesia tópica com colírio de proparacaína associada ou não ao anestésico gel, para injeção intravítrea. 5. Realizar uma revisão sistemática sobre anestesia tópica para injeção intravítrea, a fim de avaliar a experiência álgica vivenciada pelo paciente no momento da aplicação sob as diferentes técnicas anestésicas. Métodos: 1. Avaliação da dor da injeção intravítrea, utilizando a escala analógica visual (VAS), em pacientes anestesiados com lidocaína gel nas concentrações 2%, 3,5%, 5%, 8% e 12%. 2. Pesquisa eletrônica entre os membros da Sociedade Brasileira de Retina e Vítreo (SBRV), contendo 22 questões abordando cuidados pré, intra e pós-operatórios, relacionados ao tratamento intraocular quimioterápico com antiangiogênico. 3. Comparação da dor ao pinçamento conjuntival no quinto e no décimo minuto, 40 pacientes hígidos, anestesiados com lidocaína gel 2% em um dos olhos e 5% no olho contralateral. 4. Comparação da dor da injeção intravítrea em 40 pacientes, submetidos a duas aplicações consecutivas, com intervalo de 30 dias, sendo a primeira sob anestesia com proparacaína associada à lidocaína gel e a segunda sob proparacaína isoladamente, ou vice-versa. 5. Revisão sistemática sobre anestesia tópica para injeção intravítrea (IVI) de drogas antiangiogênicas em pacientes adultos. Foram cruzadas as palavras intravitreal injections, bevacizumab, ranibizumab, aflibercept e anesthesia em bancos eletrônicos de pesquisa disponíveis como LILACS, Cochrane, Google Scholar, Scopus, PubMed e Web of Science, entre os anos de 2011 a 2016. Resultados: 1. Foi observada uma tendência dos pacientes a apresentarem menos dor nas concentrações acima de 3,5%, porém sem diferença significativa (p = 0.077). 2. Cerca de 65% dos procedimentos são realizados sob anestesia tópica com colírio anestésico, 22% sob colírio + gel anestésico, 5% com infiltração subconjuntival de lidocaína e 7% com outras associações e sedação. 3. No quinto e no décimo minuto, os olhos que receberam gel de lidocaína 5% sentiram menos dor ao pinçamento conjuntival, sendo estatisticamente significativo no décimo minuto. 4. O desconforto durante a colocação do blefarostato e a dor da injeção intravítrea foram menores no grupo da associação do colírio anestésico com o gel de lidocaína. 5. O desconforto da injeção intravítrea é leve, não havendo uma técnica anestésica que possa ser considerada como padrão. Nenhuma técnica anestésica local é capaz de abolir a dor completamente. A anestesia subconjuntival (SC) deve ser considerada em pacientes mais sensíveis, por apresentar discreta superioridade anestésica demonstrada por alguns estudos. Conclusões: 1. A dor da aplicação foi similar nas diferentes concentrações de lidocaína gel estudadas. 2. A anestesia tópica com colírio é a técnica preferida para injeção intravítrea entre os especialistas da SBRV. 3. A concentração de 5% de lidocaína é mais duradoura do que a de 2%. 4. O gel anestésico potencializou o efeito do colírio tópico no alívio da dor da injeção intravítrea. 5. As diferentes alternativas anestésicas são semelhantes em relação à dor no momento da injeção.
Keywords Anesthesia
Intravitreal Injection
Ache
Lidocaine Gel
Antiangiogenic Drugs
Anestesia
Injeção Intravitrea
Dor
Lidocaina Gel
Drogas Antiangiogênicas
Language Portuguese
Date 2017-08-31
Research area Farmacologia E Fotodinâmica Aplicada Á Inibição Da Proliferação Neovascular Retiniana E Sub-Retiniana.
Knowledge area Análise Da Eficácia De Protocolos De Intervenção
Publisher Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extent 84p.
Origin https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.jsf?popup=true&id_trabalho=5253714
Access rights Closed access
Type Thesis
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/50586

Show full item record




File

File Size Format View

There are no files associated with this item.

This item appears in the following Collection(s)

Search


Browse

Statistics

My Account